ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 11 de 11 resultado(s)

Busca por : Sergio Moreira da Costa

Retalhos do músculo oblíquo externo

João Carlos Cisneiros Guedes de Andrade Júnior, Luiz Eduardo Toledo Avelar, Sérgio Moreira da Costa, Rodrigo Otávio Gontijo Tostes, Lauro José Victor Avellán Neves
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(2):145-151 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

O uso de retalhos do músculo oblíquo externo é um importante complemento às abdominoplastias estéticas, por proporcionar melhora no contorno corporal, com afinamento da cintura, e servindo ainda como um grande reforço nos casos de reconstruções da parede abdominal ântero-lateral. Os autores apresentam um estudo de 42 casos, no qual foi realizado o retalho para diferentes indicações, sendo 34 operações estéticas e 8 operações reparadoras. Avaliam o objetivo e o resultado obtido em cada indicação, detalham aspectos técnicos, bem como as complicações apresentadas. O estudo visa divulgar os retalhos músculo-aponeuróticos do oblíquo externo como sendo de fácil execução, grande avançamento e cobertura, e consequentemente, de importante valor funcional e estético.

Palavras-chave: Abdome/cirurgia. Músculos abdominais. Retalhos cirúrgicos.

 

ABSTRACT

The external oblique myofascial flaps are an important complement of the aesthetic abdominoplasty, making possible to achieve better body contouring and to thin the waist. The flap is also useful to give strength to the anterior abdominal wall in reconstructive abdominal surgeries. The authors present a study of 42 cases where the flap was done for different indications, 34 for aesthetic purposes and 8 for reconstructive purposes. They analyze the objectives and results of each operation, describe technical details and the complications. The purpose of this study is to show the external oblique myofascial flaps as one of easy execution, spread advancement, high abdominal wall protection for reconstructive surgeries and a complement in wasting for body contour procedures.

Keywords: Abdomen/surgery. Abdominal muscles. Surgical flaps.

 

Tratamento de fratura de assoalho orbital com cartilagem conchal

Waldemar Chaves Nascimento Brandao Penna; Isabel Camilo de Oliveira; David Santiago Ordonez Arízaga; Marco túlio Ribeiro Peixoto Ferreira; Márcio Henrique Lima Resende; Gustavo Moreira Costa de Souza; Sérgio Moreira da Costa; Klaus Rodrigues de Oliveira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(2):181-189 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A reconstrução dos defeitos no assoalho orbital após fraturas constitui um desafio ao cirurgião plástico, pois além da expectativa estética e reconstrutora do paciente, cabe o tratamento de possíveis complicações funcionais, como diplopia e parestesias faciais. O objetivo é demonstrar uma série de casos utilizando cartilagem auricular conchal para reposição volumétrica orbital e estrutural do assoalho. MÉTODOS: Foram avaliados 24 pacientes, operados pelo autor deste trabalho no período de 2013 a 2016, por motivo de fraturas de assoalho orbital pura (blow-out) ou impura (conjugadas a lesões de margem orbital, como zigoma e maxila). A técnica de estruturação do assoalho utilizou enxerto cartilaginoso autólogo conchal em todos os casos. Os pacientes foram catalogados quanto à presença de queixas pré-operatórias, como parestesia e diplopia, e sintomas, como enoftalmia, assim como resultados pós-operatórios. RESULTADOS: A presença de lesões concomitantes como fratura de complexo zigomático e fratura maxilar pode influenciar no sucesso da reconstrução, assim como as fraturas com maior área de descontinuidade no assoalho orbital. Poucos pacientes apresentaram queixas pós-operatórias e somente dois casos (9,2%) necessitaram de nova abordagem cirúrgica. CONCLUSÃO: A cartilagem conchal auricular autóloga é um material adequado à reconstrução de defeitos no assoalho orbital pós-fratura, apresentando como vantagens a fácil obtenção, baixa morbidade, cicatriz inconspícua, excelente adaptação ao formato do assoalho da órbita e consequente reposição volumétrica.

Palavras-chave: Órbita; Fraturas orbitárias; Implantes orbitários.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The reconstruction of defects in the orbital floor after fractures poses a challenge to the plastic surgeon because besides the patient's aesthetic and reconstructive expectations, possible functional complications such as diplopia and facial paresthesia must be treated. This study aimed at reporting a series of cases in which conchal auricular cartilage was used for volumetric orbital and structural replacement of the floor. METHODS: Twenty-four patients, with surgery performed by the author, between 2013 and 2016, for pure (blow-out) or impure (conjugated to orbital margin injuries, such as zygoma and maxilla) orbital floor fractures, were evaluated. The repair technique involved autologous conchal cartilage graft in all cases. Patients were classified for the presence of preoperative complaints, including paresthesia and diplopia, and symptoms such as enophthalmia, as well as postoperative outcomes. RESULTS: The existence of concomitant lesions, such as zygomatic complex and maxillary fracture, as well as fractures with greater discontinuity in the orbital floor, may influence the success of reconstruction. Few patients exhibited postoperative complaints and only two (9.2%) required a new surgical approach. CONCLUSION: Autologous conchal auricular cartilage is a suitable material for reconstruction of defects in the post-fracture orbital floor, possessing various advantages, including ease of attainment, low morbidity, inconspicuous scar, and excellent adaptation to the shape of the orbital floor and consequent volumetric replacement.

Keywords: Orbit; Orbital fractures; Orbital implants.

 

Condutas em lipoaspiração entre cirurgiões brasileiros

Gustavo Moreira Costa de Souza; Sérgio Moreira da Costa; Márcio Henrique Lima Resende; Christiane Steponavicius Sobral; Lydia Masako Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(2):181-186 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Desde a década de 1980, com Illouz, a lipoaspiração ganhou popularidade e representa hoje um dos procedimentos mais realizados no mundo. Algumas de suas complicações são graves e potencialmente letais. Não existe, contudo, uma uniformidade em sua prática ou no seu ensino. A avaliação das técnicas empregadas por cirurgiões plásticos pode ser o início de uma padronização.
Métodos: Foi aplicado um questionário sobre lipoaspiração no 52º Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica para cirurgiões plásticos de diferentes faixas etárias e regiões do Brasil, presentes no evento.
Resultados: Foram contabilizados 243 questionários preenchidos (n = 243). O número médio de incisões foi de 9 (2 - 16). Duzentos e quarenta e um cirurgiões (99%) realizam incisões na linha mediana/paramediana anteriormente e 236 (97%) incisam na linha mediana/paramediana na região posterior. Aproximadamente metade dos questionados utilizam a anestesia geral. Duzentos e nove cirurgiões (86%) posicionam o paciente em decúbito ventral durante o procedimento. A lipoaspiração superficial é realizada por 146 (60%) entrevistados, sendo que 22 (9%) fazem a aspiração apenas desta camada adiposa. Oitenta e cinco (35%) participantes relatam controlar a pressão do aparelho durante o procedimento.
Conclusão: A lipoaspiração realizada no Brasil apresenta grande variação técnica. Essa constatação nos faz refletir sobre a necessidade de uma uniformização de sua prática e ensino a fim de aumentar o controle e a segurança do procedimento.

Palavras-chave: Lipectomia; Gordura subcutânea abdominal; Dorso; Posicionamento do paciente; Anestesia

 

ABSTRACT

Introduction: Since the 1980s, with Illouz, liposuction has gained popularity and represents one of the most commonly performed procedures in the world today. Some of the complications are serious and potentially lethal. Nevertheless, uniformity in its practice or the manner in which it is taught does not exist. Evaluating techniques employed by plastic surgeons may be the start toward standardization.
Methods: A questionnaire on liposuction was given to plastic surgeons of different age groups and from regions of Brazil who were present at the 52nd Brazilian Conference for Plastic Surgery.
Results: Two hundred forty-three questionnaires were filled out (n = 243). The average number of incisions was 9 (2-16). Two hundred forty-one surgeons (99%) made incisions along the anterior median/paramedian line, and 236 (97%) made incisions on the posterior median/paramedian line. Approximately half of those surveyed utilized general anesthesia. Two hundred nine surgeons (86%) placed the patient in the prone position during the procedure. One hundred forty-six (60%) interviewees performed superficial liposuction, with 22 (9%) performing liposuction only on this adipose layer. Eighty-five (35%) participants reported controlling the apparatus's pressure during the procedure.
Conclusion: Liposuction procedures performed in Brazil have significant technical variations. This finding encourages us to reflect on the need to standardize liposuction practice and the manner in which it is taught so as to increase control over the procedure and its safety.

Keywords: Lipectomy; Subcutaneous abdominal fat; Dorsal; Patient positioning; Anesthesia

 

Mamoplastia: retalho fascioadenocutaneo areolado

Gustavo Moreira Costa de Souza; Sergio Moreira da Costa
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(3):390-394 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Várias são as técnicas descritas para mamoplastia. Contudo nenhuma contempla a ressecção mamaria com a preservação areolar por meio de um pedículo obliquo múltiplo que envolve o sistema neurovascular superior medial e o sistema neurovascular inferior lateral; alem de preservar na glândula remanescente a unidade areolo-glandular original. Esta técnica mostra se, em tese, ideal para o tratamento da gigantomastia juvenil em nulipara, que ainda pode se beneficiar de uma mama mais funcional e preservada na sua inervação primaria e na sua capacidade de amamentação. Este retalho também pode usufruir de grande segurança contra isquemia em função de um largo pedículo vascular. OBJETIVO: Descrever a técnica de mamoplastia e relatar a serie inicial de casos operados nesta sistematização. MÉTODO: Em 40 mamas operadas descreve se a técnica do retalho fascioadenocutaneo areolado com mensuração da quantidade ressecada, sensibilidade pré- e pós- operatório e complicações. RESULTADOS: Todos os casos tiveram evolução satisfatória, sem necrose e com sensibilidade do complexo areolopapilar (CAP) preservada em mais de 70% das mamas operadas. CONCLUSÃO: O retalho fascioadenocutaneo areolado inervado mostrou-se seguro, funcional e versátil.

Palavras-chave: Mamoplastia redutora; Retalho areolado; Mamoplastia seletiva.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Several mammoplasty techniques have been described. However, none involves breast resection with preservation of the areola through an oblique multiple pedicle that involves the medial superior neurovascular system and the lateroinferior neurovascular system, or preserves the original areola-glandular unit in the remaining gland. This technique is, in theory, ideal for the treatment of juvenile gigantomastia in nulliparous women who can still benefit from a more functional breast with its primary innervation and the patient's ability to breast-feed preserved. This flap can also present higher safety against ischemia owing to a broad vascular pedicle. OBJECTIVE: To describe this mammoplasty technique and report the initial series of operated cases. METHOD: The fascioadenocutaneous areolar flap technique is described in 40 operated breasts, including the quantity of the resected tissue, pre- and postsurgery sensitivity, and complications encountered. RESULTS: All cases had a satisfactory evolution, without necrosis and with preserved sensitivity of the nipple-areola complex in >70% of the breasts operated. CONCLUSION: The innervated fascioadenocutaneous areolar flap was safe, functional, and versatile.

Keywords: Reductive mammoplasty; Areolar flap; Selective mammoplasty.

 

Síndrome de Eagle: relato de caso

HENRIQUE BELETÁBLE FONSECA; SÉRGIO MOREIRA DA COSTA; LILIANE CARVALHO JAMIL
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):287-290 - Relatos de Caso

PDF Português PDF Inglês

Reconstrução mamária: análise de novas tendências e suas complicações maiores

Gustavo Augusto Matos Saliba; Eduardo Eustáquio Salera de Carvalho; Aloísio Ferreira da Silva Filho; José Carlos Ribeiro Resende Alves; Marcelo Versiani Tavares; Sérgio Moreira da Costa; Clênio Martins de Souza Coelho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(4):619-626 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Em razão da sua elevada incidência, o câncer de mama torna-se uma das grandes preocupações, sobretudo pelos impactos psicológicos e sociais. Os objetivos do presente trabalho são analisar as tendências atuais para a reconstrução mamária e avaliar suas complicações maiores. MÉTODO: O estudo retrospectivo foi realizado numa série consecutiva de reconstruções mamárias, no período de fevereiro de 2011 a fevereiro de 2012, pela análise de prontuários médicos. RESULTADOS: Um total de 127 reconstruções mamárias foram realizadas. As reconstruções imediatas representam 73% do total. As seguintes técnicas foram utilizadas: implante de silicone permanente, 54% (n=69), implante ajustável de Becker, 14% (n=17), retalho transverso do músculo reto abdominal (TRAM), 13% (n=17), retalho do músculo latíssimo do dorso com implante, 13% (n=16), e expansor simples, 6% dos casos (n=8). Complicações maiores ocorreram em 16,5 % (n=21) sendo que na maioria (63% n=12) possuíam passado de radioterapia, QT neoadjuvante e/ou história de tabagismo. As complicações foram decorrentes de hematoma com reintervenção / reinternação (0,72% n=1), necrose extensa do retalho com necessidade de desbridamentos e/ou posicionamento de implante para recuperação do volume perdido (4% n=5), infecções (3% n=4), extrusão e retirada do implante (7% n=9), e eventos tromboembólicos (1,5% n=2). CONCLUSÃO: A escolha da técnica para a reconstrução mamária deve ser individualizada e baseada nas características e anseios de cada paciente, na familiaridade da técnica pela equipe cirúrgica, nos recursos hospitalares disponíveis e nos custos gerados pelas técnicas, a fim de otimizar os resultados, reduzir custos e os índices de complicações.

Palavras-chave: Mastectomia. Mamoplastia. Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos/Métodos. Mamoplastia/Tendências.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Because of its high incidence, breast cancer becomes a major concern, justified by psychological and social impacts. The purpose of the study is to analyze the current trends for breast reconstruction and evaluate its major complications. METHOD: A retrospective study was performed in a consecutive series of breast reconstructions in the period February 2011 to February 2012, through analysis of medical records. RESULTS: A total of 127 breast reconstructions were performed. The immediate reconstructions represent 73% of the total. The following techniques were used: permanent silicone implant, 54% (n = 69), Becker adjustable implant, 14% (n = 17), transverse rectus abdominis myocutaneous flap (TRAM), 13% (n=17), latissimus dorsi flap and implant 13% (n=16) and single expander 6% of cases (n=8). Major complications occurred in 16.5% (n = 21) and most (63% n=12) had a history of radiation therapy, neoadjuvant chemotherapy and / or smoking history. The complications resulted from hematoma reoperation (0.72% n=1), extensive necrosis of the flap requiring debridement and / or positioning of the implant to recover the lost volume (4% n=5), infections (3 % n=4), extrusion and removal of the implant (7% n=9) and thromboembolic events (1.5% n=2). CONCLUSION: The choice of technique for breast reconstruction must be individualized and based on the characteristics and desires of each patient, the familiarity of the technique by the surgical team, the hospital resources available and costs generated by the techniques to optimize the results, reduce costs and complication rates.

Keywords: Mastectomy. Mammaplasty. Reconstructive Surgical Procedures/Methods. Mammaplasty/Trends.

 

Enxerto de cartilagem em "feixe de gravetos" no aumento do dorso nasal

Sergio Moreira da Costa; Gustavo Moreira da Costa Souza; Waldemar Chaves Nascimento Brandão Penna; Lívia Neffa; Rodolfo Guedes Afiune
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(4):633-637 - Ideias e Inovações

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Os enxertos autólogos conquistaram importante papel na rinoplastia gerando sustentação com melhor resultado funcional e estético. Os enxertos cartilaginosos fragmentados surgiram como alternativa para evitar deformidades perceptíveis que ocorrem com enxertos esculpidos. O uso de enxertos em forma de filetes não fixados entre si demonstrou bons resultados. Este estudo objetiva divulgar nova técnica de preenchimento de dorso nasal utilizando filetes cartilaginosos amarrados em forma de "feixe de gravetos". MÉTODO: Foram realizadas 28 rinoplastias abertas estruturadas de janeiro a junho de 2015 na Clínica de Cirurgia Plástica do Hospital Felício Rocho. Realizou-se incisão infracolumelar em V e dissecção em planos profundos. A principal área doadora de enxerto cartilaginoso foi o septo nasal. Os enxertos foram preparados com lâmina 11, em longas e finos filetes com espessura média de 1 mm. Com fio catgut simples 5-0, os enxertos foram agrupados em um feixe autossustentável. RESULTADOS: Treze pacientes eram do gênero feminino e 15 do masculino. A idade média foi 34,8 anos. A técnica do feixe de gravetos demonstrou bons resultados no per e pósoperatório com manutenção do preenchimento e elevação do dorso nasal. O aumento da raiz e do dorso foi obtido em 100% dos casos, sem complicação local ou necessidade de revisão cirúrgica no seguimento atual. CONCLUSÃO: O enxerto de cartilagem em feixe de gravetos mostrou-se eficiente e de fácil execução. Oferece boa forma no tratamento do dorso e raiz nasal em casos estéticos, funcionais e traumáticos.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Rinoplastia; Nariz; Cartilagens nasais; Transplante autólogo.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Autologous grafts play an important role in rhinoplasty, they provide support with improved functional and aesthetic results. Fragmented cartilaginous grafts are an alternative that help avoid the perceptible deformities that occur with sculpted grafts. Grafts in the form of unbound strips have also shown good results. This study demonstrated the effectiveness of a new technique, which involves filling of the nasal dorsum using cartilaginous strips bound in the form of a bundle of twigs. METHOD: A total of 28 open structure rhinoplasties were performed from January to June 2015 at the Plastic Surgery Clinic of the Felício Rocho Hospital. V-shaped infracolumellar incisions were made by dissection of the deep planes. The nasal septum was the main donor area of the cartilage grafts. The grafts were prepared with a #11 scalpel blade into thin strips with an average thickness of 1 mm. Using simple 5-0 catgut wire, the grafts were bound into a self-contained bundle. RESULTS: Thirteen patients were female and 15 male, with a mean age of 34.8 years. The "bundle of twigs" technique displayed good postoperative results, with maintenance of the filling and elevation of the nasal dorsum. Follow-up assessments confirmed the augmentation of the root and dorsum in 100% of the cases, without local complications or need for surgical revision. CONCLUSION: The bundle of twigs technique was efficient and easily performed. It offers an attractive alternative for treatment of the nasal dorsum and root in aesthetic, functional, and traumatic cases.

Keywords: Plastic surgery; Rhinoplasty; Nose; Nasal cartilages; Autologous transplantation.

 

Tratamento cirúrgico da paquidermoperiostose primária - relato de dois casos

Joyce de Sousa Fiorini Lima; Sérgio Moreira da Costa; Armando Chiari Júnior; Marcelo Matos Bezerra; Luciana Quinete Rocha Polizzi; Roberto Junqueira Polizzi
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(1):165-168 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

A paquidermoperiostose primária é uma doença rara, caracterizada por aposição excessiva do periósteo do crânio, coexistindo com espessamento da epiderme e derme (paquidermia), provocando deformidades grosseiras. Devido à diversidade de estruturas acometidas, há várias opções cirúrgicas e métodos complementares que são utilizados no tratamento das alterações faciais desses pacientes. Esse trabalho apresenta o lifting subperiosteal como uma opção de tratamento estético para a face de pacientes portadores dessa síndrome, através do relato de dois casos operados no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Minas Gerais.

Palavras-chave: Osteoartropatia Hipertrófica Primária; Cirurgia; Ritidoplastia.

 

ABSTRACT

Primary pachydermoperiostosis is a rare disease characterized by excessive skull affixing of the periosteum, coexisting with thickening of the epidermis and dermis (pachydermia), thereby causing gross deformities. Owing to the variety of affected structures, there are several surgical options and complementary methods that are used in the treatment of facial alterations in these patients. This report describes the use of subperiosteal detachment as an aesthetic treatment option for the faces of two patients with primary pachydermoperiostosis, operated at the Hospital das Clínicas of the Federal University of Minas Gerais.

Keywords: Primary hypertrophic osteoarthropathy; Surgery; Rhytidectomy.

 

Neurofibromatose orbitária plexiforme: relato de caso

João Carlos Cisneiros Guedes de Andrade Júnior, Sérgio Moreira da Costa, Lauro José Vítor Avellán Neves, Marcelo Matos Bezerra, Júnea Martins Costa Araújo, Thiago Degani Dumont
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(4):566-568 - Relatos de Caso

PDF Português

RESUMO

A neurofibromatose é uma doença sistêmica que geralmente acarreta importantes deformidades. Manifestações orbitárias são comuns, podendo haver infiltração dos tecidos moles periorbitários. O neurofibroma orbitário do tipo plexiforme é caracterizado por exoftalmo pulsátil, neurofibromas orbitários, displasia da asa do esfenóide, expansão da fossa temporal e herniação do lobo temporal para o interior da órbita. No presente relato, os autores descrevem um caso de neurofibroma orbitário do tipo plexiforme e fazem uma revisão dos diferentes aspectos de seu diagnóstico, evolução e tratamento.

Palavras-chave: Neurofibromatose 1/cirurgia. Neurofibromatose 1/complicações. Doenças orbitárias/etiologia. Exoftalmia.

 

ABSTRACT

Neurofibromatosis is a systemic disease that often produces striking disfigurement. Orbital manifestations are common and include infiltration of the periorbital soft tissues. Orbital plexiform neurofibroma is characterized by pulsatile exophthalmos, orbital neurofibromwas, sphenoid wing dysplasia, expansion of the temporal fossa, and herniation of the temporal lobe into the orbit. The authors report a case of orbital plexiform neurofibroma and review different aspects of diagnosis, course and treatment.

Keywords: Neurofibromatosis 1/surgery. Neurofibromatosis 1/complications. Orbital diseases/etiology. Exophthalmos.

 

Rinomodelação com silicone, complicando com fibrose e deformidade nasal: relato de caso e seu tratamento

MARCUS VINÍCIUS CAPANEMA GONÇALVES; SERGIO MOREIRA DA COSTA; LILIANE CARVALHO JAMIL; PAULA PIMENTEL LEITE ROCHA; CAMILA MATOS VERSIANI; ANDREIA SOUTO DA MOTTA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.2):83-86 - Suplemento Simpósio Mineiro de Intercorrências 12º SIMPÓSIO - 2018

PDF Português

RESUMO

Procedimentos estéticos minimamente invasivos, como toxina botulínica e preenchimento facial, têm ganhado cada vez mais espaço, principalmente para correção de pequenos defeitos e sinais de envelhecimento da face. Dentre eles, surgiu a rinomodelação, com injeção de substâncias diversas para correção de pequenas deformidades nasais, com resultados estéticos imediatos satisfatórios, porém, sem resultado em longo prazo ou funcional, e não isenta de riscos e complicações. Apresentamos o caso de uma jovem submetida à rinomodelação com silicone, evoluindo com fibrose e deformidade nasal, tratada com rinoplastia aberta.

Palavras-chave: Rinoplastia; Rinomodelação; Silicone; Preenchedores; Ácido hialurônico

 

Uso de cartilagem picada na rinoplastia: experiência de 5 anos do Hospital Felício Rocho-MG

Waldemar Chaves Nascimento Brandão Penna; Sérgio Moreira da Costa; Gustavo Moreira Costa de Souza; Augusto César Almeida; Patrícia Cordeiro Lana; Izabella Costa Araújo
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):34 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons