ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Artigo Anterior Próximo Artigo

Cartas ao Editor - Ano 2014 - Volume 29 - Número 2

http://www.dx.doi.org/10.5935/2177-1235.2014RBCP0057

Prezado Editor Chefe,

Foi com grande interesse que lemos o artigo "Distribuição de quelóide e cicatriz hipertrófica segundo fototipos de pele de Fitzpatrick" de Hochamn et al1. A correlação entre os fototipos de pele de Fitzpatrick e distribuição de queilóides e cicatrizes hipertróficas disponibiliza um insight em relação a etiopatogênese de tais lesões. Devido à Índia ser uma nação diversa com cidadãos pertencendo a várias etnias, esse país possui um conglomerado de todos os fototipos cutâneos. Após a leitura do artigo, analisamos prospectivamente 100 pacientes ambulatoriais utilizando os mesmo critérios do estudo de Hochamm et al. Os pacientes foram classificados de acordo com tipo de pele e natureza da cicatriz.

Nosso estudo revelou algumas observações interessantes (Tabela I). Como estabelecido por Hochaman et al., o tipo cutâneo de Fitzpatrick mostra incidência mais comum de cicatrizes fibroproliferativas. A similaridades incomum dos nossos achados com aqueles relatados por Hochman et al. pode sugerir a etiologia das quelóides e das cicatrizes hipertróficas. Outra observação interessante foi a incidência de cicatrizes hipertróficas que representou 23% das lesões baseado nos critérios de Muir2. Esses achados mostram-se surpreendentes para muitos profissionais que classificam rotineiramente as cicatrizes fibroproliferativas somente como quelóide e cicatriz hipertrófica.




A Índia tem população de mais de um bilhão de pessoas e constitui uma aquarela de assimilação singular incluindo grupos étnicos de diversas culturas, religiões e tipos de pele. A mera presença de tal diversidade cutânea representa uma oportunidade única que merece maior investigação em relação à etiologia e opções de conduta para beneficiar todos os tipos de pele. Estudos sistemáticos sobre a pele da população indiana falharam até o momento para estabelecer um modelo de algoritmo para tratamento de tais lesões3,4. Além disso, muitas pesquisas não classificaram os indivíduos por tipo de pele. Nosso estudo deveria servir como um lembrete para pesquisadores para que registrem o tipo de pele em suas investigações como objetivo de possibilitar uma abordagem efetiva para tratamento de quelóides e cicatrizes hipertróficas.


REFERÊNCIAS

1. Hochman B, Farkas CB, Isoldi FC, Ferrara SF, Furtado F, Ferreira LM, Keloid and hypertrophic scar distribution according to Fitzpatrick skin phototypes, Rev Bras Cir Plást. 2012;27(2):185-9.

2. Muir IF. On the nature of keloid and hypertrophic scars. Br J Plast Surg. 1990;43(1):61-9.

3. Prabhu A, Sreekar H, Powar R, Uppin VM. A randomized controlled trial comparing the efficacy of intralesional 5-fluorouracil versus triamcinolone acetonide in the treatment of keloids. J Sci Soc. 2012;39:19-25.

4. Meenakshi J, Jayaraman V, Ramakrishnan KM, Babu M. Keloids and hypertrophic scars: a review. Indian J Plast Surg 2005;38:175-9.










1 - Dr - Consultor, Departamento de Plástica, Cosmética, Cirurgia Reconstrutiva, Apollo hospitals, Bangalore
2 - Dr - Pós-graduando, Departamento de Dermatologia, Faculdade de Medicina MVJ, Bangalore
3 - Dr - Professor Assistente, VIMS, Bellary, India
4 - Dr - Professor Assistente, Faculdade de Medicina Shimoga, India
5 - Dr - Pós-graduando, Faculdade de Medicina SMS, Jaipu

Instituição: Apollo hospitals, Bangalore, India.

Autor correspondente:
Dr. Harinatha Sreekar
Consultor, Departamento de Plástica, Cosmética, Cirurgia Reconstrutiva, Apollo Hospitais
Bagalore, India
E-mail: drsreekarh@yahoo.com

Artigo submetido : 22/11/2012
Artigo aceito: 23/11/ 2012

 

Artigo Anterior Voltar ao Topo Próximo Artigo

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons