ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 6 de 6 resultado(s)

Busca por : ALFREDO BENJAMIN DUARTE DA SILVA

Ossificação do pedículo vascular de um retalho livre de fíbula: relato de caso

Maria Cecília Closs Ono; Anne Karoline Groth; João Manoel Moreira; Alfredo Benjamin Duarte da Silva; Ivan Maluf Junior
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(2):198-200 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Várias são as vantagens da utilização de retalhos fibulares para as reconstruções de defeitos craniomaxilofaciais, incluindo a baixa morbidade da área doadora, boa qualidade óssea possibilitando a realização de implantes osteointegrados quando indicados, além da possibilidade de inclusão de uma ilha de pele quando indicado. Durante a dissecção do retalho, próximo à região do pedículo vascular, normalmente inclui-se um cuff muscular e uma faixa de periósteo. O potencial osteogênico do periósteo transplantado tem sido objeto de estudo. RELATO DE CASO: paciente de 15 anos, submetido à reconstrução microcirúrgica com um retalho fibular para um defeito mandibular pós-ressecção de um sarcoma ósseo. Evoluiu com aumento de volume, de consistência óssea na região cervical próximo à cervicotomia realizada para anastomose vascular. Exames de imagem mostravam características ósseas da massa. Foi então submetido à nova cervicotomia e exploração da massa, sendo observada uma formação de tecido ósseo no local da anastomose vascular. Exame anatomopatológico da peça mostrava formação de tecido ósseo adjacente ao retalho periostal. DISCUSSÃO: Durante a dissecção do retalho fibular, a osteotomia é realizada a alguns centímetros da articulação do joelho, isto a fim de facilitar a dissecção do pedículo vascular na região do oco poplíteo. O pedículo vascular fica então envolto por uma cuff muscular e por uma tira de periósteo. Este mantém sua capacidade osteogênica, que pode ser ativada de acordo com o estímulo do local. A ossificação do periósteo do pedículo vascular de retalhos livres de fíbula permanece um evento raro, porém relatado por centros diferentes.

Palavras-chave: Capacidade osteogênica; Retalho livre de fíbula; ossificação.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The use of fibula flaps for the reconstruction of craniomaxillofacial defects has many advantages, including the low morbidity of the donor area, good bone quality for use of osseointegrated implants, and the possibility to include a skin island, when indicated. During the dissection of the flap, a muscle "cuff" and a periosteal strip are usually included near the region of the vascular pedicle. The osteogenic potential of the transplanted periosteum has been the object of studies. CASE REPORT: A 15-year-old male patient underwent microsurgical reconstruction using a fibula flap for a mandibular defect caused by the resection of a bone sarcoma. He developed increased volume and bone consistency in the cervical region next to the area where a cervicotomy was performed for vascular anastomosis. Imaging examinations showed the characteristics of the bone mass. He then underwent a new cervicotomy and mass exploratory surgery because bone tissue formation was observed at the site of vascular anastomosis. Anatomopathological examination of the specimen showed bone tissue formation next to the periosteal flap. DISCUSSION: During fibula flap dissection, osteotomy is performed a few centimeters from the knee joint to facilitate the dissection of the vascular pedicle in the region of the popliteal fossa. Then, the vascular pedicle is surrounded by a muscle cuff and periosteal strip. This maintains its osteogenic capacity, which can be activated according to the stimulus of the area. Although periosteal ossification of the vascular pedicle in fibula free flaps is a rare event, it has been reported in different centers.

Keywords: osteogenic capacity; fibula free flaps; ossification.

 

Tratamento das ptoses mamárias com implantes submusculares e pontos de fixação do tecido mamário ao muscular: aspectos técnicos e avaliação de resultado

ANTONIO CHIQUETTI; ALFREDO BENJAMIN DUARTE DA SILVA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(3):317-323 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Mastopexia associada à inclusão de implante é uma situação desafiadora para o cirurgião plástico. O objetivo é descrever a colocação de implante submuscular com descolamento anatômico mais pexia firme do tecido glandular usando pontos de fixação do tecido mamário ao muscular e analisar os resultados estéticos das pacientes operadas.
Método: Foram realizadas 23 mastopexias com implantes no período entre abril de 2015 e julho de 2017, pelo mesmo cirurgião, sendo as mamas das pacientes marcadas previamente, na posição sentada. Realizou-se incisão no sulco mamário e descolamento até o polo superior da mama no plano subfascial, fixação da glândula ao músculo peitoral maior com 9 a 12 pontos. A seguir, iniciou-se a dissecção do músculo peitoral maior através de sua origem costal e transição com os músculos reto abdominal e serrátil, liberando amplamente na porção inferior. Introduziu-se o implante e completou-se a mastopexia. Os tamanhos dos implantes variaram de 255ml a 355ml. Fotos das mamas de 12 pacientes foram avaliadas por dois cirurgiões plásticos e dois leigos, nos seguintes parâmetros: resultado estético, simetria das aréolas e grau de ptose mamária. As avaliações podiam ser Ruim, Razoável ou Bom.
Resultados: A técnica cirúrgica mostrou-se reprodutível, apenas 1 caso de hematoma unilateral, nenhuma infecção, queixas de dor discretas. Apenas um caso foi considerado, por um único avaliador, como Razoável; as demais avaliações consideradas como Bom.
Conclusão: O tratamento de ptoses mamárias com colocação de implante submuscular acrescido de pexia da glândula ao músculo peitoral é uma técnica reprodutível e com bons resultados estéticos.

Palavras-chave: Mamoplastia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Mama; Fixação de tecidos

 

ABSTRACT

Introduction: Mastopexy associated with implant placement is challenging for plastic surgeons. The objective is to describe the placement of a submuscular implant with anatomical detachment in combination with stable fixation of the breast tissue to the pectoralis muscle and analyze the aesthetic results.
Method: Twenty-three mastopexy procedures with implants were performed from April 2015 to July 2017 by the same surgeon, and surgical markings were made in the breasts of the patients in a seated position. An incision was made in the inframammary fold, and the breast tissue was elevated to the upper pole in the subfascial plane and attached to the pectoralis major muscle using 9-12 stitches. Subsequently, the inferior margin of the pectoralis major muscle and the transition from the rectus abdominis muscle to the serratus muscle were dissected to expose the muscle. The implant was introduced and mastopexy was completed. Implant size ranged from 255 mL to 355 mL. Photographs of the breasts of 12 patients were evaluated by two plastic surgeons and two non-medical subjects, who considered the aesthetic results, symmetry of the nipple-areola complex, and degree of breast ptosis. The results were scored as unsatisfactory, satisfactory, or good.
Results: The surgical technique was reproducible; there was only one case of unilateral hematoma, no implant infections, and only complaints of mild pain. Only one case was scored as satisfactory by one evaluator, whereas the results of the other cases were considered good.
Conclusion: The treatment of breast ptosis with the placement of a submuscular implant in combination with fixation of the breast to the pectoralis major muscle is reproducible and yields good aesthetic results.

Keywords: Mammoplasty; Breast implant; Reconstructive surgical procedures; Breast; Tissue fixation

 

A versatilidade do retalho anterolateral da coxa em reconstruções oncológicas: série de casos do serviço de cirurgia plástica reconstrutora e microcirurgia do hospital Erasto Gaertnera

Anne Karoline Groth; Alfredo Benjamin Duarte Da Silva; Ivan Maluf Junior; Maria Cecília Closs Ono; Nassib Ahmad Faris; Ana Carolina Chociai
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(1):176-178 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Retalho anterolateral da coxa (ALT) foi descrito em 1984, baseado nos vasos perfurantes da artéria circunflexa femoral lateral. Trata-se de um retalho cutâneo, localizado no terço médio da coxa anterior, e lateral aos músculos reto femoral e vasto lateral. A baixa morbidade, relacionada à área doadora, e a possibilidade de utiliza-lo com diversas dimensões o tornam um retalho muito versátil. OBJETIVO: Apresentar sua versatilidade no serviço de Cirurgia Plástica Reconstrutora e Microcirurgia, do Hospital Erasto Gaertner, através do relato de três casos. CASOS: Foram descritos dois casos com utilização do retalho ALT para reconstrução de cabeça e pescoço, e um caso com reconstrução do hemitórax direito.

Palavras-chave: Retalho anterolateral da coxa; Microcirurgia; Versatilidade do retalho.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The anterolateral thigh (ALT) flap first described in 1984 is based on perforator vessels of the lateral femoral circumflex artery. It is a cutaneous flap located in the middle third of the anterior thigh and lateral to the rectus femoris and vastus lateralis. The low morbidity related to the donor site and its usefulness for different dimensions make it a versatile flap. OBJECTIVE: This study aimed to present the versatility of the ALT flap in plastic and reconstructive surgeries at the Erasto Gaertner Hospital through a report of three cases. CASES: We describe three cases in which the ALT flap was used for the head and neck, and right hemithorax reconstructions.

Keywords: Anterolateral Thigh Flap; Microsurgery; Versatility of the Flap.

 

Reconstrução de defeitos complexos da fronte e couro cabeludo

Dirlene Taysa Berri; Maria Cecília Closs Ono; Marlon Camara Lopes; Anne Karoline Groth; Alfredo Benjamin Duarte da Silva
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):45 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Reconstrução microcirúrgica da maxila: uma revisão de 33 casos

João Manoel Agner Grubba Moreira; Anne Karoline Groth; Alfredo Benjamin Duarte da Silva; Maria Cecília Closs Ono; Dirlene Taysa Berri
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):48 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português PDF Inglês

Retalhos microcirúrgicos na infância e na adolescência

Bruna Wrublevski, Anne K Groth, Maria Cecília Closs Ono, Alfredo Benjamin Duarte da Silva
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):101 - Geral

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons