ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Previous Article Next Article

Extremities - Year2010 - Volume25 - (3 Suppl.1)

INTRODUÇÃO

No Brasil, não existem dados exatos quanto ao número de acidentes referentes às mãos. Porém, sabe-se que é a região mais acometida nos acidentes de trabalho, levando a perdas significativas de dias de trabalho. O tratamento correto acarretará menor quantidade de sequelas e preservação funcional das mãos.


OBJETIVO

Demonstrar diversas opções de retalhos para reconstruções de quirodáctilos com intuito de evitar redução no comprimento dos dedos e prejuízo funcional para o paciente.


MATERIAL E MÉTODOS

São mostrados 11 casos de pacientes submetidos a reconstrução de dedos. Foram realizados 2 enxertos cutâneos exclusivamente, 3 retalhos de "crossfinger", 2 para reconstrução de amputação parcial de falanges distais e 1 para reconstrução de polpa digital devido a queimadura, 1 retalho V-Y central (Atasoy), 2 retalhos de Kutler, sendo um bilateral e outro unilateral e 2 retalhos à distância (retalho torácico e inguinal) devido a maior perda tecidual e 1 retalho "KITE" neurovascularizado. Em alguns casos, houve necessidade de complementação com autoenxertia cutânea, devido ao tamanho da lesão.


Figura 1 - Caso 5: amputação volar; zona 2. Reconstrução: retalho de Kutler.



RESULTADOS

São demonstrados os resultados do procedimento no pós-operatório imediato, após ressecção do pedículo, mostrando regularização das lesões e a preservação funcional. A maior parte das lesões de mãos cursam com exposição óssea e tendinosa, devido à tênue cobertura desta região. Desse modo, faz-se necessária a realização de retalhos para promover cobertura resistente e manutenção da sensibilidade da área afetada. A utilização de enxertos não é indicada, pois não suprem tais necessidades e por não haver integração sobre superfície óssea e não preencherem áreas com perda de substância. A maior parte das regularizações feitas em emergências acarretam diminuição do comprimento dedo, podendo haver prejuízo funcional. Nestes casos, preferimos a realização de retalho de "cross-finger" com liberação do pedículo com 21 dias. Em lesões com perda de substância, a realização de retalho mais espesso é requerida como retalhos à distância. Nas amputações com preservação da polpa digital, realizamos retalho de avançamento em V-Y, com resultados satisfatórios.


Figura 2 - Caso 7: amputação volar; zona 3. Reconstrução: cross-finger.



CONCLUSÃO

Devido ao grande número de acidentes que cursam com amputações ou perdas de substância em quirodáctilos, torna-se fundamental o conhecimento de técnicas de simples execução e que apresentem resultados satisfatórios. Da mesma forma, a realização de reabilitação e curativos e controle adequado da dor no pós-operatório são fundamentais.

 

Previous Article Back to Top Next Article

Support

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license