ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

COVID-19: analysis of the risks of operating during the pandemic. What are the real perioperative complications in asymptomatic patients and how to optimize early diagnosis?

THAÍS DE SOUSA GONÇALVES; BRUNA LAGO CHAVES; LIA PATRUS BANNET; SERGIO CARREIRÃO; FARID HAKME

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: Controlling dissemination as well as treating patients infected with the new coronavirus are global challenges. Despite the protocols and guidelines generated by the WHO and the leading medical societies that seek to control the pandemic, there are still few reports in the literature that show complications in the perioperative period of patients, initially asymptomatic, infected by COVID-19. This study aims to offer data to plastic surgeons beyond the scope of aesthetic and reconstructive surgeries.
Methods: A review article was performed after selecting sixteen articles from PubMed. These were analyzed for their type, statistical relevance, number of participants, complications, and reported outcomes.
Results: The mortality rate of patients with COVID-19 undergoing surgical procedures was higher than that estimated in infected patients who did not undergo these procedures. There were also increases in the patient's admission rate to intensive care units and the pulmonary complications rate. The main predictors of mortality were defined, besides the role of chest tomography for the diagnosis of COVID-19 in the perioperative period.
Conclusion: It is essential to understand the risk of operating patients during the pandemic, even if asymptomatic. The increased risk of complications and mortality in elective and emergency surgeries requires disseminating adequate information to both doctors and patients. The objective, therefore, is not to define the medical conduct of surgeons, but to allow analysis in the decision-making process.

Keywords: Coronavirus; Plastic surgery; Postoperative complications; Mortality; Risk; Risk factors.

 

RESUMO

Introdução: O controle da disseminação e o tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus é um desafio global. Apesar de protocolos e orientações geradas pela OMS e principais sociedades médicas visando o controle da pandemia, ainda são poucos os relatos na literatura que mostram as complicações no perioperatório de pacientes, inicialmente assintomáticos, que foram infectados pela COVID-19. O presente estudo objetiva oferecer dados aos cirurgiões plásticos que extrapolam o âmbito das cirurgias estéticas e reconstrutoras.
Métodos: Foi realizado um artigo de revisão após a seleção de dezesseis artigos do PubMed. Estes foram analisados quanto ao seu tipo, relevância estatística, número de participantes, complicações e desfechos relatados.
Resultados: A taxa de mortalidade de pacientes com COVID-19 submetidos a procedimentos cirúrgicos foi superior do que a estimada em pacientes que não foram submetidos a estes procedimentos. Também foram observados aumento na taxa de admissão de pacientes em unidades de terapia intensiva e na taxa de complicações pulmonares. Os principais fatores preditores de mortalidade foram definidos, assim como o papel da tomografia de tórax para o diagnóstico da COVID-19 no perioperatório.
Conclusão: É essencial entender o risco de operar pacientes durante a pandemia, ainda que assintomáticos. O maior risco de complicações e mortalidade em cirurgias eletivas e emergenciais demanda a disseminação de informações adequadas tanto aos médicos quanto aos pacientes. O objetivo, portanto, não é definir a conduta médica dos cirurgiões, mas possibilitar a ponderação no processo de tomada de decisões.

Palavras-chave: Coronavírus; Cirurgia plástica; Complicações pós-operatórias; Mortalidade; Risco; Fatores de risco

 

The importance of informed consent in the return of elective surgeries during the COVID-19 pandemic

JEFFERSON LESSA SOARES MACEDO; SIMONE CORREA ROSA; Altino Vieira de Rezende Filho

PDF Portuguese PDF English

What is the role of rapid diagnostic tests for COVID-19 IgM/IgG in the pre-operative period of cosmetic plastic surgery?

RAFAELA KOEHLER ZANELLA; SIBELIE SOUTO VALENTE; DENIS SOUTO VALENTE

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: The disease by the new coronavirus 2019 (COVID-19) emerged in China and spread globally with sustained worldwide transmission from human to human. The COVID-19 IgM/IgG rapid diagnostic tests performed at the time of hospital admission, before elective surgery, are among the most widely used pre-operative screening methods.
Objectives: This study aims to evaluate the role of the rapid test of COVID-19 antibodies as screening in outpatients in aesthetic plastic surgery. Methods: A systematic review was carried out for studies published since December 2019, with several search terms related to the rapid antibody test for COVID-19 and SARS-CoV-2. The relevant articles were selected through the evaluation of titles and abstracts. Relevant articles have been revised. Data on the level of evidence, sensitivity, and specificity were collected.
Results: The review strategy produced 409 manuscripts. A total of 357 studies were duplicated or proved to be irrelevant to the research question. Among the remaining articles, 28 were studies without precision information, and 24 were manuscripts describing precision measures. The sensitivity varied from 18.4 to 100%; the positive predictive value between 19.7 and 100%; specificity between 94 and 100%; and the negative predictive value between 20 and 100%.
Conclusion: COVID-19 IgM / IgG rapid diagnostic tests may be inaccurate. We found no evidence to support the rapid antibody test COVID-19 or SARS-CoV-2 for outpatients in cosmetic plastic surgery.

Keywords: Coronavirus infections; Pre-operative care; Plastic surgery; Epidemiology; Severe acute respiratory syndrome

 

RESUMO

Introdução: A doença pelo novo coronavírus 2019 (COVID-19) surgiu na China e se espalhou globalmente com transmissão mundial sustentada de humano para humano. Os testes de diagnóstico rápido COVID-19 IgM/IgG realizados no momento da admissão hospitalar, antes de cirurgia eletiva, estão entre os métodos de rastreamento pré-operatórios mais amplamente utilizados.
Objetivos: O objetivo deste estudo é avaliar o papel do teste rápido de anticorpos COVID-19 como triagem em pacientes ambulatoriais em cirurgia plástica estética.
Métodos: Uma revisão sistemática foi realizada para estudos publicados desde dezembro de 2019, com vários termos de pesquisa relacionados ao teste rápido de anticorpos para COVID-19 e SARS-CoV-2. Os artigos relevantes foram selecionados por meio da avaliação de títulos e resumos. Artigos pertinentes foram revisados. Dados sobre o nível de evidência, sensibilidade e especificidade foram coletados.
Resultados: A estratégia de revisão produziu 409 manuscritos. Um total de 357 estudos foram duplicados ou mostraram-se não relevantes para a questão de pesquisa. Entre os artigos restantes, 28 eram estudos sem informações sobre precisão e 24 eram manuscritos descrevendo medidas de precisão. A sensibilidade variou de 18,4 a 100%, o valor preditivo positivo variou entre 19,7 e 100%, a especificidade variou entre 94 e 100%, e o valor preditivo negativo ficou entre 20 e 100%.
Conclusão: Os testes de diagnóstico rápido COVID-19 IgM/IgG podem ser imprecisos. Não encontramos nenhuma evidência para apoiar o teste rápido de anticorpos COVID-19 ou SARS-CoV-2 para pacientes ambulatoriais em cirurgia plástica estética.

Palavras-chave: Infecções por coronavírus; Cuidados pré-operatórios; Cirurgia plástica; Epidemiologia; Síndrome respiratória aguda grave.

 

Impact of the COVID-19 virus pandemic on hospitalizations for skin cancer treatment in Brazil

Isabella de Fátima Vilela; Thiago Roberto Winter de Carvalho; Leonel Ribeiro Silva; Letícia Alves Teófilo; Osíris José Dutra Martuscelli; Diego Filipe da Silva; Douglas Silva Rodrigue; Pamella Costa Andrade

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: COVID-19 virus infection was a severe health impact in 2020. The direct repercussion is easily measured through its morbidity and mortality rates. Its indirect repercussion on health is still little measured, and this is the objective of this study.
Methods: To determine the number of hospitalizations for general treatments, for the treatment of neoplasms and malignant skin cancer in the SUS, from 2008 to 2020, in the department of informatics of the SUS.
Results: The parallelism of the data referring to the three groups selected above allowed to observe a drastic reduction in the number of hospitalizations in the SUS between the same months of 2019 and 2020: a decrease of 10.60% in general hospitalizations, 58.65% in hospitalizations for neoplasia and 156% in hospitalizations for malignant skin cancer. The reduction gradually worsened in 2020 from January. In June 2020, the number of hospitalizations for skin cancer treatment reflected values from 12 years ago.
Conclusion: The follow-up of the historical series of hospitalizations in the SUS provides a tangible value that serves as a basis for understanding the direction of health measures. The indirect implications of COVID-19 may have an outcome as tragic as its mortality, as they impact specialized health services availability. Services of great specialization such as hospital cancer treatment attend complex cases, and their unavailability may reflect an increase in mortality from these causes - an indirect impact of COVID-19.

Keywords: Coronavirus infections; Skin neoplasms; Melanoma; Basal cell carcinoma; Neoplasms.

 

RESUMO

Introdução: A infecção pelo vírus COVID-19 é um impacto severo à saúde no ano de 2020. A repercussão direta é facilmente mensurada através de suas taxas de morbidade e mortalidade. Sua repercussão indireta na saúde ainda é pouco mensurada e este é o objetivo deste estudo.
Métodos: Determinar os números de internações para tratamentos gerais, para tratamento de neoplasias e para câncer de pele malignos no SUS, de 2008 a 2020, no departamento de informática do SUS.
Resultados: O paralelismo dos dados referentes aos três grupos acima selecionados permitiu observar uma redução drástica no número de internações no SUS entre os mesmos meses de 2019 e 2020: queda de 10,60% nas internações gerais, 58,65% nas internações por neoplasia e 156% nas internações por câncer de pele maligno. A redução agravou-se gradativamente no ano de 2020 a partir do mês de janeiro. No mês de junho de 2020, os números de internações para tratamento de câncer de pele refletem valores de 12 anos atrás.
Conclusão: O acompanhamento da série histórica de internações no SUS fornece um valor palpável que serve como base para se compreender o direcionamento das medidas de saúde. As implicações indiretas da COVID-19 podem ter um desfecho tão trágico quanto a sua mortalidade, pois repercutem na disponibilidade de serviços de saúde especializados. Serviços de grande especialização como o tratamento de câncer em caráter hospitalar atendem casos complexos e sua indisponibilidade pode refletir em aumento de mortalidade por estas causas - um impacto indireto da COVID-19.

Palavras-chave: Infecções por coronavírus; Neoplasias cutâneas; Melanoma; Carcinoma basocelular; Neoplasias

 

COVID-19: how to proceed with the practice of plastic surgery in Brazil. What do we know right now?

BEATRIZ LASSANCE BRITO; CESAR ISAAC; DENISE PICCIOLI NEVES; PEDRO GIAVINA-BIANCHI

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

COVID-19 (coronavirus disease, described in 2019) is an infectious disease caused by the severe acute respiratory syndrome coronavirus 2 (SARS-CoV-2). Most confirmed cases are mild or asymptomatic, but the most severe cases can progress to severe pneumonia with respiratory failure and death. In Brazil, there is a scenario of an exponential increase in cases, making it challenging to identify the source of contagion. We cannot yet specify when the peak of the COVID-19 outbreak will occur in our country or when the numbers of new contaminants and deaths will begin to decrease. So, the most important thing is protection against a virus for which all the details about contagion, transmission, and treatment are not known. The pandemic impacted and modified medical care, especially for surgical specialties, where face-to-face care is essential and cannot be replaced entirely by telemedicine. Thus, this review aimed to compile theoretical and practical aspects regarding the pandemic COVID-19 and its impact on plastic surgery activity routine. Protocols are proposed for resuming our routines, analyzing countries' experience at an advanced stage of the pandemic.

Keywords: Coronavirus infections; Surgery, Plastic; Patient safety; Elective surgical procedures; Protective devices; Pandemics.

 

RESUMO

COVID-19 (coronavirus disease, descrito em 2019) é uma doença infecciosa causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2). A maioria dos casos confirmados é leve ou assintomático, mas os casos mais graves podem evoluir para pneumonia grave com insuficiência respiratória e morte. Atualmente ocorre, no Brasil, um cenário de aumento exponencial de casos, dificultando a identificação da fonte de contágio. Ainda não podemos precisar quando ocorrerá o pico do surto de COVID-19 em nosso país ou quando os números de novos contaminados e óbitos começarão a diminuir. Nesse momento, o mais importante é a proteção contra um vírus do qual não se conhece todos os detalhes sobre contágio, transmissão e tratamento. A pandemia impactou e modificou a assistência médica, principalmente das especialidades cirúrgicas, onde o atendimento presencial é fundamental e não pode ser substituído integralmente pela telemedicina. Assim, o objetivo desta revisão foi compilar aspectos teóricos e práticos referentes à pandemia COVID-19 e seu impacto na rotina da atividade da cirurgia plástica. São propostos protocolos para retomada de nossas rotinas, analisando a experiência de países em fase mais adiantada da pandemia.

Palavras-chave: Infecções por coronavírus; Cirurgia plástica; Segurança do paciente; Procedimentos cirúrgicos eletivos; Equipamentos de proteção; Pandemias

 

Covid-19 and Plastic Surgery: a case report of complex wound treatment

HENRIQUE OVIDIO CORASPE GONÇALVES; PEDRO SOLER COLTRO; VINÍCIUS GOMES DA SILVEIRA; DIOGO HUMMEL HOHL; GABRIEL MAZIERO ALVES SILVA; JAYME ADRIANO FARINA-JUNIOR

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: The Covid-19 pandemic significantly changed the routine and work of medical specialties. We report the case of a patient treated by Plastic Surgery who contracted the Sars-CoV-2 virus.
Case report: A 66-year-old man with a complex wound on his ankle was treated with surgical debridement and negative pressure therapy, and subsequently underwent cutaneous wound coverage with a partial skin graft. In the immediate postoperative period, a dry cough started. That same day a positive examination of the new coronavirus was confirmed in another patient who was in the same room. Therefore, we requested PCR testing, which was also positive for the presence of Sars-CoV-2. The patient evolved well, being discharged on the 5th postoperative day, after the removal of Brown's dressing, and returning after the recommended isolation period (14 days).
Discussion: The management of patients who need surgical procedures during a viral pandemic must consider the adoption of preventive measures that reduce the possibility of transmission of the virus. As an example, we mention the reduction in hospital stay, the use of therapies that speed up the therapeutic process, the isolation of the patient on confirmed cases, and the use of personal protective equipment.
Conclusion: Despite the infection of this patient by Sars-CoV-2, we emphasize that the Plastic Surgery team must act early during the treatment process. Such actions reduce the possibility of spreading the new coronavirus to other patients and the healthcare team.

Keywords: SARS virus; Plastic surgery; Coronavirus; Wounds and Injuries; Debridement

 

RESUMO

Introdução: A pandemia decorrente da Covid-19 modificou de forma significativa a rotina e o trabalho das especialidades médicas. Relatamos o caso de um paciente tratado pela cirurgia plástica que contraiu o vírus Sars- CoV-2.
Relato de caso: Homem de 66 anos, com ferida complexa em tornozelo, foi tratado com desbridamento cirúrgico e terapia por pressão negativa, sendo posteriormente submetido à cobertura cutânea da ferida com enxerto de pele parcial. No pós-operatório imediato, iniciou quadro de tosse seca, sendo que nesse mesmo dia havia sido confirmado um exame positivo do novo coronavírus em outro paciente que estava no mesmo quarto. Diante disso, solicitamos testagem com PCR que também resultou positiva para presença de Sars-CoV-2. O paciente evoluiu bem, com alta hospitalar no 5º dia de pós-operatório, após a retirada do curativo de Brown, e com retorno após o período de isolamento preconizado (14 dias).
Discussão: O manejo de pacientes que necessitam de procedimentos cirúrgicos em meio a uma pandemia viral deve considerar a adoção de medidas preventivas que reduzam a possibilidade de transmissão do vírus. Como exemplo, citamos a redução do tempo de internação hospitalar, o uso de terapias que aceleram o processo terapêutico, o isolamento do paciente em casos confirmados e o uso de equipamentos de proteção individual.
Conclusão: Apesar da infecção deste paciente pelo Sars-CoV-2, enfatizamos que a equipe de cirurgia plástica deve atuar de maneira precoce durante o processo de tratamento. Tais ações reduzem a possibilidade de disseminação do novo coronavírus para outros pacientes e para equipe de saúde.

Palavras-chave: Vírus da SARS; Cirurgia plástica; Coronavírus; Ferimentos e lesões; Desbridamento

 

Reconstructive surgery in the context of Covid-19: complications in the treatment of an inguinal complex wound

Vinícius Gomes Da Silveira; Pedro Soler Coltro; Henrique Ovidio Coraspe Gonçalves; Diogo Hummel Hohl; Gabriel Maziero Alves Silva; Jayme Adriano Farina-Junior

PDF Portuguese PDF English

ABSTRACT

Introduction: At the end of 2019, the world saw the emergence of a new respiratory syndrome called Covid-19, caused by a new type of coronavirus, Sars-CoV-2. Classified as a pandemic, it has caused impacts of considerable magnitude.
Case Report: A 57-year-old man developed a right inguinal wound after surgical exploration for infection of a prosthesis used in a femur-popliteal bypass. The Plastic Surgery team opted for treatment with surgical debridement associated with negative pressure therapy to prepare the wound bed. In the postoperative period, he had severe acute respiratory syndrome and suspected Covid-19, requiring intubation and intensive care. A sample for RT-PCR of Sars-CoV-2 was collected, and the medications chloroquine and azithromycin were associated with the treatment. Despite intensive treatment, the patient died. The result of the RT-PCR test for the new coronavirus was positive, being released two days after death.
Discussion: The analysis of this report allows us to suppose that the patient probably contracted the new coronavirus at the hospital, as he was hospitalized for 35 days before the evolution of respiratory failure. This fact, together with its unfavorable evolution, corroborates the orientation of minimizing hospitalizations and surgical procedures as much as possible to promote more safety for the patient and the health team.
Conclusion: Inpatients are susceptible to infection with the new coronavirus and can set up a group at higher risk since many of them are already weakened.

Keywords: SARS virus; Plastic surgery; Coronavirus; Wounds and injuries; Debridement.

 

RESUMO

Introdução: No final de 2019, o mundo viu surgir uma nova síndrome respiratória denominada Covid-19, causada por um novo tipo de coronavírus, o Sars-CoV-2. Classificada como uma pandemia, ela tem causado impactos de magnitude ainda imensuráveis.
Relato de caso: Homem de 57 anos desenvolveu ferida inguinal direita, após exploração cirúrgica por infecção de prótese usada em bypass femoro-poplíteo. A equipe de cirurgia plástica optou pelo tratamento com desbridamento cirúrgico, associado com terapia por pressão negativa para preparo do leito da ferida. No pós-operatório, apresentou síndrome respiratória aguda grave e suspeita de Covid-19, com necessidade de intubação e de cuidados intensivos. Foi colhido amostra para RT-PCR do Sars-CoV-2 e associado ao tratamento as medicações cloroquina e azitromicina. Apesar do tratamento intensivo, o paciente foi a óbito. O resultado do exame RT-PCR para o novo coronavírus foi positivo, sendo liberado dois dias após a morte.
Discussão: A análise deste relato permite supor que o paciente provavelmente contraiu o novo coronavírus dentro do próprio hospital, pois o mesmo encontrava-se internado pelo período dos 35 dias anteriores à evolução para insuficiência respiratória. Esse fato, juntamente com sua evolução desfavorável, corrobora a orientação de minimizar ao máximo as internações e os procedimentos cirúrgicos a fim de promover maior segurança ao paciente e à equipe de saúde.
Conclusão: Pacientes internados estão susceptíveis à infecção pelo novo coronavírus e podem configurar grupo de maior de risco, uma vez que muitos deles já se encontram debilitados.

Palavras-chave: Vírus da SARS; Cirurgia plástica; Coronavírus; Ferimentos e lesões; Desbridamento

 

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license