ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 4 de 4 resultado(s)

Busca por : Clênio Martins de Souza Coelho

Melanoma Cutâneo: aspectos clínicos, epidemiológicos e anatomopatológicos de um centro de formação em Belo Horizonte

Izabella Costa Araujo; Clênio Martins de Souza Coelho; Gustavo Augusto Matos Saliba; Patrícia Cordeiro Lana; Augusto César de Melo Almeida; Nárlei Amarante Pereira; Rebeca Paohwa Liu da Fonseca; Aloísio Ferreira da Silva Filho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(4):497-503 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O melanoma cutâneo maligno (MCM) constitui cerca de 5% dos tumores cutâneos malignos e apresenta crescente incidência e alta letalidade. O objetivo deste estudo é rever as características clínicas, epidemiológicas e anatomopatológicas do MCM em pacientes tratados nos serviços de Cirurgia Plástica e Anatomia Patológica de um hospital geral. MÉTODO: Dados de 45 pacientes, correspondendo a 47 lesões, tratados entre 2011 e 2013, foram revisados. Estudou-se: gênero e idade dos pacientes, localização e características histopatológicas das lesões. RESULTADOS: Vinte e quatro pacientes eram do gênero masculino e 21 do feminino. A média de idade à consulta foi de 61,9 anos. Vinte e quatro neoplasias localizaram-se nas extremidades, 14 acometeram o tronco e nove a face. Quanto ao diagnóstico histológico, 34,0% dos tumores consistiu-se em melanoma in situ e 66,0% em melanoma invasor. Neste grupo, 14 lesões correspondiam ao tipo nodular, 12 ao extensivo superficial, três ao acral lentiginoso e dois ao lentigo maligno. A biópsia de linfonodo sentinela foi realizada em 14 melanomas invasores, com positividade em quatro procedimentos. Dentre as linfadenectomias realizadas, quatro mostraram-se positivas para metástase. No momento do diagnóstico, quatro pacientes apresentavam metástase em trânsito e três com metástase linfonodal. Recidiva tumoral local foi verificada em dois casos. Em relação ao estadiamento, 14 pacientes encontravam-se no estádio 0, 11 no I, 10 no II e 10 no III. CONCLUSÃO: Os dados deste estudo corroboram os achados da literatura. O diagnóstico e tratamento cirúrgico precoce permanecem o melhor caminho para o aumento da sobrevida.

Palavras-chave: Melanoma; Melanoma maligno; Epidemiologia.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Malignant cutaneous melanoma (MCM) comprises nearly 5% of all malignant cutaneous tumors and shows increasing incidence and a high mortality. The objective of this study is to review the clinical, epidemiological, and anatomopathological characteristics of MCM in patients treated at the plastic surgery and pathological anatomy services of a general hospital. METHOD: Data corresponding to 47 lesions from 45 patients treated between 2011 and 2013 were reviewed. We analyzed the sex and age of patients, as well as the site and histopathological characteristics of the lesions. RESULTS: A total of 24 patients were men and 21 were women. Their average age at the medical appointment was 61.9 years. Twenty-four neoplasias were in the extremities, 14 in the torso, and 9 in the face. Concerning histological diagnosis, 34.0% of the tumors were in situ melanoma and 66.0% were invasive melanoma. In the latter group, 14 lesions corresponded to the nodular melanoma type, 12 to the superficial spreading, three to the acral lentiginous, and two to the malignant lentigo melanoma type. Sentinel node biopsy was performed in 14 invasive melanomas, with 4 being positive. Among the lymphadenectomies performed, four were positive for metastasis. At diagnosis, four patients showed in-transit metastasis, whereas three patients had lymph node metastasis. Local tumor relapse was observed in two cases. Concerning tumor staging, 14 patients were in stage 0, 11 in stage I, 10 in stage II, and 10 in stage III. CONCLUSION: The data from this study support the findings described in the literature. Early diagnosis and surgical treatment remain the best way to increase survival.

Keywords: Melanoma; Malignant melanoma; Epidemiology.

 

Uso da terapia de pressão negativa no tratamento de deiscência em abdominoplastia de paciente pós-bariátrico: relato de caso

LÍVIA NEFFA; VALÉRIA ROCHA MAIA; CLÊNIO MARTINS DE SOUZA COELHO; IZABELLA COSTA ARAÚJO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.2):41-44 - Suplemento Simpósio Mineiro de Intercorrências 13º SIMPÓSIO - 2019

PDF Português

RESUMO

Introdução: As deiscências são complicações frequentes nas abordagens de contorno abdominal, e os pacientes pós-cirurgias bariátricas possuem riscos maiores de complicações. Na literatura, a grande maioria das deiscências tem conduta conservadora, aguardando uma cicatrização por segunda intenção; porém, a terapia de pressão negativa, já consagrada para tratamento de feridas complexas, pode ser uma boa alternativa para as deiscências abdominais.
Objetivo: Demonstrar o uso de terapia de pressão negativa com fechamento primário retardado como uma alternativa à cicatrização por segunda intenção na abordagem de deiscências pós-dermolipectomia abdominal.
Relato de caso: Paciente, gênero feminino, diabética, tabagista e hipertensa, 53 anos, submetida à cirurgia bariátrica com perda ponderal estável de 30 kg dois anos antes da avaliação para tratamento do contorno corporal. Submetida à dermolipectomia abdominal em âncora com a neo-onfaloplastia sem intercorrências imediatas. Com sete dias, apresentou quadro compatível com seroma de drenagem espontânea com deiscência e posterior infecção de ferida. Após insucesso do tratamento ambulatorial, foi internada e tratada com antibioticoterapia venosa e uso de terapia de pressão negativa em zona de deiscência. Apresentou melhora clínica e laboratorial com o tratamento possibilitando, inclusive, fechamento completo da deiscência apresentada pela paciente.
Discussão: Seroma, infecção e deiscência são complicações frequentes em procedimentos cirúrgicos. O uso da terapia de pressão negativa já é descrita pela literatura como opção em feridas complexas, e se encaixou com uma boa opção do caso relatado.
Conclusão: O caso relatado demonstra que a terapia de pressão negativa pode ser uma alternativa para o tratamento de deiscências pós-dermolipectomias abdominais.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Cirurgia bariátrica; Gastroplastia; Abdominoplastia; Obesidade; Vácuo; Deiscência da ferida operatória; Tratamento de ferimentos com pressão negativa; Contorno corporal

 

Reconstrução mamária: análise de novas tendências e suas complicações maiores

Gustavo Augusto Matos Saliba; Eduardo Eustáquio Salera de Carvalho; Aloísio Ferreira da Silva Filho; José Carlos Ribeiro Resende Alves; Marcelo Versiani Tavares; Sérgio Moreira da Costa; Clênio Martins de Souza Coelho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(4):619-626 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Em razão da sua elevada incidência, o câncer de mama torna-se uma das grandes preocupações, sobretudo pelos impactos psicológicos e sociais. Os objetivos do presente trabalho são analisar as tendências atuais para a reconstrução mamária e avaliar suas complicações maiores. MÉTODO: O estudo retrospectivo foi realizado numa série consecutiva de reconstruções mamárias, no período de fevereiro de 2011 a fevereiro de 2012, pela análise de prontuários médicos. RESULTADOS: Um total de 127 reconstruções mamárias foram realizadas. As reconstruções imediatas representam 73% do total. As seguintes técnicas foram utilizadas: implante de silicone permanente, 54% (n=69), implante ajustável de Becker, 14% (n=17), retalho transverso do músculo reto abdominal (TRAM), 13% (n=17), retalho do músculo latíssimo do dorso com implante, 13% (n=16), e expansor simples, 6% dos casos (n=8). Complicações maiores ocorreram em 16,5 % (n=21) sendo que na maioria (63% n=12) possuíam passado de radioterapia, QT neoadjuvante e/ou história de tabagismo. As complicações foram decorrentes de hematoma com reintervenção / reinternação (0,72% n=1), necrose extensa do retalho com necessidade de desbridamentos e/ou posicionamento de implante para recuperação do volume perdido (4% n=5), infecções (3% n=4), extrusão e retirada do implante (7% n=9), e eventos tromboembólicos (1,5% n=2). CONCLUSÃO: A escolha da técnica para a reconstrução mamária deve ser individualizada e baseada nas características e anseios de cada paciente, na familiaridade da técnica pela equipe cirúrgica, nos recursos hospitalares disponíveis e nos custos gerados pelas técnicas, a fim de otimizar os resultados, reduzir custos e os índices de complicações.

Palavras-chave: Mastectomia. Mamoplastia. Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/Métodos. Mamoplastia/Tendências.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Because of its high incidence, breast cancer becomes a major concern, justified by psychological and social impacts. The purpose of the study is to analyze the current trends for breast reconstruction and evaluate its major complications. METHOD: A retrospective study was performed in a consecutive series of breast reconstructions in the period February 2011 to February 2012, through analysis of medical records. RESULTS: A total of 127 breast reconstructions were performed. The immediate reconstructions represent 73% of the total. The following techniques were used: permanent silicone implant, 54% (n = 69), Becker adjustable implant, 14% (n = 17), transverse rectus abdominis myocutaneous flap (TRAM), 13% (n=17), latissimus dorsi flap and implant 13% (n=16) and single expander 6% of cases (n=8). Major complications occurred in 16.5% (n = 21) and most (63% n=12) had a history of radiation therapy, neoadjuvant chemotherapy and / or smoking history. The complications resulted from hematoma reoperation (0.72% n=1), extensive necrosis of the flap requiring debridement and / or positioning of the implant to recover the lost volume (4% n=5), infections (3 % n=4), extrusion and removal of the implant (7% n=9) and thromboembolic events (1.5% n=2). CONCLUSION: The choice of technique for breast reconstruction must be individualized and based on the characteristics and desires of each patient, the familiarity of the technique by the surgical team, the hospital resources available and costs generated by the techniques to optimize the results, reduce costs and complication rates.

Keywords: Mastectomy. Mammaplasty. Reconstructive Surgical Procedures/Methods. Mammaplasty/Trends.

 

Condroma de partes moles relato de caso e revisão da literatura

Eduardo Amaral Gomes; Jamil José Saliba; Eduardo Paulino Júnior; Gustavo Augusto Matos Saliba; Clênio Martins de Souza Coelho; Augusto Cesar de Melo Almeida
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(3):477-481 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

O presente estudo tem o objetivo de apresentar um relato de caso sobre condroma extra-esquelético ou de partes moles, uma lesão rara e benigna diagnosticada através da clínica, radiologia e exame histopatológico. O paciente (24 anos) compareceu ao Setor de Ortopedia do Hospital Unimed Betim com queixa de aumento de volume no polegar esquerdo, indolor há aproximadamente um ano. Durante o exame físico verificou-se presença de uma lesão nodular, de consistência dura, móvel, indolor que não acarretava em alteração funcional do dedo. O paciente foi encaminhado para setor de radiologia do hospital onde foi realizado RX e posteriormente ultrasonografia e ressonância magnética do polegar esquerdo. Diante dos achados dos estudos de imagem a equipe optou pela biópsia excisional da lesão. O exame histopatológico confirmou o diagnóstico de condroma extra-esquelético. Os elementos definidores do condroma de partes moles são: 1) curso clinico benigno e sintomatologia frusta; 2) ausência de conexão entre o tumor e estruturas adjacentes como periosteo, capsula articular ou osso; 3) crescimento lento; 4) ausência de prevalência por sexo; 5) características radiológicas e histológicas do tumor. O diagnóstico raramente é aventado quando confrontamos tumores de partes moles das mãos. A excisão é simples e deve ser completa para se evitar recorrências. A avaliação histopatológica deve ser realizada para confirmação diagnóstica.

Palavras-chave: Condroma; Tumor benigno; Relato de caso.

 

ABSTRACT

The present study presents a case report of extraskeletal chondroma or soft tissue chondroma, a rare and benign lesion, diagnosed by clinical findings, imaging studies and histopathological exam. The 24-year-old patient presented at the Orthopedics Section of Unimed Betim Hospital with a slow painless growth on the left thumb about 1 year ago. During the physical examination, a nodular lesion was noted; it had a hard consistency, was mobile and painless, and didn't cause functional impairment for the finger. The patient was referred to the imaging unit of the hospital, where an X-ray was performed; later on, ultrasound and magnetic resonance imaging of the left thumb was done. After the imaging studies, the medical team chose excisional biopsy of the lesion. The histopathological examination confirmed the diagnosis of extra-skeletal chondroma or soft-tissue chondroma. Soft tissue chondroma is usually not considered for a soft-tissue tumor of the hand. Excision is easy and must be complete if recurrences are to be avoided. Histopathological evaluation is required for the final diagnosis.

Keywords: Chondroma; Soft tissues neoplasm; Thumb.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons