ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Artigo Anterior Próximo Artigo

Artigo Original - Ano 2011 - Volume 26 - (3 Suppl.1)

INTRODUÇÃO

A cirurgia oncoplástica da mama tem por objetivo reduzir o impacto físico e emocional na paciente tratada de câncer, restaurando o volume, a forma e a simetria, o que contribui para uma recuperação psicossocial mais rápida.


OBJETIVO

O objetivo do presente trabalho é avaliar o grau de satisfação das pacientes submetidas a cirurgia conservadora (quadrantectomia ou ressecção segmentar) para tratamento de câncer de mama associada ou não a cirurgia reparadora com aplicação de técnicas de oncoplástica, com análise comparativa entre os dois grupos.


MÉTODOS

Foi conduzido um estudo com 56 pacientes do sexo feminino, atendidas no Hospital São Rafael (Salvador-BA), entre os anos de 2008 e 2010, submetidas a cirurgia conservadora para tratamento de câncer de mama, sendo que em 21 pacientes (36%) foi associada cirurgia reparadora com aplicação de técnicas de oncoplástica. Foi empregado um questionário com quatro perguntas que abordam a estética geral, cicatrizes, simetria mamária e se a paciente recomendaria o procedimento a outra pessoa. As respostas às três primeiras perguntas correspondem à aplicação de notas de 0 a 5, onde 0 seria completamente insatisfeita e 5 completamente satisfeita. Uma análise comparativa entre os dois grupos foi realizada.


RESULTADOS

Em relação à satisfação com o resultado estético geral, 91,5% das pacientes declararam-se satisfeitas, sendo que este percentual foi de 95% no grupo submetido a reparação oncoplástica e de 89% no grupo que não foi submetido a esse procedimento. Em relação à satisfação com as cicatrizes, 73,5% mostraram-se satisfeitas, sendo esse percentual de 81% no grupo submetido à reparação e 69% no outro grupo. Em relação à satisfação com a simetria, 66% demonstraram estar satisfeitas, sendo este percentual de 57% no grupo submetido à reparação com aplicação de técnicas de oncoplástia e de 71% no grupo de pacientes que não foram submetidas a esta cirurgia. Quando questionadas se recomendariam a cirurgia a outra pessoa, 98,2% responderam que sim, sendo que esse percentual foi de 100% no grupo submetido à reparação.


DISCUSSÃO

O índice de satisfação com a simetria, inesperadamente, mostrou-se menor nos pacientes onde as pacientes foram submetidas à reconstrução mamária. Acreditamos que este fato deveu-se principalmente a dois motivos; o primeiro seria a maior expectativa da paciente que será submetida a uma "cirurgia plástica", que no imaginário geral encerra a ideia de cirurgia estética. Em segundo lugar, nosso serviço não realiza a simetrização mamária imediata, o que é feito em um segundo tempo. Algumas das pacientes estudadas ainda não havia sido submetidas a este tempo cirúrgico.


CONCLUSÃO

O estudo revelou um alto índice de satisfação com o resultado estético geral e com a qualidade das cicatrizes na cirurgia conservadora para tratamento de câncer de mama. Esse índice mostrou-se mais elevado no grupo de pacientes cuja cirurgia conservadora foi complementada com a reparação oncoplástica. Quando foi avaliada a simetria das mamas, o índice de satisfação foi mais elevado no grupo de pacientes que não foram submetidas a cirurgia reparadora. Os autores concluem que este resultado deve-se à elevada expectativa das pacientes com a associação da cirurgia conservadora com procedimento de cirurgia plástica.

 

Artigo Anterior Voltar ao Topo Próximo Artigo

Patrocinadores

Indexadores