ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Artigo Anterior Próximo Artigo

Crânio, Face e Pescoço - Ano 2011 - Volume 26 - (3 Suppl.1)

INTRODUÇÃO

As alterações da sensibilidade cutânea pós-operatórias são facilmente observadas, mas pouco descritas na literatura. Na avaliação clínica dos pacientes submetidos à rinoplastia, evidencia-se o aparecimento importante de edema associado a alterações sensitivas cutâneas, que regridem paulatinamente durante o pós-operatório. Durante a rinoplastia aberta, ocorre o descolamento da superfície cutânea do arcabouço osteocartilaginoso em graus variados, dependendo do defeito a ser corrigido.


OBJETIVO

Avaliar a perda de sensibilidade cutânea nasal após a rinoplastia aberta.


MÉTODOS

Trata-se de um estudo prospectivo realizado na Unidade de Cirurgia Plástica do Hospital Regional da Asa Norte, Brasília - DF, no período de junho de 2009 a junho de 2011. Foram avaliados 35 pacientes portadores de deformidades estéticas e/ou funcionais do nariz e submetidos à rinoplastia pela técnica aberta. Durante este período, os pacientes foram avaliados em períodos distintos do pós-operatório. Os pacientes foram avaliados no pós-operatório pelo mesmo examinador. Procurou-se fazer uma avaliação simples e prática da sensibilidade cutânea do nariz em pacientes submetidos à exorrinoplastia. A avaliação consistia em pesquisar a sensibilidade tátil e térmica, comparando com a sensibilidade cutânea da fronte no mesmo paciente. Foi utilizada para pesquisa da sensibilidade tátil, a passagem de um chumaço de algodão na fronte do paciente, que foi estabelecido como parâmetro normal de sensibilidade. O mesmo estímulo foi realizado em três regiões nasais de forma independente (dorso, ponta e columela). Comparativamente o paciente respondia um questionário de sensibilidade, que constava das seguintes opções: sensibilidade ausente, diminuída ou normal. O paciente deveria escolher apenas uma das três opções para resposta. Para a sensibilidade térmica, utilizamos um cubo de gelo mantido à temperatura fixa (-80ºC), realizando a mesma manobra descrita acima para a avaliação da sensibilidade tátil. Os pacientes foram avaliados em quatro períodos distintos do pós-operatório: com 30, 90, 180 dias e com 1 ano. Foi avaliada a perda de sensibilidade nasal separadamente em cada unidade estética nasal (dorso, ponta e columela).


RESULTADOS

A amostra foi de 31 pacientes. A idade dos pacientes variou de 19 a 63 anos, com média de 32 anos, sendo nove pacientes do gêero masculino e 22 do gêero feminino. Observou-se alguma diminuição da sensibilidade cutânea nasal em 88,10% (37/42) de todas as avaliações clínicas realizadas nos pacientes operados, tanto térmica quanto tátil, sem relacionarmos o período pós-operatório. Nos pacientes avaliados com 30 dias de pós-operatório, as alterações de sensibilidade tátil e térmica foram menores na região columelar, 25% e 31,25%, respectivamente, enquanto a região de maior diminuição da sensibilidade foi a ponta (sensibilidade tátil), 62,50%, e o dorso (sensibilidade térmica), 68,75%. Nos pacientes avaliados com 90 dias de pós-operatório, foi encontrada maior perda de sensibilidade tátil e térmica no dorso e na ponta nasal, 62,50% e 87,50%, respectivamente. Nos pacientes avaliados com 180 dias de pós-operatório, foi encontrada maior perda de sensibilidade tátil na região da columela nasal, 60%, e térmica na ponta nasal, 60%. Nos pacientes avaliados com 1 ano de pós-operatório, foi encontrada melhora na restauração da sensibilidade (tátil e térmica) do dorso e ponta nasal, mas com uma persistêcia de diminuição da sensibilidade tátil e térmica em 50% destes pacientes. Foi evidenciada piora progressiva da perda de sensibilidade na columela nasal, tanto tátil quanto térmica, a partir das avaliações com 180 dias de pós-operatório, que persistiu mesmo após um ano da realização da cirurgia. Todas as avaliações clínicas e exames de sensibilidade cutânea nasal foram realizados pelo mesmo avaliador (autor). Foram excluídos do trabalho os casos submetidos à rinoplastia pela técnica fechada (1) e casos de alterações cutâneas prévias (1 caso de rinofima). Apenas um (1/31) dos pacientes apresentava como queixa clínica durante a consulta as alterações sensitivas percebidas ao exame. Todos os pacientes se apresentavam satisfeitos com os resultados obtidos. Não foi encontrada nenhuma complicação cirúrgica no pós-operatório.


CONCLUSÃO

A rinoplastia é uma cirurgia importante para a correção de deformidades funcionais e estéticas, e caracteriza-se por causar, na maioria dos pacientes, alterações da sensibilidade cutânea do nariz. Apesar de apresentar esta alteração no pós-operatório, os pacientes demonstravam-se satisfeitos com os resultados e sem queixas clínicas de alterações da sensibilidade no nariz.

 

Artigo Anterior Voltar ao Topo Próximo Artigo

Patrocinadores

Indexadores