ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Previous Article Next Article

Articles - Year 2019 - Volume 34 - (Suppl.3)

http://www.dx.doi.org/10.5935/2177-1235.2019RBCP0159

RESUMO

Introdução: O transplante capilar evoluiu muito na última década. Os estudos sobre os fatores do crescimento dos folículos transplantados e o surgimento de novos instrumentos cirúrgicos contribuíram para a obtenção de resultados naturais. A utilização de agulhas modificadas com implanters 0,8mm é mais um avanço para diminuir o trauma cirúrgico e atingir uma alta densidade folicular por centímetro quadrado.
Objetivo: Mostrar mais uma técnica no transplante capilar que facilite a criação de alta densidade capilar e crescimento desses fios transplantados.
Método: Foram avaliados 71 pacientes operados pelo mesmo cirurgião e acompanhados por um ano após o transplante capilar.
Resultados: Os resultados pós-operatórios foram considerados satisfatórios pelos pacientes e pela equipe cirúrgica.
Conclusão: É possível afirmar que houve uma taxa relevante de sucesso tanto no alcance das ufs por centímetro quadrado durante o procedimento, quanto no crescimento dos fios transplantados após um ano do procedimento.

Palavras-chave: . Transplante; Alopecia; Agulhas; Doenças do cabelo; Instrumentos cirúrgicos; Couro cabeludo


INTRODUÇÃO

Na última década, o resultado do transplante capilar evoluiu mais para naturalidade. A utilização de implanters, agulhas de calibre menor e microlâminas 0,7mm contribuíram para o alcance de densidade de unidades foliculares (ufs) acima de 45 por centímetro quadrado. Quanto menor o orifício de entrada dos folículos, menor será o trauma local e, consequentemente, menor o dano à unidade folicular, favorecendo um ambiente mais propício ao seu crescimento1,2,5,6,8,9,10,11,12,13,14.

O alcance de alta densidade capilar na área a ser transplantada dependerá de muitos fatores, desde os relacionados ao paciente até a experiência na execução da equipe cirúrgica.

Esse artigo mostrará a experiência da equipe utilizando uma técnica de implantação com agulhas modificadas e implanters para criar densidade capilar acima de 50ufs/cm2.

OBJETIVO

Mostrar mais uma técnica no transplante capilar que facilite a criação de alta densidade capilar e o crescimento desses fios transplantados.

MÉTODO

Setenta e um pacientes foram submetidos a transplante capilar pela técnica follicular unit extraction (FUE), realizado pelo mesmo cirurgião, de fevereiro de 2017 a fevereiro de 2018. As cirurgias foram realizadas sob anestesia local e sedação, com alta para o domicílio após duas horas do término da cirurgia.Os pacientes operados apresentavam graus variados de calvície androgenética, com classificação de Norwood entre os graus III a VII. Todos foram acompanhados em consultas após períodos de 30, 90, 180 e 365 dias e orientados a manter o uso de finasteride 1mg/dia e solução de minoxidil 5% duas vezes ao dia no couro cabeludo.

Técnica cirúrgica

Área doadora

Foi realizada infiltração com xilocaína a 0,5% com adrenalina diluída a 1:200.000. Realizada extração folicular pela técnica FUE motorizada somente com punches 0,9mm ou 0,95mm (confirmado pela medida do especímetro), escolhidos de acordo com o calibre da haste do cabelo do paciente (Figura 1).

Figura 1 - Mensuração da haste capilar com especímetro.

Área receptora

O bloqueio anestésico regional em arco, fora da região onde são colocados os enxertos, foi feito com ropivacaína 5mg/ml. Toda a área receptora foi infiltrada com soro ringer lactato diluído em 1:200.000 de adrenalina.

Colocação dos enxertos

A equipe utiliza somente a técnica stick and place, com implanter de 0,8mm (marca Lion) e agulhas anguladas 22G (0.73mm) para a colocação das unidades foliculares em áreas calvas que precisem de uma densidade acima de 50ufs/cm2 (Figura 2). O movimento na implantação de ufs é realizado com as duas mãos (Figuras 3 e 4)9.

Figura 2 - Implanter 0,8mm Lion e agulha modificada 22G.

Figura 3 - Incisão com agulha 22G (0,7mm) modificada em 90 graus com tração caudal e tracionamento caudal da agulha com uma das mãos pelo cirurgião enquanto que, com a outra mão, inicia a entrada do implanter 0,8mm.

RESULTADOS

Resultado pré e pós depois de uma sessão de transplante capilar FUE

Um total de 71 pacientes foram operados utilizando a técnica stick and place com implanter 0,8mm e agulha 22G angulada. A quantidade de ufs totais transplantadas por paciente variou de 1.550 a 4.250. A elaboração da implantação em zonas calvas de alta densidade teve variação de 50 a 77ufs/cm2 (Figura 5).

Figura 4 - Retirada da agulha com entrada simultânea do implanter na pele.

Figura 5 - Mensuração da densidade transplantada em 1cm2.

Na grande maioria dos pacientes as crostas caíram entre 5 e 12 dias e o retorno do paciente à sua rotina de trabalho iniciou entre o segundo e o quarto dia após a cirurgia.

Os resultados foram considerados naturais e com boa densidade por todos os pacientes, porém três deles (4,2%) tiveram áreas de baixo crescimento quando analisadas na tricoscopia pelo cirurgião. Um referiu ter “arrancado as crostas” no pós-operatório e nos outros dois a causa não foi estabelecida.

DISCUSSÃO

Atualmente existem muitos estudos tentando determinar fatores que interfiram no crescimento dos folículos transplantados8. Sejam eles intrínsecos, do paciente, ou relacionados à técnica escolhida na execução do transplante capilar.

A relação entre transplantar muitas unidades foliculares por centímetro quadrado e o seu total nascimento ainda não está estabelecida8. Acredita-se que ao se analisar os fatores do paciente no exame da tricoscopia, tais como o calibre dos fios, o contraste da cor do cabelo com o couro cabeludo, o tipo da haste, se é ondulada ou lisa e a densidade capilar na região vizinha que receberá as novas unidades foliculares, somado a uma execução refinada da técnica do transplante capilar, corroborem para um resultado natural com o crescimento máximo dos novos fios de cabelo.

Alguns autores relatam transplantar mais de 60ufs/cm2 em seus procedimentos com crescimento favorável após 1 ano1,2. Vale ressaltar que existe muita controvérsia em relação ao número ideal de ufs/cm2 transplantadas na área calva quando se estuda o crescimento dessas unidades3,4,5,8,12.

Outros estudos demonstram o quanto a unidade folicular é delicada. Desde a etapa da sua extração, meio de conservação, temperatura de sala, técnica de extração FUE ou FUT (follicular unit transplantation), o tempo até ser implantado, o número de ufs/cm2, o instrumento utilizado são alguns fatores que contribuem para o crescimento dos fios no pós-operatório.

É importante salientar a distinção entre a definição do número de folículos transplantados por centímetro quadrado com a taxa de crescimento final do número de fios por centímetro quadrado3,8,12. Geralmente, cabelos claros e finos, requerem uma densidade acima de 50ufs/cm2 e com relação acima de dois fios por unidade folicular transplantada para proporcionar um resultado de aspecto natural.

Para minimizar o trauma, o instrumento deve idealmente mimetizar o formato e o tamanho do enxerto13,14. Deve-se considerar que são confeccionados milhares de punções, e quanto menor o trauma aos tecidos, melhor a integração dos enxertos1,4,5,6,7,8,9,12.

“Uma boa ferramenta para atingir alta densidade de ufs por centímetro quadrado é a utilização conjunta dos implanters associados a agulhas modificadas em ângulos de 90 graus. Essa associação traz a vantagem de incisar a pele com facilidade no sentido coronal, permitir o leve tracionamento da pele pelo cirurgião (sentido sagital), dilatar o orifício de implantação momentaneamente e introduzir o implanter sem causar sangramentos ou popping. O resultado é um menor trauma vascular e melhor crescimento dos folículos” 9 .

CONCLUSÃO

Após acompanhar um ano de evolução de 71 pacientes submetidos a transplante capilar com a implantação em alta densidade, acima de 50ufs/cm2, com a técnica stick and place com implanters 0,8mm e agulhas 22G modificadas, é possível afirmar que houve uma taxa relevante de sucesso tanto no alcance das ufs por centímetro quadrado durante o procedimento, quanto no crescimento dos fios transplantados após um ano do procedimento.

REFERÊNCIAS

1. Wells A. Uso de lâminas de 0,7 a 1mm de largura e incisões coronais no transplante capilar: Tática cirúrgica para melhorar a densidade e naturalidade. Rev Bras Cir Plást. 2013;28(4):593-8.

2. Beehner M. Focal dense-packing in hair transplantation. Hair Transplant Forum Int. 2008;18(1):6-7.

3. Tsilosani A. One Hundred Follicular Units Transplanted into 1cm2 Can Achieve a Survival Rate Greater than 90%. Hair Transplant Forum Int. 2009;19(1):7.

4. Radwanski HN, Rouston A, Lemos RG. Transplante Capilar: Arte e Técnica. In: Gandelman M. Fatores Envolvidos no Crescimento Capilar. 1a ed. São Paulo: Roca; 2011. p.XXX-XXX.

5. Vieira R. Stick and Place with Dull Needle Implanters. A new approach. Hair Transplant Forum Int. 2017;27(4);145-6.

6. Parsley WM, Perez-Meza D. Review of Factors Affecting the Growth and Survival of Follicular Grafts. J Cutan Aesthetic Surg. 2010 May/Aug;3(2):69-75.

7. Patwardhan N, Venkataram M, IADVL Dermatosurgery Task Force. Hair Transplantation: standard guidelines of care. Indian J Dermatol Venereol Leprol. 2008 Jan;(Suppl 74):S46-53.

8. Shapiro R. Comparing Techiniques in Hair Transplantation. Hair Transplant Forum Int. (22);33.

9. Vieira, R. Alcançando Alta Densidade Capilar com Implanters e Agulhas Modificadas. 14a ed. O Folículo; 2018.

10. Cooley JE. Achieving Optimal Growth. In: Haber RS, Stough DB, editor. Hair Transplantation. 1a ed. China: Elsevier. 2006;14:111-6.

11. Bernstein RM, Rassman WR. Follicular Unit Transplatation. In: Haber RS, Stough DB, editors. Hair Transplantation. 1a ed. Philadelphia: Elsevier Sauders; 2006. p.91-8.

12. Jiménez F, Poblet E. Gross and Microscopic Anatomy of the Follicular Unit. In: Haber R, Stoug DB, editors. Hair Transplantation. 1a ed. China: Elsevier; 2006. p.35.

13. Speranzini M. FUE Graft placement with dull needle implanters into premade sites. Hair Transplant Forum Int. 2016;26(2):49,53-6.

14. Lorenzo J. Introduction to the use of implanters. Hair Transplant Forum Int. 2011;21(4):121-2.











1. Associação Brasileira de Cirurgia da Restauração Capilar, Curitiba, PR, Brasil.
2. International Society of Hair Restoration Surgery, Geneva, Illinois, EUA.
3. Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Brasil.
4. Clínica Roberto Vieira, Manaus, AM, Brasil.

Endereço Autor: Roberto Bezerra Vieira, Rua Maceió, 22, Adrianópolis, Manaus, AM, Brasil. CEP: 69057-240. E-mail: contato@clinicarobertovieira.com.br

 

Previous Article Back to Top Next Article

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license