ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 3 de 3 resultado(s)

Busca por : Ruffo Freitas-Junior

Transtornos depressivos em pacientes que buscam cirurgia plástica estética: uma visão ampla e atualizada

Paulo Renato de Paula; Ruffo Freitas-Júnior; Marcelo Prado; Carlos Gustavo Lemos Neves; Fabiano Calixto Fortes de Arruda; Vladmir Eduardo Bermudes Vargas; Fábio Silva Fernandes
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(2):261-268 - Artigo de Revisão

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A cirurgia estética pode melhorar a qualidade de vida de pacientes, porém alguns que se apresentam para o procedimento são portadores de transtornos depressivos (TD) e podem evoluir, no pós-operatório, de forma desastrosa do ponto de vista psicológico e até mesmo evoluir para o suicídio. A prevalência de TD em pacientes de cirurgia plásticaestética é em média de 20%, podendo chegar até 70%. Este artigo tem por objetivo fazer uma revisão sobre depressão e cirurgia estética bem como alertar e conscientizar os cirurgiões plásticos sobre o crescente aumento destes pacientes nos consultórios. Objetiva, ainda, orientar os cirurgiões quanto a abordagem adequada e condutas específicas perante estes. MÉTODOS: Realizou-se busca nos bancos de dados MEDLINE/PubMed e Embase e cruzamento de palavras chaves, incluindo "cirurgia plástica estética", "depressão"; "transtornos de humor", "transtorno depressivo", "sintomas depressivos", "suicídio e cirurgia plástica". RESULTADOS: O sucesso de uma cirurgia plástica depende em muito da seleção dos pacientes para o procedimento. Pacientes suspeitos, pacientes com sintomas depressivos elevados nos questionários (como o BDI) e pacientes com "marcadores" de psicopatologia deverão ser encaminhados ao psiquiatra para avaliação adequada. CONCLUSÃO: Pela elevada prevalência de TD em cirurgia plástica estética, todo paciente de cirurgia plástica deverá ser avaliado adequadamente para identificação daqueles com possíveis TD no pré-operatório e encaminhado ao psiquiatra, para assim tentar se evitar evolução psicológica desfavorável pós-operatória.

Palavras-chave: Depressão; Transtorno depressivo; Psicopatologia; Cirurgia estética

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Aesthetic surgery can improve the quality of life of patients, but some candidates for the procedure have depressive disorders (DDs) that may develop, in the postoperative period, in a disastrous manner from a psychological point of view and even progress to suicide. The prevalence of DDs in cosmetic surgery patients is 20% on average and reaches 70%. This article aims to review depression and aesthetic surgery as well as to alert and educate plastic surgeons on the growing number of these patients in clinical settings. It also aims to guide surgeons to the appropriate approach and specific behaviors with these patients. METHODS: A search was performed in MEDLINE/PubMed and Embase, and key words were entered, including "cosmetic surgery," "depression," "mood disorders," "depressive disorder," "depressive symptoms," and "suicide and plastic surgery." RESULTS: The success of plastic surgery depends a great deal on the selection of patients for the procedure. Suspect patients, patients with elevated depressive symptoms in questionnaires (such as the BDI), and patients with psychopathology "markers" should be forwarded to a psychiatrist for proper evaluation. CONCLUSION: Due to the high prevalence of DDs in aesthetic plastic surgery patients, every plastic surgery patient should be evaluated properly to identify those with possible DDs in the preoperative period, and those should be forwarded to a psychiatrist, thus avoiding an unfavorable postoperative psychological evolution.

Keywords: Depression; Depressive Disorder; Psychopathology; Aesthetic Surgery.

 

Lipoenxertia nas mamas: procedimento consagrado ou experimental?

Alexandre Roriz Blumenschein; Ruffo Freitas-Junior; Andrea Thomazine Tuffanin; Danielle Isadora Blumenschein
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(4):616-622 - Artigo de Revisão

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Atualmente vem ocorrendo aumento da incidência de utilização de enxertia de gordura para correção de defeitos mamários congênitos ou adquiridos e para tratamento mamário estético. Esse aumento é decorrente do surgimento de novas técnicas de lipoenxertia, que produzem resultados mais duradouros e confiáveis, apesar da crença de alguns autores de que o procedimento possa dificultar o rastreamento do câncer mamário. Esta revisão de literatura tem como objetivo identificar as técnicas de lipoenxertia mamárias mais utilizadas, avaliá-las quanto à eficácia e à segurança, e relatar as principais complicações associadas. A revisão foi realizada nas bases de dados PubMed e LILACS, e os fatores de inclusão foram: artigos em idioma inglês, publicados nos últimos cinco anos. Como resultado observou-se aumento do número de trabalhos abordando o tema nos últimos anos, e predomínio de uma técnica de lipoenxertia específica. A maioria dos trabalhos demonstra que a lipoenxertia mamária não prejudica o rastreamento radiológico para câncer mamário, e alguns sugerem que a gordura enxertada potencializa o desenvolvimento de câncer nas mamas. Apesar do aumento do número de trabalhos, existem ainda poucos com bom nível de evidência científica. Esta revisão permitiu concluir que a lipoenxertia é uma técnica alternativa para reparação de defeitos mamários e discreto aumento estético das mamas, devendo ser utilizada por cirurgiões com treinamento adequado e acompanhada por equipe de radiologia experiente em imagenologia mamária. Mais trabalhos com metodologia científica adequada são necessários para avaliar a lipoenxertia mamária.

Palavras-chave: Lipoenxertia mamária. Enxerto de gordura.

 

ABSTRACT

There has recently been an increase in the use of fat grafting for the correction of congenital or acquired breast deformities and for aesthetic breast treatment. This increase is due to the emergence of novel fat grafting techniques that produce lasting and reliable results despite some authors' beliefs that the procedure might hinder breast cancer screening. This literature review aims to identify the most frequently used breast fat grafting techniques, evaluate their efficacy and safety, and report their major complications. The review was performed after a search in the PubMed and LILACS databases, and only English-language articles published over the past 5 years were assessed. There have been an increased number of studies on the topic in recent years, and a specific fat grafting technique has been primarily reported. Most studies in this area have shown that breast fat grafting does not affect radiological breast cancer screening, whereas some studies have suggested that the use of grafted fat may enhance the development of breast cancer. Despite the increased number of published studies, few have a good level of scientific evidence. This review concludes that fat grafting is an alternative technique for the correction of breast deformities and moderate aesthetic breast enlargement and should be performed by properly trained surgeons accompanied by a radiology team that is experienced in breast imaging. Further studies with appropriate scientific methodologies are needed to evaluate breast fat grafting.

Keywords: Breast fat grafting. Fat graft.

 

O impacto da reconstrução mamária na qualidade de vida e na autoestima de mulheres submetidas à mastectomia

Leonardo Ribeiro Soares; Márcia Faria Veloso; Ana Carolina Lagos Prates; Ruffo Freitas-Junior
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(4):624-625 - Carta ao Editor

PDF Português PDF Inglês

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons