ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Artigo Anterior Próximo Artigo

Tórax e Tronco - Ano 2012 - Volume 27 - (3 Suppl.1)

INTRODUÇÃO

Existem muitas técnicas diferentes para criar o retalho TRAM, tais como o retalho monopediculado, bipediculado, microcirurgico, e perfurantes transmusculares da epigástrica inferior (DIEP). Apesar desta evolução, o cirurgião ainda se depara com importantes morbidades na área doadora desse retalho, por ser procedimento operatório complexo. Dentre as principais morbidades, destaca-se a formação do seroma, que apresenta incidência entre 2,18 a 13,5% e, nas abdominoplastias, podem chegar a 42,8% e até 90%. A literatura mostra evidências que sugerem que a quilting suture (pontos de adesão entre o tecido subcutâneo do retalho e a aponeurose da musculatura subjacente) podem reduzir a formação do seroma em abdominoplastias, na área doadora do retalho TRAM, e na área doadora do retalho musculocutâneo do latissimus dorsi. No entanto, observaram-se na literatura controvérsias sobre a incidência do seroma na área doadora do retalho TRAM. Além disso, não foram igualmente encontrados estudos prospectivos e aleatorizados, com aplicação de ultrassonografia na área doadora do retalho TRAM, para verificar a incidência de formação de seroma em pacientes submetidas aos pontos de adesão com drenos, pontos de adesão sem drenos, comparando-se com pacientes que não usaram os pontos de adesão e com drenos.


OBJETIVO

Avaliar a incidência seroma, com aplicação de ultrassonografia na área doadora do retalho TRAM em que foram realizados os pontos de adesão com drenos, pontos de adesão sem drenos, comparando-se aos que não usaram os pontos de adesão com drenos, em pacientes submetidas à reconstrução de mama.


MÉTODO

No período de março de 2008 a outubro de 2010, 48 pacientes do gênero feminino, mastectomizadas por indicação oncológica, foram submetidas à reconstrução de mama com retalho TRAM, bipediculado. As pacientes foram distribuídas aleatoriamente, por sorteio, em três grupos compostos por 16 pacientes cada: Grupo C, pacientes sem pontos de adesão, com uso de drenos de sucção; Grupo PD, com pontos de adesão, com o uso dos drenos de sucção; Grupo PSD, com pontos de adesão, sem o uso dos drenos de sucção. Para a investigação da formação do seroma foi realizado ultrassonografia (USG) no sétimo dia de PO e no 14º de PO, em todas as pacientes, em cincos regiões da parede abdominal: epigástrio, umbilical, hipogástrio, fossa ilíaca direita e esquerda. Em todos os casos, uma tela de polipropileno foi utilizada para reforçar o local doador; esta malha foi posicionada sobre a camada de aponeurose do músculo (onlay mesh). Nas pacientes selecionadas (grupos: PD e PSD), os pontos de adesão foram dados entre o subcutâneo do retalho remanescente supraumbilical e a aponeurose da parede abdominal anterior, com fio de náilon monofilamentar 2.0 (transfixando a tela de polipropileno), num total de 20 pontos distribuídos (com distância entre si, em média de 5 a 6 cm). Ondulações menores foram consideradas aceitáveis e esperava-se resolver por si só. No entanto, se houve ondulações moderadas ou graves, os pontos foram removidos e substituídos. As suturas foram colocadas com uma tensão progressiva e com o retalho sendo avançado crânio distalmente, portanto, sendo feita uma distribuição da tensão uniforme entre o retalho remanescente abdominal e a aponeurose da parede abdominal anterior, para o fechamento da área doadora do retalho TRAM. Nos grupos C e PD, foram utilizados drenos de sucção, sendo posicionados no espaço posterior ao retalho abdominal remanescente, exteriorizados a 3 cm da incisão cirúrgica e da linha média (na região pubiana), num número de: dois drenos (Portovac®, Kalmédica, Campinas, Brasil) com calibre 4,8 mm de diâmetro. Na região da mastectomia, em todos os grupos, foram colocados dois drenos de sucção: o primeiro na região do cavum axilar (quando ocorreu esvaziamento da axila) ou próximo e o segundo posterior ao retalho, de calibre 4,8 mm de diâmetro (Portovac®, Kalmédica, Campinas, Brasil).


RESULTADOS

Os três grupos estudados foram homogêneos e comparáveis em relação ao IMC, idade e tempo de reconstrução de mama. As pacientes que receberam pontos com drenos na área doadora ficaram menos tempo com dreno que as pacientes controle, em média metade do tempo.


CONCLUSÃO

Os pontos de adesão realizados na área doadora do retalho TRAM são eficazes na diminuição da presença do seroma.

 

Artigo Anterior Voltar ao Topo Próximo Artigo

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons