ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 3 de 3 resultado(s)

Busca por : Mamoplastia Implantes de mama Implante mamário Géis de silicone

Avaliação da qualidade de cicatrizes em mamoplastia de aumento por via submamária e transareolomamilar: um estudo longitudinal prospectivo

Denis Souto Valente; Lauro Aita Carvalho; Marcelo Tonding Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(1):81-86 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: O aumento das mamas se tornou um dos procedimentos mais realizados em Cirurgia Plástica. A cirurgia de aumento dos seios é quase inteiramente determinada por três variáveis: localização da incisão, plano de alocação da prótese e tipo de implante. Não há provas incontestáveis que apóiem a superioridade de uma combinação de opções sobre outra. O objetivo deste estudo é comparar, através da análise do cirurgião e das pacientes submetidas ao procedimento, a qualidade da cicatriz originada pela cirurgia de aumento mamário utilizando a via submamária e transareolomamilar. Método: Estudo longitudinal prospectivo para investigar pacientes submetidas a aumento mamário estético. Foi utilizada a Escala Paciente e Observador de Avaliação da Cicatriz para mensuração da qualidade cicatricial na revisão de um ano. Resultados: Quarenta e nove mulheres foram submetidas a mamoplastia de aumento primária por via inframamária (22 pessoas) ou abordagem transareolomamilar (27 pessoas), em um seguimento médio de 13 meses. O grupo transareolomamilar apresentou melhores resultados na avaliação do paciente. Entre os cirurgiões, a avaliação de ambos os grupos apresentou resultados semelhantes. Conclusões: Concluímos, com base nas escalas utilizadas e nos dados clínicos obtidos, que a via transareolomamilar demonstrou qualidade superior na avaliação de pacientes. Não houve diferença estatisticamente significativa entre as duas incisões na análise dos cirurgiões. Estudos adicionais envolvendo maior número de pacientes são necessários para comparar o resultado de cada uma das incisões avaliadas.

Palavras-chave: Mamoplastia. Implantes de mama. Implante mamário. Géis de silicone.

 

ABSTRACT

Introduction: Breast augmentation surgery has become one of the most common procedures in plastic surgery. It is almost entirely determined by 3 variables: location of the incision, pocket plane for implant placement, and type of implant. There is no evidence supporting the superiority of one combination of options over another. The aim of this prospective study was to compare the quality of the scars caused by inframammary and transareolomammillary augmentation mammaplasty in terms of surgeon and patient assessments. Methods: The study included women who underwent cosmetic breast augmentation surgery via inframammary and transareolomammillary incisions. The Patient and Observer Scar Assessment Scale was used for comparing the scar quality 1 year after the surgery. Results: Of 49 patients, 22 and 27 patients underwent primary augmentation mammaplasty via inframammary and transareolomammillary incisions, respectively. Their average follow-up period was 13 months. The transareolomammillary group had better patient assessment scores. However, the surgeon assessment scores of both groups were similar. Conclusions: According to the patients, transareolomammillary augmentation mammaplasty yielded better scar quality, but the surgeons noted no significant difference in scar quality between the inframammary and the transareolomammillary incisions. Additional studies involving a higher number of patients are required to confirm these results.

Keywords: Mammaplasty. Breast implants. Breast implantation. Silicone gels.

 

Mastopexia crescente com implantes de silicone: um estudo longitudinal prospectivo

Denis Souto Valente; Lauro Aita Carvalho; Rafaela Koehler Zanella
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(4):584-587 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Mastopexia periareolar crescente com aumento mamário é uma técnica bem descrita para correção de ptoses mamárias classificadas com graus I e II de Regnault. O objetivo deste estudo é discutir os resultados obtidos utilizando essa técnica, com posicionamento do centro de implantes redondos abaixo do mamilo. MÉTODO: Ptoses de grau I foram corrigidas, em pacientes selecionadas, utilizando uma combinação de mastopexia crescente periareolar com aumento mamário utilizando implantes de gel de silicone redondos de perfil alto. As pacientes responderam a um questionário, classificando os resultados obtidos com a mamoplastia como pobres, satisfatórios ou bons. RESULTADOS: Foram estudadas 128 pacientes, que receberam implantes de silicone com volume médio de 308 ml. Foram observadas taxas de reoperação e de complicação de 9,4% e 8,6%, respectivamente. Oitenta e uma (63,3%) pacientes responderam ao questionário, das quais 58% consideraram o resultado bom, 35,8% satisfatório e 6,2% pobre. CONCLUSÕES: Este estudo demonstrou que essa combinação de técnicas proporciona bons resultados, com baixo índice de complicações.

Palavras-chave: Mamoplastia. Implantes de mama. Implante mamário. Géis de silicone.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: The combination of crescent periareolar mastopexy with breast augmentation is a well-described technique for the cosmetic improvement of breast ptosis classified as grades I and II, according to the Regnault grade scale. The aim of this study is to discuss the results obtained by the authors using a combination technique where the center of the round implants was positioned below the nipple projection. METHODS: Grade I ptosis was corrected in certain patients by a combination of crescent periareolar mastopexy with breast augmentation using round-shaped, high-profile silicone gel implants. Each patient completed a questionnaire and rated the results obtained as poor, satisfactory, or good. RESULTS: Were studied 128 patients who received silicone implants (average volume, 308 mL). The observed reoperations and complications rates were 9.4% and 8.6%, respectively. Eighty one (63.3%) patients responded to the questionnaire, and 58% considered the result good, 35.8% considered it satisfactory, and 6.2% considered it poor. CONCLUSIONS: This study showed that this combination of techniques yields good results and low complication rates.

Keywords: Mammaplasty. Breast implants. Breast implantation. Silicone gels.

 

Incisão transareolopapilar para mamoplastia de aumento: experiência dos últimos 10 anos do Instituto Ivo Pitanguy

João Paulo Mendes Verbicário; André Ventura Ferreira; Thiago Ayres Holanda; Natale Ferreira Gontijo de Amorim; Ivo Pitanguy
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(4):670-674 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Várias vias de acesso foram criadas para a inclusão de implantes na cirurgia de aumento das mamas. Em 1966, Pitanguy descreveu a via de acesso transareolopapilar. O objetivo do presente estudo é avaliar as mamoplastias de aumento realizadas no Instituto Ivo Pitanguy (Rio de Janeiro, RJ, Brasil), nas quais se utilizou a incisão transareolopapilar, nos últimos 10 anos. MÉTODO: Realizado estudo retrospectivo, analisando-se os seguintes parâmetros: tamanho dos implantes, indicação da incisão transareolopapilar e complicações pós-operatórias, como alterações cicatriciais. RESULTADOS: Foram incluídas no estudo 53 pacientes, com média de idade de 33,54 anos e tempo médio de seguimento de 11,6 meses. A maioria (60,4%) dos implantes possuía menos de 200 ml. Doze pacientes foram submetidas a reintervenções pelas seguintes razões: nódulo mamário (1 caso), infecção (1 caso), contratura capsular (1 caso), e insatisfação com a forma das mamas (4 casos), com o volume (4 casos) e com a cicatriz unilateral (1 caso). Dezesseis (30,2%) pacientes desenvolveram alguma complicação menor no pós-operatório e 13 (24,5%) apresentaram alguma alteração cicatricial no pós-operatório: hipocromia (18,9%), hipertrofia unilateral (1,9%), retração cicatricial unilateral (1,9%), e aréola bífida (1,9%). Vinte (37,7%) pacientes realizaram seguimento pós-operatório superior a um ano e relataram satisfação com a cicatriz. CONCLUSÕES: A incisão transareolopapilar permite a inclusão de implantes de tamanho pequeno a moderado, com baixo índice de complicações pós-operatórias e cicatriciais, desde que seguida a correta técnica cirúrgica.

Palavras-chave: Mamoplastia. Implantes de mama. Implante mamário. Géis de silicone. Hipopigmentação.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: There are numerous access routes for inserting implants during breast augmentation surgery. In 1966, Pitanguy described the transareolopapilar route. The aim of this study was to assess the use of transareolopapilar incision during breast augmentation surgery at the Ivo Pitanguy Institute (Rio de Janeiro, RJ, Brazil), over the past 10 years. METHODS: Retrospective analyses of the size of the implants used, indications for transareolopapilar incision, postoperative complications, and postoperative scarring were performed. RESULTS: Fifty-three patients with a mean age of 33.54 years were included, and the mean follow-up period was 11.6 months. Most (60.4%) of the implants were <200 ml. Twelve patients required a second operation due to a breast lump (1 case); infection (1 case); capsular contracture (1 case); and dissatisfaction with breast shape (4 cases), volume (4 cases), and unilateral scarring (1 case). Sixteen (30.2%) patients developed some form of minor postoperative complication; 13 (24.5%) had one or more scarring issues, including hypochromia (18.9%), hypertrophy (1.9%), scar retraction (1.9%), and areola bifida (1.9%). Twenty (37.7%) patients underwent postoperative follow-up for more than one year and were satisfied with the postoperative scar. CONCLUSIONS: The transareolopapilar incision facilitates the insertion of small-to-moderate size implants with a low rate of postoperative complications and a low incidence of scarring, provided the correct surgical technique is used.

Keywords: Mammaplasty. Breast implants. Breast implantation. Silicone gels. Hypopigmentation.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons