ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 5 de 5 resultado(s)

Busca por : Tatyanne Ferreira da Silva

Tratamento de ptose palpebral congênita pela técnica de Lester Jones

Tatyanne Ferreira da Silva; Alcides Martins Arruda; Fabio Tacla Saad; Marina Buinain Balbuena; Bruno Barros de Azevedo Coutinho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(4):575-577 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A ptose palpebral ou blefaroptose caracteriza-se pela disfunção, ou inabilidade do paciente em realizar a abertura da fenda palpebral de maneira normal. Geralmente é decorrente do acometimento do músculo levantador da pálpebra; a forma congênita ocorre em 60% a 70%. No presente trabalho é descrito um caso de ptose palpebral congênita moderada em uma paciente de nove anos, com boa função do músculo levantador da pálpebra, em olho esquerdo. A paciente foi submetida a tratamento cirúrgico pela técnica de Lester Jones, indicada nos casos de ptose de grau moderado, apresentando um resultado estético e funcional satisfatório.

Palavras-chave: Blefaroptose congênita; Músculo levantador da pálpebra; Lester Jones.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Palpebral ptosis or blepharoptosis is characterized by the dysfunction or inability of the patient to normally open the palpebral fissure. Usually, it is due to the involvement of the eyelid levator muscle. The congenital form occurs in 60%-70% of cases. In this study, we describe a case of moderate congenital palpebral ptosis in a 9-year-old patient who presented with a good eyelid levator muscle function in the left eye. The patient underwent surgical treatment with the Lester Jones technique, as indicated for cases of moderate ptosis, and achieved satisfactory aesthetic and functional results.

Keywords: Congenital Blepharoptosis; Eyelid levator muscle; Lester Jones.

 

Reimplante de pé em criança: relato de caso

Marina Buainain Balbuena; Kleder Gomes de Almeida; Paulete Yuri Nukariya Gomes de Almeida; Bruno Barros de Azevedo Coutinho; Tatyanne Ferreira da Silva; Fábio Tacla Saad
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(4):582-586 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: As indicações de reimplante de membros inferiores em crianças são ainda controversas na literatura e, comparadas com os reimplantes de membros superiores, são mais seletivas. Os reimplantes de membro inferior são menos frequentes por várias razões, haja vista que os traumas que provocam amputações ao nível do membro inferior geralmente são de alta energia cinética e provocam grave lesão tecidual, além da associação frequente de lesões de outros órgãos que contraindicam o procedimento. Associada à frequência de complicações graves no pós-operatório e os resultados medíocres de alguns casos, muitos cirurgiões se sentem desencorajados a reimplantar estes segmentos. Existem poucos relatos de reimplantes de membros inferiores com sucesso funcional na literatura. Relato de caso: Paciente E.S.S., sexo feminino, quatro anos de idade, vítima de atropelamento por trem em julho de 1997, que resultou em esmagamento do terço inferior da perna esquerda e amputação ao nível do tornozelo esquerdo. A paciente deu entrada na emergência da Santa Casa de Campo Grande-MS, apresentando boas condições gerais, sendo indicado o reimplante do membro amputado. Foi então transferida à sala de operação (S.O), e após oito horas de isquemia foi reimplantado o pé esquerdo. CONCLUSÃO: Fica claro que em casos selecionados, como o da paciente acima, o reimplante microcirúrgico é uma opção válida e extremamente valiosa, não só do ponto de vista funcional, mas estético.

Palavras-chave: Reimplante de membros; Microcirurgia; Reimplante em crianças.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The indications for lower limb replantation in children are still controversial in the literature. Furthermore, they are more selective than those for upper limb replantation. Replantations of lower limbs are less frequent for various reasons, including that the traumas leading to amputations at the lower limb level are usually high-kinetic-energy injuries and involve severe tissue damage, in addition to their frequent association with other organ damage that discourage the use of the procedure. Because of the association with frequent serious postoperative complications and unsatisfactory outcomes in some cases, many surgeons feel discouraged to replant these segments. There are few literature reports on lower limb replantations with functional success. CASE REPORT: Patient E.S.S. is a 4-year-old girl who was run over by a train in July 1997. The accident resulted in the crushing of the lower third of her left leg and the amputation of her left ankle. She was admitted to the emergency room of Santa Casa de Campo Grande-MS, in good overall condition. Replantation of the amputated limb was recommended. She was then transferred to the operating room, and her left foot was replanted after 8 h of ischemia. CONCLUSION: Clearly, in selected cases, such as the patient reported here, microsurgical replantation is a valid and extremely valuable option, both from a functional and an aesthetic point of view.

Keywords: Limb replantation; Microsurgery; Replantation in children.

 

Uso de retalhos microcirúrgicos em pacientes queimados: revisão da literatura

Bruno Barros de Azevedo Coutinho; Marina Buainain Balbuena; Tatyanne Ferreira da Silva; Fábio Tacla Saad; Kleder Gomes de Almeida; Paulete Yuri Nukariya Gomes de Almeida
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(2):316-320 - Artigo de Revisão

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Pacientes com queimaduras graves, em casos de acometimento articular e de exposição de estruturas nobres, necessitam de cobertura local o mais breve possível. Em ambas as situações referidas, faz-se necessária a realização de procedimentos que proporcionem cobertura adequada de tais tecidos e estruturas. Retalhos locais são a primeira escolha, em decorrência da simplicidade de sua confecção e da boa cobertura propiciada por eles. Entretanto, no universo dos pacientes queimados, as áreas contíguas à área lesionada geralmente apresentam-se queimadas ou com tecidos de baixa qualidade, em decorrência de alterações locais, principalmente na circulação. Quando não é possível o emprego de retalhos locais, utilizam-se retalhos à distância e/ou microcirúrgicos. Entretanto, retalhos à distância geralmente necessitam de reconstruções em tempos diversos e, em alguns casos, imobilização prolongada no leito. Com a introdução da técnica microcirúrgica para reparo de grandes perdas de substância em tempo único, há mais de três décadas, em nosso meio, o transplante de tecido passou a ser uma realidade no arsenal técnico do cirurgião para reparo dessas graves sequelas, proporcionando resultados funcionais e estéticos mais aceitáveis, associado ou não a outros métodos consagrados, como expansão tecidual ou enxertia cutânea. Neste trabalho, são discutidos os aspectos relativos a esse arsenal terapêutico, suas indicações e contraindicações, e os aspectos técnicos relativos a cada região.

Palavras-chave: Queimaduras. Microcirurgia. Transplante de tecidos.

 

ABSTRACT

Patients with severe burns complicated by joint involvement and exposure of noble structures require immediate local cover, which can be achieved using a variety of surgical procedures. Local flaps are the first choice due to the simplicity of their preparation and the resulting acceptable cover. However, the tissue adjacent to the burned area is often of low quality as a consequence of local changes that mainly affect blood circulation. When local flaps cannot be used, distant and/or microsurgical flaps can be applied. However, distant flaps generally require reconstructions performed in separate surgical procedures, which can prolong bed rest and immobilization of the patient. For more than 3 decades, microsurgery has been used to repair significant tissue losses in a single surgical procedure. This technique enabled the use of tissue transplantation for the repair of burn sequelae. Often in association with other established surgeries, such as skin graft or tissue expansion, these procedures provide better functional and aesthetic results. In the present study, aspects of this therapeutic strategy, as well as the indications, contraindications, and technical details of tissue transplantation are discussed.

Keywords: Burns. Microsurgery. Tissue transplantation.

 

Reconstrução de dorso nasal: relato de caso

Gustavo de Sousa Marques Oliveira; Alcides Martins Arruda; Tatyanne Ferreira da Silva; Fabio Tacla Saad; Gabriel Rahal Costa; Elson Taveira Adorno Filho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(2):315-318 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O dorso nasal é um local comum para o desenvolvimento de neoplasias cutâneas, predominantemente o epitelioma basocelular. Em 1964, Barsky preconiza um retalho quadrangular do dorso nasal, com base na região glabelar, utilizando somente pele da região dorsal. Baseava-se em um procedimento simples recobrindo áreas cruentas até a ponta nasal, resultando em cicatrizes pouco perceptíveis. RELATO DE CASO: Paciente de 82 anos procurou o Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian apresentando lesão em dorso nasal de aproximadamente 3 × 2 cm, ulcerada com base eritematosa e limites mal definidos. A técnica utilizada para correção da perda de substância foi o deslizamento de um retalho frontoglabelar com pedículo randomizado. A paciente evoluiu com viabilidade do retalho, apresentando restauração do dorso nasal e resultado estético satisfatório. CONCLUSÃO: Em decorrência da cor e textura adequadas da pele desta região, o retalho frontoglabelar é reconhecidamente uma excelente área doadora para cobertura do dorso do nariz.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Epitelioma basocelular; Nariz/anatomia & histologia; Deformidades adquiridas nasais; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The nasal dorsum is a common location for the development of cutaneous tumors, predominantly basal cell epithelioma. In 1964, Barsky recommended a quadrangular flap for coverage of the nasal dorsum, taken from the glabellar region, to most closely match the skin of the dorsal region. This was based on a simple procedure for covering raw areas up to the nasal tip, resulting in less noticeable scars. CASE REPORT: An 82-year-old woman presented to the Plastic Surgery Service of the University Hospital Maria Aparecida Pedrossian with a lesion on the nasal dorsum of approximately 3 x 2 cm, ulcerated with an erythematous base, and ill-defined limits. A fronto-glabellar sliding flap was used to correct the loss of substance. The patient progressed with flap viability, restoration of the nasal dorsum, and satisfactory esthetic results. CONCLUSION: Owing to the color and texture of the skin from this region, the fronto-glabellar flap is an excellent donor area for coverage of the nasal dorsum.

Keywords: Surgical flaps; Basal cell epithelioma; Nose anatomy & histology; Acquired nasal deformities; Reconstructive surgical procedures.

 

Reconstrução de dorso do pé com retalho supramaleolar lateral de fluxo reverso em menor de 4 anos de idade

Fábio Tacla Saad; Kleder Gomes de Almeida; Paulete Yuri Nnukariya Gomes de Almeida; Tatyanne Ferreira da Silva; Marina Buainain Balbuena; Bruno Barros Azevedo Coutinho; Gabriel Rahal Costa; Gustavo de Sousa Marques Oliveira; Alcides Martins Arruda
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(2):324-328 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Lesões em terço distal da perna podem deixar expostas áreas nobres, que devem ser recobertas. O retalho supramaleolar lateral faz parte de uma série de retalhos descritos na última década, é fasciocutâneo elevado no aspecto lateral da perna inferior, sendo empregado como um retalho pediculado com base distal. O objetivo do presente relato de caso é apresentar os resultados cirúrgicos e a eficácia do retalho supramaleolar lateral em lesões extensas no membro inferior com perdas de substâncias significativas em criança de 4 anos. RELATO DE CASO: Paciente A.K.E.S., sexo feminino, foi internada há 13 anos, vítima de atropelamento, com lesão extensa em dorso de pé esquerdo com exposição de áreas nobres de aproximadamente seis centímetros de diâmetro. Após desbridamento, no quinto dia foi realizada cobertura da lesão com retalho fasciocutâneo supramaleolar lateral. A paciente teve alta para acompanhamento ambulatorial, evoluindo sem intercorrência. Ela retornou ao serviço apenas 13 anos após com sobrepeso e reclamando do aumento de volume no dorso do pé. Foi realizada lipectomia do terço distal do retalho, evoluindo sem intercorrência. Um segundo procedimento do terço proximal foi programado para seis meses após. DISCUSSÃO: Lesões no terço distal da perna podem expor áreas nobres. Os retalhos supramaleolar lateral, sural e de perfurantes pediculados possuem aplicações semelhantes, mas apresentam peculiaridades técnicas individuais. Como vantagens no retalho supramaleolar lateral: não há necessidade de microanastomoses, é rápido para ser executado e simula a área receptora em várias características locais. CONCLUSÃO: É um retalho de maior facilidade de execução e reprodutível, podendo ser realizado em crianças menores de 5 anos. Tem sua aplicação como alternativa para lesões em terços inferiores da perna, tornozelo e pé.

Palavras-chave: Retalhos cirúrgicos; Extremidade inferior; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Traumatismos da perna.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Injuries in the distal third of the leg may expose noble areas that should be covered. The lateral supramalleolar flap is one of a series of flaps described in the last decade; it is an elevated fasciocutaneous flap in the lateral aspect of the lower leg, and is employed as a distally based pedicled flap. The purpose of this case report is to present the surgical results and the effectiveness of the lateral supramalleolar flap in extensive lower limb injuries with significant loss of substance in a 4-year-old child. CASE REPORT: Patient A. K. E. S., a girl, was admitted 13 years previously. She had been in an accident, and had extensive injuries on the dorsum of the left foot, with exposure of noble areas approximately 6 cm in diameter. After debridement, lesion coverage was performed on the fifth day by using a fasciocutaneous lateral supramalleolar flap. The patient was discharged for outpatient monitoring and progressed without complication. She only returned to the hospital 13 years later, overweight and complaining of swelling on the dorsal aspect of the foot. Lipectomy of the distal third of the flap was performed, with uncomplicated progress. A second procedure for the proximal third was scheduled six months later. DISCUSSION: Injuries in the distal third of the leg may expose noble areas. Lateral supramalleolar, sural, and pedicled perforating flaps have similar applications, but show individual technical peculiarities. The lateral supramalleolar flap has no need for microsurgery, is rapidly performed, and simulates the receiving area while considering several local characteristics. CONCLUSION: This flap is easily implemented and reproducible, and can be used in children younger than 5 years of age. It is an alternative for injuries in the lower third of the leg, the ankle, and the foot.

Keywords: Surgical flaps; Lower extremity; Reconstructive surgical procedures; Leg injuries.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons