ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Previous Article Next Article

Body and Chest - Year2013 - Volume28 - (3 Suppl.1)

INTRODUÇÃO

Os pontos de adesão de Baroudi foram criados com o objetivo de diminuir a formação de seroma pós-abdominaplastia. O presente estudo avalia o avanço do retalho abdominal com os pontos de adesão, ocorrendo a diminuição da tensão e a consequente redução de complicações, como deiscência de sutura, cicatrizes hipertróficas, queloides e cicatriz pubiana alta, além de hematoma e seroma.


OBJETIVO

Descrever a eficácia dos pontos de adesão no avanço do retalho abdominal.


MÉTODO

Foram avaliados 45 pacientes submetidos a abdominoplastia, sendo 40 do sexo feminino e 5 do sexo masculino, no período de setembro de 2012 a junho de 2013. Foram registrados os dados referentes a marcação provisória antes dos pontos de adesão, marcação definitiva após os pontos de adesão e diferença entre essas marcações. Além disso, foram descritas a ocorrência de seroma, hematoma e, principalmente, deiscência de sutura, além do seguimento pós-operatório, como cicatriz hipertrófica, queloide e cicatriz pubiana alta. As cirurgias foram realizadas sob anestesia geral ou epidural com sedação. O paciente foi deixado em posição fletida para reduzir a tensão no retalho abdominal. Em todos os pacientes, foi utilizada compressão dos membros inferiores por meias elásticas e massageador pneumático intermitente, sendo o uso seletivo de heparina de baixo peso molecular (40 mg durante 7 dias) indicado de acordo com a classificação individual de risco. No decurso das abdominoplastias, após os tempos de dissecção até o rebordo costal e o apêndice xifoide superiormente, foram ressecados os excessos cutâneos, após realização de plicatura dos músculos reto abdominais com fio de náilon 2.0, com pontos separados. Nesse momento, é feita a marcação provisória do umbigo e, posteriormente, o reposicionamento do retalho dermoadiposo por intermédio da aplicação dos pontos de adesão, sendo, para tanto, utilizado vicryl 2-0, em linhas e colunas a partir da marcação realizada previamente. Os pontos foram aplicados transfixando a fáscia muscular da parede abdominal e a camada adiposa lamelar, pontos esses realizados de tal forma a tracionar as bordas do retalho em direção caudal. A cada linha de sutura, manobras para avaliação do adequado posicionamento do retalho foram realizadas, até a junção com a borda inferior da incisão cutânea. Nesse momento, uma nova marcação do umbigo é feita, constatando-se o avanço final do retalho, de aproximadamente 2,5 cm a 3 cm. O número de pontos variou em cada caso, sendo em média de 18 a 20. A sutura intradérmica foi realizada com pontos separados de fio absorvível 4-0. Não foram utilizados drenos em nenhum dos pacientes. No pós-operatório, os pacientes foram reavaliados após 7 dias, 2 semanas, 1 mês, 2 meses, 3 meses e 6 meses. Foram registrados dados sobre presença de deiscência de sutura, cicatriz hipertrófica, queloides, cicatriz pubiana alta, hematomas e seromas, além do índice de satisfação do paciente e da equipe cirúrgica.


RESULTADOS

Emtodos os pacientes, houve avanço do retalho abdominal comprovado pela diferença da posição do umbigo no retalho abdominal. Essa avaliação foi feita medindo-se a diferença entre a marcação prévia do umbigo (antes dos pontos) e a marcação definitiva do umbigo (depois dos pontos de adesão), sendo esse avanço de 2,5 cm a 3 cm em todos os 45 casos. Pontos de adesão foram utilizados em todas as abdominoplastias e em nenhum caso foi utilizado qualquer tipo de drenagem. Como resultados obtidos, não foram evidenciados deiscência de sutura até o sétimo dia de pós-operatório, além da ausência de seroma e hematoma nesse período. Também não foi evidenciada, em nenhum dos 45 casos, presença de cicatriz hipertrófica, queloide e cicatriz pubiana alta no pós-operatório tardio.


CONCLUSÃO

Autilização dos pontos de adesão no retalho na abdominoplastia tem proporcionado o avanço efetivo desse retalho, colaborando sensivelmente para a redução de complicações, como deiscência de sutura, cicatriz hipertrófica, queloides e cicatriz pubiana alta, além de proporcionar aos pacientes maiores índices de satisfação pelo não uso de drenos e condições para retornar a suas atividades habituais mais precocemente.

 

Previous Article Back to Top Next Article

Support

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license