ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

EDITORIAIS

Cidade Floresta - Coração da Amazônia

Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):1

PDF Português Texto em Português

ARTIGOS

Reconstrução microcirúrgica de lábio inferior em avulsão por mordedura humana: relato de caso

GUSTAVO EMILIO LLANO CABRERA; MARIA CAROLINA ANTONY FEITOZA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):2-3

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A reconstrução labial representa sempre um grande desafio, considerando as dimensões da perda tecidual e o restabelecimento da funcionalidade da boca.
Método: Apresentamos o relato de um caso de um paciente de 35 anos, vítima de agressão por mordedura humana, com avulsão de 70% do lábio inferior, que foi submetido à reconstrução com retalho grácil microcirúrgico.
Resultados: Não houve perda do retalho, a resposta motora foi boa, mantendo competência oral na alimentação e adequada forma labial, considerando o aspecto estético.
Conclusões: A técnica do retalho microcirúrgico do músculo grácil, possibilitou o restabelecimento da função da boca, de forma segura, sem cicatrizes adicionais perioral e nasal.

Palavras-chave: Lábio/cirurgia; Microcirurgia; Retalhos cirúrgicos

 

Retalho dos músculos vasto lateral e abdutor do hálux para cobertura de exposições ósseas: relato de caso

CLÁUDIO DE PAULA MATOS
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):4-5

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: As lesões por grandes traumatismos geralmente causam perda tecidual importante. Estas lesões podem vir, de acordo com o tipo de trauma, acompanhadas de corpos estranhos e microrganismos. Estes fatores podem influenciar no resultado final da ferida. Nos casos em que há exposição óssea, podemos lançar mão de retalhos locais para sua reconstrução.
Método: Apresentamos um relato de caso que tem como objetivo mostrar a eficácia da utilização de retalhos locais para a cobertura de lesões em que há perda de tecidos e exposição de estruturas ósseas para posterior enxertia cutânea.
Resultados: O resultado foi satisfatório, com cicatrização aceitável e com boa pega do enxerto cutâneo, visto a complexidade da lesão inicial.
Conclusão: A utilização de retalhos musculares é uma excelente opção na cobertura de exposições ósseas, visando à proteção das estruturas ósseas e auxiliando na sua cicatrização, visando a posterior enxertia.

Palavras-chave: Transplante de pele; Fraturas ósseas

 

Retalho do músculo sóleo para cobertura de lesão do terço médio da perna: relato de caso

CLÁUDIO DE PAULA MATOS
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):6-7

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Na cobertura de lesões do terço médio da perna, o retalho mais utilizado é o do músculo sóleo. Sua escolha se faz, principalmente, pelas características da sua vascularização e de seu bom arco de rotação.
Método: Este relato de caso tem como objetivo mostrar a eficácia da utilização deste retalho para cobrir uma exposição óssea da face anterior da tíbia, devido a uma fratura exposta em um paciente que apresentou uma fratura exposta de tíbia e fíbula esquerda, resultante de um acidente motociclístico.
Resultados: O paciente apresentou resultado satisfatório, com boa cicatrização e com boa pega do enxerto cutâneo.
Conclusão: A utilização deste retalho se mostrou bastante eficaz para a cobertura da lesão, inclusive com resultado estético satisfatório.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Rotação; Tecido de granulação; Fraturas da tíbia; Transplante de pele

 

Umbilicoplastia: técnica com pedículo umbilical em "pipa" e incisão da pele do abdome em "Y"

FABIEL SPANI VENDRAMIN; ALESSANDRO WANDEL CORRÊA FERNANDES
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):8-11

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: O umbigo está atrelado a beleza do abdome e é uma preocupação frequente nas abdominoplastias. As técnicas de umbilicoplastia têm sido desenvolvidas para melhorar resultados, diminuindo as evidências na cicatriz e mimetizando o aspecto natural do umbigo.
Método: Pacientes submetidos à cirurgia plástica do abdome, com umbilicoplastia, através da técnica de incisão da pele do abdome em "Y" e pedículo umbilical em "pipa" foram avaliados de acordo com a escala de Likert.
Resultados: Foram avaliados 31 pacientes, todas do sexo feminino e com idades entre 28 e 57 anos. A complicação mais frequente foi a epidermólise do coto umbilical. Dois casos evoluíram com resultados desfavoráveis, um com estenose e outro com cicatriz visível. Houve 77% de resultados "excelente" e 12,9% resultados "muito bom".
Conclusão: Esta técnica conseguiu obter umbigos com formato triangular mais verticalizado, sem marcas de sutura aparentes, mantendo uma boa profundidade, atingindo ótimo índice de satisfação.

Palavras-chave: Umbigo; Abdome; Abdominoplastia; Satisfação do paciente; Procedimentos cirúrgicos operatórios

 

Reconstrução microcirúrgica do esôfago cervical nas lesões decorrentes de trauma

GUSTAVO EMILIO LLANO CABRERA; MARIA CAROLINA ANTONY FEITOZA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):12-14

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A reconstrução microcirúrgica do esôfago cervical com jejuno é uma das técnicas para reparação dos defeitos resultantes de trauma cervical. Possibilita um restabelecimento fisiológico do trato digestório, isoperistáltico e com diâmetro compatível das bocas esofágicas e jejunal.
Objetivo: Demonstrar o retalho microcirúrgico de jejuno como opção adequada e segura nas reconstruções na perda do esôfago cervical devido ao trauma.
Método: No período de 5 anos, 7 pacientes foram submetidos à reconstrução de esôfago cervical com retalho de jejuno, sendo transposto o segmento de jejuno para a região cervical, na posição isoperistáltica, como opção de um neoesôfago.
Resultados: Não houve perda de nenhum retalho nesta casuística e houve 2 casos de estenose na anastomose do esôfago distal. Não houve nenhum caso de fístula. Todos os pacientes operados voltaram a se alimentar por via oral.
Conclusão: O emprego do retalho microcirúrgico de jejuno é seguro, reproduzível e eficiente na reconstrução do esôfago cervical decorrente de traumas.

Palavras-chave: Esofagoplastia; Jejuno; Microcirurgia; Reconstrução

 

Uso de agulha modificada e implanter 0,8mm no transplante capilar: técnica cirúrgica para colocar folículos em alta densidade

ROBERTO BEZERRA VIEIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):15-17

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: O transplante capilar evoluiu muito na última década. Os estudos sobre os fatores do crescimento dos folículos transplantados e o surgimento de novos instrumentos cirúrgicos contribuíram para a obtenção de resultados naturais. A utilização de agulhas modificadas com implanters 0,8mm é mais um avanço para diminuir o trauma cirúrgico e atingir uma alta densidade folicular por centímetro quadrado.
Objetivo: Mostrar mais uma técnica no transplante capilar que facilite a criação de alta densidade capilar e crescimento desses fios transplantados.
Método: Foram avaliados 71 pacientes operados pelo mesmo cirurgião e acompanhados por um ano após o transplante capilar.
Resultados: Os resultados pós-operatórios foram considerados satisfatórios pelos pacientes e pela equipe cirúrgica.
Conclusão: É possível afirmar que houve uma taxa relevante de sucesso tanto no alcance das ufs por centímetro quadrado durante o procedimento, quanto no crescimento dos fios transplantados após um ano do procedimento.

Palavras-chave: . Transplante; Alopecia; Agulhas; Doenças do cabelo; Instrumentos cirúrgicos; Couro cabeludo

 

Tratamentos estéticos da região genital feminina: uma revisão sistemática

jOSÉ HUMBERTO CAMPOS; FLÁVIA ARAÚJO DE MEDEIROS
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):18-21

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Algumas alterações na aparência da região íntima da mulher muitas vezes trazem desconforto físico e trauma psicológico. Diante disso, no ramo da cirurgia plástica, são realizados procedimentos capazes de melhorar a estética íntima feminina e, consequentemente, ter um impacto positivo na função sexual. Dentre as principais indicações para os tratamentos estéticos estão a hipertrofia de pequenos lábios, flacidez de grandes lábios, monte de vênus volumoso, flacidez vaginal e escurecimento da mucosa vaginal. A necessidade de uma explanação acerca da cirurgia íntima e suas técnicas justifica a realização do estudo.
Objetivos: Avaliar as técnicas dos principais procedimentos estéticos da região genital feminina e analisar o impacto da cirurgia genital estética feminina na qualidade das relações sexuais das pacientes e a satisfação estética pós cirurgia.
Método: Estudo de revisão sistemática com base nas fontes de dados em Lilacs, Scielo e PubMed. Dos 159 artigos publicados nas bases de dados pesquisadas, apenas 5 se adequaram aos critérios de inclusão e exclusão. Mais 3 artigos foram adicionados aos resultados pela busca ativa, nas referências artigos selecionados. O critério metodológico de análise da qualidade dos artigos foi a escala de risco de viés pela ferramenta COCHRANE. A construção da revisão foi baseada no protocolo PRISMA.
Resultados: A labioplastia foi a intervenção mais realizada, presente em todos os estudos selecionados. Dos 8 estudos, 5 associaram a labioplastia a outros procedimentos estéticos vaginais. Os resultados pós-operatórios foram em sua grande maioria satisfatórios, e os procedimentos foram caracterizados com baixos ou quase nulos índices de complicações pós-operatórias.
Conclusão: Boas técnicas para os procedimentos avaliados nessa revisão são a excisão direta para labioplastia redutora, lipofilling para aumento dos grandes lábios, lipoaspiração para monte de vênus volumoso, ressecção bilateral para excisão do capuz do clitóris e laser para clareamento labial. Esses procedimentos têm grande percentual de satisfação estética, suas técnicas são simples e o índice de complicações é extremamente baixo, apresentando um impacto positivo na vida sexual das pacientes.

Palavras-chave: Cirurgia íntima; Procedimentos estéticos; Labioplastia

 

Tratamento cirúrgico da ptose mamária

JOSÉ HUMBERTO CAMPOS; LAURO EDUARDO VIANA CAMPOS
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):22-24

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Atualmente a mamoplastia vem ocupando posição de destaque dentro da cirurgia plástica, tanto pelo elevado número de operações quanto pela constante evolução de suas técnicas, dentre as quais estão as cirurgias para correção da ptose mamária ou mastopexias. Diversas são as causas que podem precipitar e levar à queda dos seios, tendo como principais: o envelhecimento, a gravidez e o rápido emagrecimento. Tais processos interferem diretamente nos meios de sustentação da pele e acabam gerando a descida do mamilo, além do sulco submamário, caracterizando a ptose e gerando grande insatisfação estética feminina, já que esta sofre grande pressão por parte de uma sociedade de culto à beleza e, principalmente, pelos seios representarem o símbolo máximo de feminilidade para a mulher. E dentro desse contexto é que as cirurgias de mastopexia tem crescido, a fim de corrigir os defeitos estéticos da queda, flacidez de pele e baixa projeção da mama; e, recriar a forma, simetria e posição correta das mamas, devolvendo-lhes a harmonia e beleza novamente.
Objetivos: Descrever os tratamentos cirúrgicos mais utilizados para correção da ptose mamária.
Método: Revisão sistemática da literatura acerca dos tratamentos para correção da ptose mamária, por parte de dois autores, de forma independente (LEVC e JHOC), utilizando as bases de dados LILACS, SciELO e Medline, entre os meses de março a outubro de 2013, onde foram incluídos trabalhos publicados entre 2002 e 2012, nos idiomas inglês e português e tendo sido excluídos trabalhos em que a correção da ptose fosse realizada em paciente cujas particularidades físicas fossem suficientes para imprimir ampla mudança na técnica cirúrgica.
Resultados: Os tratamentos cirúrgicos mais utilizados encontrados foram: a técnica periareolar, utilizada na correção de pequenas ptoses em mamas de menor tamanho e gerando cicatrizes mínimas; a técnica com cicatriz vertical, para ptoses de grau intermediário em mamas mais volumosas e gerando cicatriz em forma de "I"; as técnicas com cicatriz em T e em L, a primeira para ptoses de grau intermediário a severo em mamas com maior volume e deixando cicatriz mais evidente, e a segunda com a mesma indicação e menor cicatriz; e, por fim, as cirurgias que associam a mastopexia à colocação de prótese de silicone, gerando menor retirada de pele e aumento de projeção mamária.
Conclusão: As principais técnicas para correção da ptose mamária são: a técnica periareolar, para pequenas ptoses; a técnica vertical, para ptoses de grau intermediário; a técnica em L e em T para ptoses maiores; e, também a associação dessas técnicas com a colocação de próteses mamárias, a fim de evitar e/ou reduzir a retirada de pele e ao mesmo tempo gerar aumento de volume dos seios.

Palavras-chave: Mama; Mamoplastia; Cirurgia Plástica; Implante Mamário

 

Ritidoplastia sem descolamento resultante

ALANA D`AVILA REBELO; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA; MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; EUDEMARA FERNANDES DE HOLANDA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):25-27

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Opções para o rejuvenescimento facial tem sido um dos assuntos mais discutidos nas últimas décadas. O objetivo deste estudo é demonstrar uma abordagem na cirurgia da face, com conceitos mais conservadores, porém que atenda e solucione de forma efetiva e duradoura as solicitações dos pacientes, visando sempre um menor dano cirúrgico.
Método: Foram analisados o resultado de 50 casos de pacientes operadas pela técnica descrita, entre janeiro de 2005 a maio de 2019.
Resultados: Os pacientes obtiveram um alto grau de satisfação, um menor tempo de recuperação, retorno precoce as suas atividades habituais e baixos índices de complicações.
Conclusões: Procedimentos cirúrgicos pouco invasivos, menos extensos, com tempo de recuperação mais curto e minimização de complicações, têm atualmente sido mais solicitados pelos pacientes candidatos à ritidoplastia facial; e, a técnica descrita neste trabalho, mostrou-se segura e uma opção viável para o tratamento do envelhecimento facial.

Palavras-chave: Ritidoplastia; Envelhecimento da pele; Complicações pós-operatórias; Face; Rejuvenescimento; Retalhos cirúrgicos

 

Galactorreia associada à mamoplastia pós-bariátrica: relato de caso

EUDEMARA FERNANDES DE HOLANDA; SALUSTIANO GOMES PINHO PESSOA; VITOR DE VASCONCELLOS MUNIZ; LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; ALANA D'AVILA REBELO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):28-30

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Pacientes pós-bariátricos apresentam rápida redução de peso e melhora das comorbidades relacionadas à obesidade. As mulheres apresentam mamas flácidas, ptóticas, com polo superior vazio e plano. Apesar da mamoplastia com o uso de prótese ser considerado um procedimento comum e seguro, o mesmo não está isento de complicações. Algumas complicações são bem conhecidas, como os seromas, hematomas e abscessos, mas há ainda algumas mais incomuns como a galactocele. No presente artigo, relatamos um caso de galactocele após mamoplastia com prótese em paciente pós-bariátrica acompanhada em nosso Serviço, e discutimos sobre as possíveis causas e possibilidades terapêuticas apresentadas na literatura.
Método: Estudo retrospectivo e descritivo através da revisão de prontuário da paciente do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC-UFC).
Conclusões: A possibilidade de galactocele/galactorreia após mastopexia com prótese deve ser lembrada, tendo várias possibilidades terapêuticas, desde conduta expectante a tratamento cirúrgico e/ou farmacológico.

Palavras-chave: Mamoplastia; Cirurgia bariátrica; Galactorreia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

Análise da participação de Hospital Universitário em dois mutirões nacionais de reconstrução mamária

EUDEMARA FERNANDES DE HOLANDA; SALUSTIANO GOMES PINHO PESSOA; VITOR DE VASCONCELLOS MUNIZ; LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; ALANA D'AVILA REBELO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):31-33

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Há uma crescente fila à espera da cirurgia reparadora após a mastectomia. Dessa forma, foram criados programas de mutirão, com a finalidade de diminuir tal demanda.
Objetivo: Analisar os resultados da participação do Serviço de Cirurgia Plástica do HUWC nos Mutirões Nacionais de Reconstrução Mamária (MNRC), realizados em 2016 e 2018.
Método: Estudo retrospectivo e descritivo através da revisão de prontuários de pacientes submetidas à reconstrução mamária durante o período dos mutirões.
Resultados: 24 pacientes foram submetidas à reconstrução mamária pós-mastectomia, sendo 16 pacientes no ano de 2016 e 8 em 2018. A idade média de 49 anos em 2016 e 51 anos em 2018. Em 2016, as principais complicações foram seroma em região dorsal (13%) e deiscência parcial da ferida operatória (13%); em 2018, epidermólise (12,5%) e cicatriz hipertrófica (12,5%).
Conclusões: Os mutirões de reconstrução mamária pós-mastectomia são uma alternativa viável em termos de saúde pública.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Mastectomia; Mamoplastia; Neoplasias da mama; Direito à saúde

 

Retalho fasciocutâneo bilateral para reparação de defeito pós-complicação de tratamento neurocirúrgico de meningomielocele: relato de caso

FERNANDO GOMES RIBEIRO; SUELEN RIOS MELO; KARINE LORENA QUEIROZ; MARCELA MARA AZEVEDO; MARCUS VINICIUS PONTE DE SOUZA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):34-35

PDF Português Texto em Português

RESUMO

A mielomeningocele é caracterizada pelo fechamento parcial do tubo neural embrionário, decorrente da proliferação inadequada de células ectodérmicas durante o segundo trimestre de gestação, deixando uma abertura na coluna vertebral. Também consiste na forma mais grave e mais comum de espinha bífida, respondendo por cerca de 75% de todos os casos. Descrever a técnica cirúrgica de confecção de retalho fasciocutâneo bilateral para reparação de defeito pós complicação de tratamento neurocirúrgico de meningomielocele. Ressaltar a importância de uma cirurgia em conjunto (neurocirurgia com cirurgia plástica) para correções de defeitos complexas

Palavras-chave: Meningomielocele; Cirurgia plástica; Coluna vertebral; Defeitos do tubo neural; Sistema nervoso central

 

Ensino da cosmiatria nas residências de cirurgia plástica do Nordeste brasileiro

FLÁVIUS VINÍCIUS CABRAL SOARES; FRANCISCO DE ASSIS MONTENEGRO CARVALHO; ELMIRO HELI MARTINS; TONNY WYSLLEN MOURA DE AQUINO; GUILHERME FERREIRA SEDÍCIAS
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):36-38

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: O número de procedimentos de cosmiatria aumentou bastante nos consultórios de cirurgia plástica. É competência dos serviços de residência capacitar seus residentes para atuarem em todas as áreas.
Objetivos: Avaliar como se dá o ensino de cosmiatria nas residências de cirurgia plástica na região Nordeste do Brasil e como os residentes tem avaliado seus conhecimentos nessa área.
Método: Trata-se de um estudo descritivo de pesquisa quantitativa e qualitativa, transversal com questionário aplicado aos residentes em treinamento. Resultados: 97,8% dos participantes classificaram com notas acima de 7 a importância do ensino na cosmiatria, mas apenas 17% afirmaram haver seu ensino durante a residência, sendo a autoavaliação sobre seu conhecimento de 68,1%, com nota 5 ou inferior.
Discussão: O ensino da cosmiatria nas residências nordestinas encontra-se em caráter inexistente ou inicial.
Conclusão: Os residentes se autoavaliaram com conhecimentos insuficientes e referiram ser possível melhorar o ensino de cosmiatria.

Palavras-chave: Internato e residência; Hospitais de ensino; Cirurgia plástica; Toxinas botulínicas tipo A; Ácido hialurônico; Abrasão química

 

Reconstrução de couro cabeludo com retalho subgaleal: uma abordagem conjunta da cirurgia plástica e neurocirurgia

KARINE LORENA SOUSA QUEIROZ; ERIK DE AQUINO NERY; SUELEN RIOS DE MELO RECAMONDE; FERNANDO GOMES BEZERRA RIBEIRO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):39-41

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O couro cabeludo é composto por cinco camadas anatômicas distintas: pele, tecido subcutâneo, gálea, tecido areolar frouxo e pericrânio, como descrito pelo mnemônico, em inglês SCALP (Skin, subcutaneous tissue, galea aponeurotica, loose areolar tissue e pericranium). O escalpo é o tegumento mais espesso do corpo humano. A gálea, camada aponeurótica, proporciona força à cobertura cutânea. A fáscia subgaleal ou plano subaponeurótico é uma camada de tecido conjuntivo frouxo, responsável por boa parte da mobilidade do couro cabeludo. O couro cabeludo é uma área difícil de ser reconstruída devido a sua pouca elasticidade. Os retalhos locais podem ser usados na cobertura das grandes lesões do couro cabeludo, evitando a sequela de feridas crônicas, diminuindo tanto o tempo de internação, como a exposição à infeções e riscos para o paciente.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Couro cabeludo; Neurocirurgia; Crânio

 

Manejo cirúrgico de dermatofibrosarcoma em região de cabeça e pescoço com invasão óssea: relato de caso

LEONARDO BEZERRA FEITOSA; MARCUS VINICIUS PONTE DE SOUZA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):42-44

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O dermatofibrosarcoma protuberans é caracterizado por seu crescimento lento, localmente agressivo e com baixa incidência de metástases, porém demonstra elevada recorrência. Seu tratamento consiste em cirurgia isolada ou associada à radioterapia, recomendando-se amplas margens de ressecção. O atual trabalho relata o caso de um paciente diagnosticado com dermatofibrosarcoma gigante em uma área atípica, região de cabeça e pescoço, submetido à ressecção alargada de tumor com ampliação de margens da cortical externa de calota craniana, seguido de reconstrução com retalho miocutâneo de couro cabeludo, apresentando boa evolução, sem recidivas e resultado estético satisfatório.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Dermatofibrosarcoma; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Neoplasias de tecidos Moles; Retalhos cirúrgicos

 

Reconstrução total de pálpebra inferior em hospital universitário: série de casos

LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):45-46

PDF Português Texto em Português

RESUMO

As pálpebras atuam na proteção dos olhos, hidratação da córnea e na manutenção de uma visão adequada. Entretanto, diversos fatores podem contribuir com perda da função protetora das pálpebras, por exemplo, o processo natural de envelhecimento, os traumas ou as neoplasias. Quando em estágios avançados, o câncer pode acometer todas as lamelas da pálpebra, sendo a reconstrução adequada da pálpebra uma prioridade a fim de evitar complicações visuais. O objetivo deste trabalho é apresentar opções cirúrgicas de reconstrução total de pálpebra inferior realizadas em serviço terciário no segundo semestre de 2018. Trata-se de estudo retrospectivo observacional descritivo do tipo série de casos. A reconstrução de todo um segmento anatômico especializado e complexo como as pálpebras é desafiador. O reparo dos planos anatômicos mimetizando as lamelas com estruturação cartilaginosa e dos planos cutâneo e mucoso é essencial para restaurar a função palpebral perdida.

Palavras-chave: Neoplasias cutâneas; Retalhos cirúrgicos; Transplante autólogo; Cirurgia plástica; Carcinoma basocelular

 

Reconstrução de lesão complexa de parede abdominal: relato de caso

LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):47-49

PDF Português Texto em Português

RESUMO

A correção de defeitos da parede abdominal é atividade recorrente na prática do cirurgião, como observamos nas correções de hérnias de parede abdominal, exéreses de neoplasias e lesões por trauma. O aumento da expertise profissional e a disponibilidade de malhas e curativos especiais tem possibilitado atuação cirúrgica em lesões mais complexas de parede abdominal. Na literatura, os trabalhos versam comumente sobre a correção de hérnias de parede abdominal e relatos sobre reconstruções ocasionadas por neoplasias são escassos. O objetivo deste trabalho é relatar o caso de um paciente abordado cirurgicamente para exérese de tumor recidivado de apêndice, que evoluiu com comprometimento extenso da parede abdominal, operado no Hospital Universitário Walter Cantídio. Casos complexos são beneficiados pela experiência das equipes multidisciplinares e uso de próteses especiais presentes nos serviços terciários de saúde, favorecendo de forma determinante a qualidade de vida desses pacientes.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Abdome; Parede abdominal; Adenocarcinoma mucinoso; Neoplasias do apêndice

 

Opções de reconstrução após ressecção de tumor de pele nasal

MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA; VITOR DE VASCONCELOS MUNIZ; ALANA D'ÁVILA REBELO; EUDEMARA FERNANDES HOLANDA; LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):50-52

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O nariz é a área mais atingida pelo câncer de pele não-melanoma. A ressecção de tumores nasais pode causar defeitos de diversos formatos e tamanhos e requerer reconstrução planejada. Cada camada que for ressecada, precisa ser reposta, objetivando-se manter o formato e a função do nariz. A pele de diferentes regiões da face, inclusive do próprio nariz, poderá ser bem utilizada sob aplicação de enxertos ou retalhos, bem como enxertos cartilaginosos e retalhos de muco pericôndrio nasal. O planejamento da reconstrução deverá levar em conta as camadas e as subunidades estéticas envolvidas. Este trabalho reúne uma série de 4 casos de pacientes que foram submetidos à ressecção de tumor de pele com reconstrução nasal.

Palavras-chave: Deformidades adquiridas nasais; Nariz; Neoplasias nasais; Neoplasias cutâneas; Cartilagem

 

Perfil das reconstruções mamárias tardias realizadas em 1 ano no Hospital Universitário Walter Cantídio

MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; SALUSTIANO GOMES DE PINHO PESSOA; ALANA D'ÁVILA REBELO; EUDEMARA FERNANDES DE HOLANDA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):53-54

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O câncer de mama é o segundo câncer mais comum na população feminina. A qualidade de vida passou a ser um importante parâmetro na avaliação de resultados terapêuticos. Neste contexto, a reconstrução da mama compõe etapa fundamental do tratamento por possibilitar recuperação da qualidade de vida e autoestima. A reconstrução pode ser feita de maneira imediata ou tardia. Este estudo traça o perfil das reconstruções tardias da mama, que foram realizadas no período de 1 ano no Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Walter Cantídio.

Palavras-chave: Mama; Neoplasias da mama; Implante mamário; Mastectomia; Mamoplastia

 

Retalho plantar medial nas reconstruções de calcâneos pós-ressecção de melanoma acral: série de casos

SUELEN RIOS DE MELO; MARCUS VINICIUS PONTE DE SOUZA; FERNANDO GOMES BEZERRA RIBEIRO; KARINE LORENA SOUSA QUEIROZ
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):55-57

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O melanoma cutâneo é classificado em quatro subtipos principais, sendo o melanoma lentiginoso acral, o subtipo mais raro, ocorrendo em 60% dos casos na superfície plantar, sendo o mais agressivo dentre os melanomas. O tratamento cirúrgico do melanoma acral é um grande desafio técnico para o cirurgião, visto que a cobertura do pé e, especialmente, da região do calcâneo apresenta alto grau de especialização dos tecidos envolvidos, além de imobilização dos tecidos adjacentes, tornando complexa essa reconstrução cirúrgica. Outro desafio é a ressecção da lesão, cujo objetivo é a cura e evitar a recorrência local. Este trabalho tem por objetivo relatar uma série de 3 casos de melanoma acral restritos a região do calcâneo, que foram submetidos à reconstrução imediata com retalho plantar medial que apresentaram satisfatório resultado funcional e estético.

Palavras-chave: Calcâneo; Melanoma; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Retalhos cirúrgicos; Retalho perfurante

 

Reconstrução de concha auricular anterior com retalho auricular posterior ilhado: relato de caso

SUELEN RIOS DE MELO; MARCUS VINICIUS PONTE DE SOUZA; FERNANDO GOMES BEZERRA RIBEIRO; KARINE LORENA SOUSA QUEIROZ
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):58-60

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Aproximadamente 5-8% dos tumores cutâneos malignos da cabeça e pescoço localizam-se no pavilhão auricular, sendo a maioria classificados como carcinomas basocelulares (75%), seguidos dos carcinomas espinocelulares (25%). Diversas são as opções cirúrgicas para restaurar a integridade anatômica da orelha. Relatamos um caso de um paciente que apresentou carcinoma basocelular, localizado na concha do pavilhão auricular esquerdo e parte do conduto auditivo externo, de aproximadamente 3cm de diâmetro, que foi submetido à reconstrução imediata, em tempo único, através do uso do retalho auricular posterior ilhado, classicamente conhecido como Retalho de Masson, apresentando resultado funcional e estético satisfatório ao paciente.

Palavras-chave: Neoplasias da orelha; Orelha; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Orelha externa

 

Lipoma gigante intermuscular na coxa: um relato de manejo diagnóstico e terapêutico

SÉRGIO AUGUSTO PENAZZI; JOSÉ ROMERO DE ALMEIDA FERREIRA; SAULO MENDES SOBREIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):61-63

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Os lipomas são os tumores de partes moles mais comuns da vida adulta e podem ocorrer em quaisquer áreas que possuam tecido adiposo em sua composição. Contudo, os lipomas ditos gigantes são mais raros e possuem abordagem cirúrgica dificultada devido à respectiva predileção por planos profundos. Assim, nesse relato, apresenta-se o caso bem-sucedido de uma paciente com lipoma gigante intermuscular em coxa direita, cujo diagnóstico, tratamento, prognóstico e desfecho são devidamente discutidos e descritos.

Palavras-chave: Lipomatose; Neoplasias lipomatosas; Cirurgia plástica; Coxas

 

Fechamento de defeito lombar secundário à mielomeningocele baseado nos pedículos secundários do retalho musculocutâneo ilhado reverso do latíssimo do dorso: um relato de caso

GUILHERME FERREIRA SEDÍCIAS; KLEITON CARDOZO BOSCHI; IGOR RUDAH SANTOS SANTANA; JULIA LEAL DANTAS VASCONCELOS; MAYARA RAYSSA DANTAS BORGES; EDILSON XAVIER JUNIOR
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):64-66

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A mielomeningocele ou espinha bífida aberta é uma malformação congênita da coluna vertebral que ocorre nas primeiras quatro semanas de gestação, decorrente do defeito de fechamento do tubo neural. Na atualidade se dispõem de diferentes técnicas reconstrutivas para o fechamento dos defeitos da linha média, tanto cervicais, como torácicos, lombares e sacrais. A eleição da técnica dependerá da natureza do defeito, de seu tamanho e profundidade, do tecido disponível para a reconstrução e das condições clínicas e nutricionais do paciente.
Objetivos: Relatar um caso de um paciente com sequelas de mielomengingocele, cujo tratamento reconstrutivo da úlcera crônica lombar foi realizado com retalho reverso e ilhado do músculo latíssimo do dorso, após múltiplas tentativas de reconstrução com outras técnicas sem sucesso.
Relato de Caso: Uma criança de 7 anos de idade foi encaminhada ao setor de cirurgia plástica, com o objetivo de reconstruir uma grande área ulcerada na região lombar, de forma ovóide, aproximadamente de 10,0cm x 8,0cm, secundária à mielomeningocele.
Discussão: O paciente foi submetido ao fechamento do defeito lombar (úlcera crônica) com retalho musculocutâneo ilhado reverso do latíssimo do dorso.
Conclusão: O uso do retalho do músculo grande dorsal reverso é uma boa opção para a cobertura de grandes defeitos da região toracolombar e o planejamento cirúrgico é simples, seguro e sua morbidade pós-operatória é mínima, atingindo um resultado estético satisfatório tanto para o paciente quanto para o cirurgião plástico.

Palavras-chave: Meningomielocele; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Retalho miocutâneo; Cirurgia plástica; Úlcera cutânea

 

Transplante de linfonodo inguinal associado a retalho abdominal livre, para tratamento de linfedema no membro superior e reconstrução mamária tardia

ANNE KAROLINE GROTH; ANDRÉ PAZIO; BRUNO ZAMPIERI DE PIERI; WILLIAM ITIKAWA; BRUNO CESAR LEGNANI; THAYLINE CAMARGO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):67-70

PDF Português Texto em Português

RESUMO

A principal causa de linfedema no membro superior é o tratamento do câncer de mama. Dentre as modalidades cirúrgicas para o tratamento do linfedema temos a transferência de cadeias linfáticas vascularizadas para o local afetado. O objetivo deste trabalho é demonstrar a técnica modificada de reconstrução mamária tardia, utilizando os retalhos msTRAM e DIEP, com transplante de linfonodo da região inguinal no serviço de Cirurgia Plástica Reparadora do Hospital Erasto Gaertner. No período de junho de 2016 a fevereiro de 2019, 5 pacientes foram submetidas à reconstrução tardia de mama com retalho abdominal livre associado à transferência de cadeira linfonodal inguinal com melhora dos sintomas e redução da circunferência do membro afetado. O transplante autólogo de linfonodos da região inguinal para a axila pode melhorar a drenagem linfática da área afetada e é uma técnica segura para ser realizada juntamente com a reconstrução microvascular de mama, utilizando retalhos abdominais.

Palavras-chave: Linfedema; Neoplasias da mama; Microcirurgia

 

Reconstrução de asa nasal com enxerto composto auricular. Experiência do Serviço de Cirurgia Plástica do Professor Ronaldo Pontes

LUIS ALEJANDRO VARGAS GUERRERO; GISELA HOBSON PONTES; RONALDO PONTES; JANET JESÚS CEVALLOS MESÍAS; CAMILA ARAÚJO GOMES; CAROLINA TAKAHASHI RODRIGUES PINTO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):71-73

PDF Português Texto em Português

RESUMO

A asa nasal é uma subunidade estrutural do nariz com grande importância estética e funcional. As assimetrias nas asas nasais são facilmente perceptíveis gerando desconforto social para os pacientes. Além disso, o comprometimento anatômico destas estruturas também prejudica a função da valva nasal externa. Pela sua localização, o nariz é uma estrutura especialmente susceptível ao trauma e aos tumores cutâneos. Desta forma, é frequente encontrar pacientes com deformidades nesta área. As asas nasais são formadas por quatro camadas anatômicas: forro nasal, tecido conjuntivo, cartilagem e pele. Cada uma destas camadas é importante na reconstrução para evitar contraturas cicatriciais e para manter a permeabilidade nasal. Descritos pela primeira vez em 1902 por Koenig, os enxertos compostos constituem uma excelente alternativa para a reconstrução de pequenos e médios defeitos de espessura total nas asas nasais. Neste artigo apresentamos 3 pacientes, os quais foram utilizados enxertos compostos para reconstruir as asas nasais.

Palavras-chave: Deformidades adquiridas nasais; Nariz; Reconstrução; Neoplasias nasais; Orelha externa

 

Epidermólise bolhosa em recém-nascidos no Hospital de Base Ary Pinheiro: relato de três casos

HUGO ROGERIO NUNES; ALINE BETTKER; TIAGO COSTA AMARAL; RODOLFO LUIS KORTE; FLAVIA LENZI; EDUARDO LUIS FARINA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):74-76

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Epidermólise bolhosa é uma desordem genética que promove o desenvolvimento de bolhas ao trauma mecânico e ao atrito. As alterações fisiopatológicas são devido às anormalidades estruturais e bioquímicas no colágeno.
Objetivo: Descrever três casos de epidermólise bolhosa e o tratamento realizado pelo Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital de Base.
Método: Entre 2017 e 2018 foram identificados três casos de recém-nascidos. Os diagnósticos foram feitos entre o 8º e 12º dia de vida, quando os sintomas foram relatados, sendo iniciado o tratamento após o diagnóstico com o exame dermatológico.
Resultados: foram realizadas medidas de restrição aos movimentos para evitar trauma e atrito, curativos com silicone, uso de corticoide tópico e vitamina E.
Discussão: O diagnóstico em recém-nascidos depende principalmente da manifestação dos sintomas nos primeiros dias de vida e do exame dermatológico.
Conclusão: Observou-se a necessidade de métodos diagnósticos precoces e a utilização de curativos que previnam e tratem as lesões existentes.

Palavras-chave: Anormalidades da pele; Doenças da pele e do tecido conjuntivo; Epidermólise bolhosa distrófica; Dermatopatias vesiculobolhosas; Mecanismos defensivos e curativos; Epidermólise bolhosa

 

Relato de caso: ferimento complexo de nariz

LEANDRO DEBS PROCOPIO; ELSON ADORNO TAVEIRA; TIAGO COSTA AMARAL; HUGO ROGÉRIO NUNES-FILHO; ALINE BETTKER; RODOLFO LUIS KORTE
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):77-79

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: O nariz é de vital importância por ser estrutura única e localizada na porção central da face, contribuindo na estética facial e na identidade do indivíduo. Sua funcionalidade depende da integridade dos diferentes tecidos que o compõem.
Objetivo: Apresentamos neste relato de caso uma paciente vítima de trauma corto-contuso em face, ocasionado por arma branca, onde o nariz ficou pediculado à face apenas pela columela, tendo como único pedículo vascular, a artéria columelar.
Método: Foi optado por reconstrução primária da lesão, e mesmo com comprometimento severo da irrigação, evoluiu com vitalidade total do retalho.
Conclusão: A utilização de terapia medicamentosa local e sistêmica podem ter influenciado na preservação dos tecidos. A abordagem e conduta iniciais demonstraram que em traumas extensos de face acometendo o nariz, a reconstrução com segmento afetado deve ser tentada, mesmo com pedículos vasculares pequenos, uma vez que a irrigação nasal e da face compreende vários pedículos vasculares.

Palavras-chave: Retalho miocutâneo; Deformidades adquiridas nasais; Irrigação sanguínea; Cavidade nasal; Face; Ferimentos e lesões; Traumatismos faciais

 

Retalho de omento maior como opção para prevenção da mediastinite nos casos de deiscência da esternotomia

AMRO YOUSEF AHMAD ARIKAT; MARCELO LOPES DIAS KOLLING; LORENZO CATUCCI BOZA; FELIPE FERREIRA LARANJEIRA; PAULO EDUARDO MACEDO CARUSO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):80-82

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O retalho de omento possui características muito adequadas à cirurgia reconstrutiva. Seu comprimento possibilita a cobertura de defeitos relativamente distantes de seu pedículo, além da possibilidade de cobertura de grandes áreas cruentas ou irregulares, devido à ampla vascularização e arco de rotação bastante versátil, quando realizada secção terminal de uma das artérias gastroepiplóicas, preferencialmente à esquerda9. São particularmente úteis em casos de esternotomias infectadas10 ou mediastinite pós-cirurgias cardíacas, em que as áreas cruentas são muito extensas e necessitam de tecido bem vascularizado para sua cobertura11-14, como no caso apresentado.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Omento; Esternotomia; Mediastinite

 

Cobertura de úlcera de pressão em região sacral com retalho de avanço em V-Y bilateral

ANDRÉ VALIENTE NECTOUX; MARCELO LOPES DIAS KOLLING; BIANCA ZANETTE DE ALBUQUERQUE; PEDRO RIVERA FERNANDES SEVERO; LUCAS TOMKOWSKI CANCIAN; DOUGLAS WESTPHAL
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):83-85

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A úlcera de pressão é uma condição frequente em pacientes restritos ao leito. O objetivo deste estudo é apresentar o resultado do tratamento cirúrgico de uma escara sacral, onde foi realizado retalho fasciocutâneo em V-Y bilateral, discutindo as opções terapêuticas disponíveis para úlcera de pressão e as vantagens do tratamento realizado.
Relato de caso: Paciente do sexo masculino, 70 anos de idade, portador de adenocarcinoma de pulmão, apresentava úlcera de pressão em região sacral. Foi submetido à cobertura da ferida por meio do retalho fasciocutâneo de aproximação. A evolução pós-operatória foi favorável, não havendo complicações ou intercorrências.
Discussão: A técnica relatada apresentou uma boa opção com resultado satisfatório para a cobertura de úlcera sacral.

Palavras-chave: Úlcera por pressão; Retalhos cirúrgicos; Região sacrococcígea

 

Lipoaspiração: métodos disponíveis e vantagens da técnica com seringa

CAROLINE BATTISTI; THIAGO MELO DE SOUZA; FLAVIO DE FREITAS; LEONARDO MILANESI POSSAMAI; NIVEO STEFFEN; PEDRO BINS ELY
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):86-88

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Apesar do desenvolvimento de tecnologias associadas à lipoaspiração, os estudos não comprovaram o benefício das novas tecnologias em comparação à lipoaspiração com seringa e a lipoaspiração tradicional. Além disso, a lipoescultura com seringa parece ter algumas vantagens claras, como menor custo e maior disponibilidade. Objetivo do estudo é revisar os métodos históricos e atuais de lipoaspiração, com destaque para a técnica com seringa. Ainda não há evidência científica que comprove o benefício do uso de tecnologias na lipoescultura. Destacam-se os benefícios do custo e acessibilidade da lipoescultura com seringa, trazendo resultados satisfatórios com o treinamento e cuidados adequados.

Palavras-chave: Lipectomia; Seringas; Lasers; Gordura subcutânea; Desenvolvimento tecnológico

 

Reconstrução do nervo interósseo posterior através de enxerto autólogo: relato de caso

FELIPE FERREIRA LARANJEIRA; ROLANDO MENDOZA ROMERO; GABRIELA DIESEL SILVEIRA; MIGUEL HENRIQUE RIVERA GÓMES; MARCOS RICARDO DE OLIVEIRA JAEGER
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):89-91

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Lesões de extremidades são comuns em traumatismos cortocontusos. Ferimentos a nível do septo intermuscular, que divide a loja extensora da flexora no antebraço, podem atingir o principal ramo extensor do nervo radial, o nervo interósseo posterior (NIP). Estas lesões possuem uma reconstrução desafiadora, pois o NIP costuma ramificar-se neste nível. O objetivo do presente relato é demostrar como a reparação do NIP pode ser realizada com enxerto do nervo cutâneo lateral do antebraço com sucesso

Palavras-chave: Nervos periféricos; Ferimentos penetrantes; Sobrevivência de enxerto; Cirurgia plástica; Microcirurgia

 

Reação tecidual como causa do linfoma mamário

MARCELO LOPES DIAS KOLLING; PAULA GIRELLI; ROLANDO MENDOZA ROMERO; GABRIELA DIESEL SILVEIRA; PAULO EDUARDO MACEDO CARUSO; MARCOS RICARDO DE OLIVEIRA JAEGER
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):92-95

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O linfoma primário de mama se insere como uma entidade rara que representa a minoria tanto dos linfomas não-Hodgkin (menos de 1%), quanto das neoplasias de mama (entre 0,7 e 0,04% da totalidade)1,2,3,4. Destes, 90% são linfomas de celularidade B e, apenas 10% de T, dentre os quais encontra-se o linfoma anaplásico de grandes células (LAGC)1,5. Apesar da crescente relevância desta neoplasia, em raros países os cirurgiões plásticos a incluem como uma possível complicação em seus termos de consentimento pré-operatório6.

Palavras-chave: Implante mamário; Linfoma anaplásico de células grandes; Próteses e implantes; Seroma; Patologia

 

VRAM - opção no tratamento da deiscência de esternotomia em paciente com obesidade mórbida

MARCELO LOPES DIAS KOLLING; CAMILA TLUSTAK SOARES; FELIPE FERREIRA LARANJEIRA; PAULO EDUARDO MACEDO CARUSO; MILTON PAULO DE OLIVEIRA; MARCOS RICARDO DE OLIVEIRA JAEGER
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):96-98

PDF Português Texto em Português

RESUMO

As complicações de ferida operatória após esternotomia para acesso cirúrgico e procedimentos cardiovasculares variam desde pequenas deiscências até mediastinite e osteomielite do esterno. Uma opção de tratamento envolve o amplo desbridamento cirúrgico da ferida em centro cirúrgico, preparo do leito da ferida, seguida do fechamento da ferida com retalhos miocutâneos ou fasciocutâneos. Em pacientes obesos, sobretudo do sexo feminino com mamas gigantes, a utilização do retalho peitoral bilateral, e a utilização do retalho de epíplon, outras opções nos casos de esternotomia com deiscência e risco de infeção, podem acarretar grande morbidade na zona doadora. Demonstrou-se, neste compêndio, a utilização do retalho miocutâneo vertical de reto abdominal como opção no tratamento da esternotomia, que sofreu deiscência em paciente do sexo feminino e que apresentava também obesidade e gigantomastia; permitindo o fechamento da esternotomia que sofreu deiscência.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Reconstrução; Esternotomia; Infecção da ferida operatória

 

Uso do retalho superomedial para reconstrução perineal

PAULO EDUARDO MACEDO CARUSO; MIGUEL ENRIQUE RIVERA GOMEZ; MARIANA RODRIGUES DE SOUSA REBELATO; MARCELO LOPES DIAS KOLLING; FELIPE FERREIRA LARANJEIRA; MILTON PAULO DE OLIVEIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):99-101

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A gangrena de Fournier é uma doença infecciosa de início insidioso, rapidamente progressiva e agressiva. Existem várias técnicas possíveis, como enxertos cutâneos, retalhos miofasciocutâneos e fasciocutâneos, além do fechamento primário da lesão, se viável. O retalho fasciocutâneo superomedial da coxa é uma opção muito utilizada, devido ao fato de apresentar bons resultados estéticos e funcionais, além de simples execução.
Relato de caso: Paciente masculino, 62 anos, encaminhado após desbridamento por gangrena de Fournier. Foi realizado cirurgia para reconstrução de períneo, sendo usado retalho superomedial de coxa bilateral.
Discussão: O retalho fasciocutâneo superomedial da coxa foi descrito por Hirshowitz, et al., como sendo um retalho provavelmente arterial, localizado na curvatura medial da coxa. Possui boa espessura, facilidade de rotação, excelente aspecto estético e complicações como necrose são muito raras, devido à rica vascularização que o torna muito seguro, inclusive em pacientes diabéticos e portadores de vasculopatias.

Palavras-chave: Gangrena de Fournier; Retalhos cirúrgicos; Extremidade inferior; Reconstrução; Cirurgia plástica

 

Uso do retalho adipofascial reverso para cobertura dos dedos da mão após trauma: relato de caso

PAULO EDUARDO MACEDO CARUSO; DÉBORA KOR; MARCELO LOPES DIAS KOLLING; JOSÉ HENRIQUE GUIMARÃES FLORIANI; JEFERSON LUÍS BRAGA SILVA; MARCOS RICARDO DE OLIVEIRA JAEGER
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):102-103

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Os traumas e patologias relacionadas a mão e punho estão entre as principais causas de afastamento por acidentes de trabalho no Brasil. O desenvolvimento de técnicas cirúrgicas de reconstrução dessa região anatômica é uma busca constante pelos cirurgiões plásticos.
Objetivo: Uso do retalho adipofascial reverso para reconstrução de lesões em região do dorso da mão e dos dedos.
Relato de caso: 28 anos, masculino, com lesão por desenluvamento traumático de múltiplos dedos da mão esquerda. A cobertura cutânea foi planejada para restabelecer a superfície deslizante dos tendões extensores. O retalho adipofascial reverso foi o escolhido para a reconstrução.
Discussão: O papel do cirurgião plástico é buscar uma alternativa de tratamento que possa ser realizado de maneira prática e com um bom resultado pós-operatório.
Conclusão: O uso do retalho adipofascial reverso para cobertura de lesões por desenluvamento das mãos e dos dedos se mostra uma boa para reconstrução.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Deformidades adquiridas da mão; Cirurgia plástica; Reconstrução; Traumatismos da mão; Traumatismos dos dedos

 

Abordagem vertical para mastopexia e redução mamária: sistematização da técnica e análise de resultados

THIAGO MELO DE SOUZA; CAROLINE BATTISTI; NÍVEO STEFFEN; PEDRO BINS ELY
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):104-105

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: Ao longo da história da cirurgia plástica, várias técnicas de mamoplastia redutora e mastopexia foram descritas, sobre a mastopexia/mamoplastia redutora com abordagem vertical, o conceito de ressecção de pele e de tecido mamário pode ser considerado tridimensional: unidimensional se referindo à remoção de pele periareolar; bidimensional incluindo os componentes periareolar e vertical; ou tridimensional ao incluir os componentes periareolar, vertical e horizontal (cicatriz em T, J, L ou T longa).
Método: Pesquisa nas bases de dados Pubmed, Bireme, Scielo.
Conclusão: A técnica de mamoplastia redutora com abordagem vertical apresenta boa aplicabilidade, tanto em mamas de volume expressivo, bem como para correção de mamas com volumes menores. O presente estudo ressalta a importância do diagnóstico pré-operatório para a adequada indicação e abordagem cirúrgica. A manutenção do preenchimento do colo mamário por mais tempo pode ser atribuído à utilização do pedículo inferior (pedículo de Liacyr tipo I).

Palavras-chave: Mamoplastia; Mama

 

Retalho miocutâneo transverso do platisma na reconstrução de defeitos extensos da face após a ressecção oncológica de grandes tumores

HIANGA FAYSSA FERNANDES SIQUEIRA; CARLOS ANSELMO LIMA; CÁIO CÉSAR CHAGAS SANTOS FERNANDES; SCHEILLA KRISTINA MESQUITA SALVIANO; MARTA DÓRIA DOS SANTOS; HITALO GLAUCO FERNANDES SIQUEIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):106-108

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: O câncer de pele localiza-se com mais frequência na face, causando morbidade tanto funcional quanto estética aos pacientes, e a ressecção oncológica da lesão provoca, muitas vezes, grandes defeitos que necessitam de reconstruções complexas. O retalho miocutâneo transverso do platisma, apesar de pouco relatado na literatura, mostrouse uma boa opção para a reconstrução de perdas do terço médio e inferior da face.
Método: Neste estudo foram relatados 2 casos de pacientes com lesões extensas em hemiface, resultando em grandes defeitos, que foram cobertos com o retalho miocutâneo transverso do platisma.
Resultados: Não houve complicações pós-operatórias e os retalhos evoluíram com boa perfusão sem áreas de necrose.
Conclusão: O retalho miocutâneo transverso do platisma, mostrou-se uma excelente opção para cobertura de grandes defeitos em terço médio e inferior de face.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Neoplasias de cabeça e pescoço; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Músculos do pescoço; Neoplasias cutâneas

 

Abordagem cirúrgica do pescoço alado em uma paciente com Síndrome de Turner: relato de caso

HIANGA FAYSSA FERNANDES SIQUEIRA; JORGE LUIZ DE ALMEIDA TEIXEIRA; INARA SUELANE PONTES NOGUEIRA; MARCOS MARINHO LOPES; ÉRIKA ANDRESSA SIMÕES DE MELO; MARIA EDUARDA DOS SANTOS TAVARES DE LIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):109-111

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Introdução: A síndrome de Turner é uma condição genética que leva a alterações fenotípicas e estéticas no indivíduo. As principais alterações consistem na presença de pescoço alado (Pterygium colli) e no prolongamento do couro cabeludo na face posterior do pescoço. Várias técnicas cirúrgicas foram desenvolvidas para corrigir essas alterações, contudo ainda não há um consenso sobre a melhor abordagem.
Objetivo: Relatar o uso da zetaplastia escalonada para a correção cirúrgica do pescoço alado.
Método: Trata-se de um relato de caso de uma paciente com diagnóstico de síndrome de Turner, apresentando pescoço alado, cuja técnica cirúrgica utilizada foi a zetaplastia escalonada.
Resultados: A correção resultou em um bom contorno cervical, sem restrição da movimentação. Todavia apresentou como desvantagens, a cicatriz aparente e hipertrófica e o deslocamento do couro cabeludo para a superfície lateral do pescoço.
Conclusão: A técnica cirúrgica escolhida permitiu uma redução efetiva do pescoço alado, mas apresentou algumas desvantagens.

Palavras-chave: Síndrome de Turner; Cirurgia plástica; Retalhos cirúrgicos; Anormalidades congênitas; Anormalidades da pele

 

Tratamento cirúrgico de hidradenite supurativa com retalho fasciocutâneo torácico lateral anterior: relato de caso

CARLOS HENRIQUE DOS REIS CONTE; RODRIGO LEONARDO PASSOS CARVALHO BAHIA SAPUCAIA; EWALDO BOLIVAR DE SOUZA PINTO; CESAR AUGUSTO RAIZER COSSIO; PAULO RICARDO NUNES DA ROCHA; MARCOS ANTENOR STORION
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):112-114

PDF Português Texto em Português

RESUMO

A hidradenite supurativa é uma patologia inflamatória crônica, resultante da obstrução folicular dos ductos das glândulas sudoríparas. De difícil controle, muitas vezes não responde as terapias evoluindo para formas mais severas, sendo necessário procedimento cirúrgico. Este estudo tem por objetivo relatar um caso de paciente admitido no Serviço do Hospital Santo Amaro, apresentando hidradenite supurativa em MSD, com sinais flogístico de infeção local edemaciado, hiperemiado, com presença de secreção purulenta espessa com loja e fistula, foi classificado no score Hurley com Classificação III, o que resultou em procedimento cirúrgico para ressecção de tecido envolvendo a hidradenite supurativa e uso de retalho fasciocutâneo torácico lateral anterior. O uso do retalho fasciocutâneo torácico lateral anterior, no tratamento cirúrgico de hidradenite superativa em região axilar, promoveu um resultado satisfatório, eficiente e eficaz. No procedimento cirúrgico é um retalho de fácil acesso e agiliza o procedimento

Palavras-chave: Hidradenite supurativa; Glândulas sudoríparas; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

Avaliação de alterações ultrassonográficas em pré-operatório de pacientes eletivas à cirurgia de lipoabdominoplastia

IGOR LUCIANO ROCHA FAILLACE; EWALDO BOLIVAR DE SOUZA PINTO; LINDA MAR PARADA ROBERTS MUNIZ; PEDRO ANTONIO CORDOVA ROCHA; RAFAEL CORDEIRO PUHL; JEAN HENRIQUE AKEO TANAKA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):115-116

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Com grande importância nos exames pré-operatórios de lipoabdominoplastia, a ultrassonografia torna-se um importante método para gerar mais segurança e evitar complicações. Tendo em vista os avanços das técnicas em lipoabdominoplastias e o drástico aumento no número de realizações deste procedimento cirúrgico, procuramos avaliar as alterações ultrassonográficas em pacientes que realizaram exames pré-operatório para realização de lipoabdominoplastia. Foi realizado exame físico detalhado, assim como a realização de exame ultrassonográfico de abdome e de parede abdominal de todos os pacientes que foram submetidos à lipoabdominoplastias, sendo avaliado características como sexo, idade e alterações encontradas no exame de ultrassonografia de abdome e de parede abdominal. Referente ao presente estudo, podemos observar que a grande maioria dos pacientes são do sexo feminino, sendo a idade mais prevalente entre 31 a 35 anos. A mais frequente é a diástase abdominal, representando 24% desses resultados; e, 30% apresentando status pós-cirúrgico de colecistectomia.

Palavras-chave: Abdominoplastia; Ultrassom

 

Diagnóstico de linfoma não-Hodgkin de órbita após blefaroplastia: relato de caso

RAFAEL CORDEIRO PUHL; LINDA MAR PARADA ROBERTS MUNIZ; EWALDO BOLIVAR DE SOUZA PINTO; HERALDO CARLOS BORGES INFORZATO; LUIZ AUGUSTO DA COSTA DEPIERI; MARIA ANGÉLICA LOPEZ GOMES PEREIRA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):117-120

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O linfoma na~o-Hodgkin é a neoplasia maligna orbitária mais frequente. O subtipo mais comum é o linfoma extranodal da zona marginal do tecido linfoide associado à mucosa (MALT). O prognóstico geralmente é bom, e esta doença é tratada usualmente só com radioterapia. É relatado uma portadora de MALT, descoberto a partir de queixas como a proptose e "bolsões" na pálpebra inferior. A biópsia de gordura orbitária revelou se tratar de um linfoma MALT. Quando são tumores primários, ocorrem com maior frequência na órbita, seguindo-se de conjuntiva, pálpebras, glândula lacrimal e carúncula. Um crescimento anormal na órbita resulta em sintomas que levam à diagnósticos e tratamentos precoces. O quadro clínico, o hemograma e a imunofenotipagem são a principal avaliação diagnóstica. A biópsia da lesão é essencial para o tratamento. Diagnóstico precoce pode resultar em um prognostico excelente. É importante o cirurgião plástico saber fazer um diagnóstico diferencial.

Palavras-chave: Linfoma não-Hodgkin; Linfoma de zona marginal tipo células B; Doenças palpebrais; Neoplasias orbitárias; Blefaroplastia

 

Análise comparativa de dados antropométricos e adipométricos de pacientes em pré e pós-operatório de lipoabdominoplastia

LINDA MAR PARADA ROBERTS MUNIZ; RAFAEL CORDEIRO PUHL; PAULO RICARDO NUNES DA ROCHA; PEDRO ANTONIO CORDOVA ROCHA; IGOR LUCIANO ROCHA FAILLACE; EWALDO BOLIVAR DE SOUZA PINTO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):121-123

PDF Português Texto em Português

RESUMO

O método das dobras cutâneas tem como objetivo predizer a gordura corporal relativa (GCR) e a massa gorda (MG), através de equações de regressão. É feita a mensuração da espessura de dobras cutâneas em diferentes pontos anatômicos, para ter uma visão mais clara da distribuição da gordura. A lipoabdominoplastia baseiam-se no não descolamento do retalho abdominal, preservando os vasos perfurantes e linfáticos. Ela promove o tratamento da adiposidade tracionando mais amplamente as áreas mais altas, proporcionando uma silhueta mais harmoniosa. Foram selecionadas 29 pacientes, submetidas as mesmas à analise dos dados antropométricos e adipométricos no momento dos exames pré-operatório, e após, seguimento no pós-operatório. Foi verificado que houve diminuição dos parâmetros no pós-operatório, exceto na adipometria do bíceps e tríceps, as quais praticamente houve manutenção das medidas. Conseguimos verificar que com a cirurgia de lipoabdominoplastia, os pacientes obtém resultados expressivos, com redução de praticamente todas as medidas abordadas.

Palavras-chave: Antropometria; Cirurgia plástica; Abdominoplastia; Lipectomia

 

Onfaloplastia com reconstrução em retalho de rotação: relato de caso

RAFAEL CORDEIRO PUHL; PEDRO ANTONIO CORDOVA ROCHA; LINDA MAR PARADA ROBERTS MUNIZ; MARCO ANTONIO DE ALMEIDA FELICIO MARÇON; IGOR LUCIANO ROCHA FAILLACE; EWALDO BOLIVAR DE SOUZA PINTO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):124-125

PDF Português Texto em Português

RESUMO

Objetivo: Relatar um caso de onfaloplastia.
Relato de Caso: Paciente do gênero feminino, J.P.O., de 30 anos, atendida no Serviço de Cirurgia Plástica Dr. Ewaldo Bolivar, com queixa de "umbigo grande".
Conclusão: Cirurgia realizada no Santos Day Hospital, utilizando técnica em retalho semicircular, evoluindo com satisfação o total da paciente.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Umbigo; Cicatriz

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons