ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 3 de 3 resultado(s)

Busca por : Yhelda de Alencar Felicio

Novo momento da cirurgia de redução mamária, follow up de 25 anos de redução mamária por via axilar

Yhelda de Alencar Felicio
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.2):45-48 - 33ª Jornada Norte-Nordeste de Cirurgia Plástica

PDF Português

RESUMO

Introdução: Nos últimos 30 anos, o uso de próteses mamárias aumentou demasiadamente e, consequentemente, as complicações advieram. O câncer mamário, principalmente o ALCL (Linfoma Anaplástico de Grandes Células), após o uso de implante mamário, aumenta a largos passos e não é divulgado como deveria ser. O modismo acompanha o desejo feminino e muitas mulheres não querem mais nem mamas grandes demais e nem pequenas. Acredita-se que se inicia um novo momento e a cirurgia de redução mamária deve ser revista. O objetivo é implementar novos conceitos referentes à cirurgia de redução mamária. Reduzir e elevar a mama com preservação do complexo areolomamilar (CAM) mantendo o polo superior cheio, evitando cicatriz na mama.
Método: A paciente deve permanecer em decúbito dorsal, deitada, com os braços abertos; a anestesia poderá ser local, geral e peridural alta e sedação (que é a preferência da autora). Incisão fusiforme, contornando a axila; o plano de clivagem ideal é intraglandular e a remoção de tecido mamário e gorduroso é feita sob radiofrequência, auxiliada por fibra óptica, sendo que a retirada dos tecidos recomenda-se ser pouco a pouco, não em bloco, até não mais haver tecidos sobre os músculos peitorais, momento este em que deve findar a ressecção tecidual, preservando o CAM. A drenagem permanece por 48 horas. As suturas devem ser em 3 planos, mamário com vicryl 3 zeros, subcutâneo, com mononylon 4 zeros e pele, com mononylon 5 zeros. Curativo contensivo nas axilas por 24 horas e o uso direto de sutiã, no mínimo nos 3 primeiros meses. Acesse os links: https://youtu.be/aknly9Zz8JO e https://youtu.be/NcsBMYzOEKE
Resultados: 514 mamas foram registradas, sendo operadas de redução mamária por via axilar: 66,14% de casos de hipertrofia mamária; 14,98%: ptose; 9,72%: assimetria; 7,79%: mastopexia associada a implante de silicone e 1%: tumor benigno e ginecomastia aberrante. A idade variou de 16 a 58 anos. A quantidade de tecido ressecada variou de 50 a 1500g. Complicações: 3,30%, 6: queloide; 6: cicatriz hipertrófica com seroma; 3 hematoma com pequena deiscência; 2 hipersensibilidade de braço, que desapareceram após 30 dias de fisioterapia.
Conclusão: A técnica de redução mamária via axilar é econômica, pouco agressiva, mantém a forma inicial da mama, soluciona o difícil problema da lateralização da mama, achado comum nas técnicas convencionais e muito criticado pelas pacientes. Proporciona uma satisfatória projeção do polo superior da mama, tornando-o cheio, saliente (desejo da maioria das pacientes) e como principal vantagem: resulta em uma única cicatriz que permanece escondida nas pregas naturais da axila.

Palavras-chave: Mamoplastia; Doença da mama fibrocística; Neoplasias da mama; Implante mamário; Axila.

 

ABSTRACT

Introduction: Breast prostheses use had great growth in the last 30 years, then, complications are very high, including breast cancer, ALCL and that is not divulged in the world. Modism accompanies female desire and many women no longer want big breasts or too small or small, it is believed that a new time begins and breast reduction surgery should be reviewed. The objective is to implement new concepts about breast reduction surgery. To lift up and reduce breast, preserving CAM (complex areolomamilar) and maintaining superior pole full, avoiding breast scar.
Method: The patient should remain in supine position, lying down, with arms outstretched; anesthesia may be local, general and high epidural and sedation (which is the author's preference). Spindle incision, bypassing the armpit; ideal cleavage plane is intraglandular and removal of breast and greasy tissue is done under radiofrequency, aided by fiber optics, and removal of tissues is recommended to be gradually, not in block, until there are no more tissues on pectoral muscles, which should end the tissue resection, preserving CAM. The drainage remains for 48 hours. Sutures should be in 3 planes, mammary with vicryl 3 zeros, subcutaneous, with mononylon 4 zeros and skin with mononylon 5 zeros. Contouring dressing in the armpits for 24 hours and direct use of bra, at least in the first 3 months. See the links: https://youtu.be/aknly9Zz8JO and https://youtu.be/NcsBMYzOEKE.
Results: 514 breasts were registered, undergoing axillary reduction by the axillary route: 66.14% of cases of mammary hypertrophy; 14.98%: Ptose; 9.72%: Asymmetry; 7.79%: Mastopexy associated with silicone implant and 1%: Benign tumor and Aberrant gynecomastia. Age ranged from 16 to 58 years. The amount of resected tissue ranged from 50 to 1500g. Complications: 3.30%, 6: keloid; 6: hypertrophic scar with seroma; 3 hematoma with small dehiscence; 2 arm hypersensitivity, which disappeared after thirty days of physical therapy.
Conclusion: The axillary breast reduction technique is economical, low aggressive, maintains initial breast shape, solves the difficult problem of breast lateralization, a common finding in conventional techniques and much criticized by the patients. It provides satisfactory projection of breast upper pole, making it full, salient (desire of most patients) and as a main advantage: it results in a single scar that remains hidden in the natural folds of the armpit.

Keywords: Mammaplasty; Fibrocystic breast disease; Breast neoplasms; Breast implantation; Axilla.

 

Plástica do púbis e da genitália externa: duas décadas de experiência

Yhelda de Alencar Felicio
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(2):321-327 - Artigo Original

PDF Português

RESUMO

Introdução: Este artigo registra a experiência de duas décadas de cirurgias realizadas na região do púbis e da genitália externa em pacientes de ambos os sexos. A literatura apresenta limitadas contribuições sobre as alterações morfológicas que têm levado seus portadores a se submeterem a cirurgias para retornarem à normalidade anatômica, ao equilíbrio emocional e a recuperarem a autoestima. Método: Foram operados 513 pacientes com diferentes tipos de patologias nos genitais externos e no púbis, num período de vinte anos, sendo 469 (91,42%) do sexo feminino e 44 (8,58%) do sexo masculino. A idade variou de 17 a 70 anos. No sexo feminino, as deformidades mais frequentes foram as distrofias do púbis, grandes e pequenos lábios, prepúcio sobre o clitóris, além das distorções secundárias decorrentes de cirurgias realizadas previamente nestas regiões. No sexo masculino, as afecções mais frequentes envolveram a região pubiana, hipotrofias penianas, sinéquias e ausência de testículos. Deformidades congênitas, além das descritas, não foram incluídas no presente artigo. Resultados: Durante o período de 1989 a 2010, os procedimentos aplicados nas disformias pubianas e nas genitálias beneficiaram pacientes física e psicologicamente, pela qualidade dos resultados e pelo baixo índice de complicações (2,31%). Conclusões: Apesar da limitada divulgação científica nas revistas da especialidade e nos eventos científicos, a importância destas patologias não tem limite nos seus portadores. Uma das razões da presente publicação baseia-se na experiência adquirida e a necessária divulgação aos especialistas que realizam estas cirurgias, face às consequências que determinam quando não executadas dentro da necessária realidade.

Palavras-chave: Genitália feminina/cirurgia. Genitália masculina/cirurgia. Púbis/cirurgia. Cirurgia plástica/métodos.

 

ABSTRACT

Introduction: This article is the result of two decades of surgical experience in the pubic region for patients of both genders with the external genitalia dimorphic aspects. The literature presents limited contributions regarding the morphologic alterations of these regions, responsible for the patients be submitted to these surgeries to return to their normal anatomic aspects, to the emotional equilibrium and to the self-esteem. Methods: Patients of both genders, in a total of 513, with different types of pathologies of the external genitalia and the pubic regions were submitted to specific surgeries, where 469 (91.42%) were female and 44 (8.58%) were male. The age range was from 17 to 70 year old. In the female patients were included: dystrophies of the pubis, labia majora and minora, skin excess of the clitoris, and the treatment of other types of unacceptable results after previous surgical procedures. The male deformities included in this study were: penis hypotrophy, skin penis synechia, local angioma and the absence of congenital testicular glands. Congenital or acquired deformities out of the described were not included. Results: From 1989 to 2010, the procedures used in the genitalia and in the pubis dimorphisms brought psychological and physic benefic to the patients combined with low complication rate (2.31%). Conclusions: Despite of the limited scientific publications in the journals of the specialty and in the scientific meetings, the importance of these messages has no limits to their holders. One of reasons of this publication is based in acquired experience and the necessary diffusion for those that perform these surgeries but still with negative results when not performed within the necessary level.

Keywords: Genitalia, female/surgery. Genitalia, male/surgery. Pubic bone/surgery. Plastic surgery/methods.

 

Verdades e inverdades sobre a cirurgia íntima, 28 anos de experiência

Yhelda de Alencar Felicio
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.2):93-95 - 33ª Jornada Norte-Nordeste de Cirurgia Plástica

PDF Português

RESUMO

Introdução: Em virtude da Cirurgia Plástica estar sendo invadida por colegas não especialistas, muitos aventureiros passaram a realizar a cirurgia íntima, consequentemente, as complicações estão surgindo em progressão geométrica em todo o mundo. A cirurgia íntima é uma cirurgia de detalhes e que deve ser realizada por cirurgiã/ão plástica/o qualificada/o que deve ter profundo conhecimento dos princípios básicos de Cirurgia Plástica e dominar o uso de lipoescultura com seringa. O primeiro implante de gordura autóloga em púbis em uma paciente ocorreu em 1989, precisamente em Fortaleza/Ceará, Brasil, realizado pela autora, com sucesso, motivo de se dar o start em cirurgia íntima. O objetivo é divulgar métodos cirúrgicos e resultados pela Medicina de Evidência com correções cirúrgicas de disformias dos órgãos genitais externos, principalmente, evitando aberrações cirúrgicas.
Método: Lipoescultura com seringa, lipofilling pubiano, incisões fusiformes respeitando as linhas de força da pele de cada região e escolha de cada tática cirúrgica de acordo com cada caso clínico. Ver o link: https://youtu.be/-AioaxHaj4E.
Resultados: Foram registrados 749 casos, no período de 1989 a 2014, sendo 85% no sexo feminino e 15% no sexo masculino. A afecção de maior percentagem foi a hipertrofia dos pequenos lábios: 51,53% na mulher; e no homem: hipotrofia de pênis: 7,07%. Complicação: 1,98%.
Conclusão: A cirurgia íntima corrige disformias congênitas ou adquiridas, deve ser realizada por cirurgiã/ão plástica/o qualificada/o que tenha amplo conhecimento dos princípios básicos da Cirurgia Plástica, hábil no uso de retalhos cutâneos e que domine a técnica de lipoescultura com seringa. A retirada de tecidos ou implantes está situada entre limites estreitos de segurança.

Palavras-chave: Genitália; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Genitália masculina; Genitália feminina; Hipertrofia; Genitalia; Reconstructive surgical procedures; Genitalia, Male; Genitalia, female; Hypertrophy

 

ABSTRACT

Introduction: Because Intimate Surgery is being invaded by non-specialist colleagues, many adventurers have started to perform Intimate Surgery, consequently the complications are emerging in geometric progression all over the world. Intimate Surgery is a detail surgery and it should be performed by a qualified Plastic Surgeon who must have in-depth knowledge of basic principles of plastic surgery and master the use of liposculpture with syringe. The objective is to divulge surgical methods and results by Medicine of Evidence with surgical corrections of external genital organs dysformia, mainly, avoiding surgical aberrations. To do corrections in parts of body that can to affect not only body, but the soul, too.
Method: To use liposuction by syringe, pubis lipofeeling, fusiform incisions respecting the force's lines of the skin, choosing one technique for each case. See the link: https://youtu.be/-AioaxHaj4E
Result: During 1989 until 2014 were registred 749 cases, being: 636 in female and 113 in male, the pathology more find in female was short labia hypertrophy: 51.53% and in male was penis hypotrophy: 7.07% and complication: 1.98%.
Conclusion: Intimate Surgery remove congenic and acquired dysmorphic and needs to be made by qualified plastic surgeon, he needs to have great known to use skin flaps and to dominate liposuction by syringe. The remotion of tissue or implants is between security short limits.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons