ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 2 de 2 resultado(s)

Busca por : Renato Sivieri de Souza

Piriformeplastia associada à rinoplastia aberta

Renato Sivieri de Souza; Alessandra de Mattia Rocha; Ricardo Baroudi
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(2):169-173 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A respiração bucal ou mista desde a infância, por fatores alérgicos que causam hipertrofia de cornetos e adenoides ou desvio septal traumático no parto ou por traumas na primeira infância, provoca incorreto desenvolvimento da face com o palato ogival, crescimento excessivo da crista maxilar, alterações na arcada dentária e hipomaxilismo, por falta de aeração dos seios paranasais. O septo com limitado espaço para de crescer empurra o arcabouço osteocartilaginoso cranialmente, originando a giba nasal com desvios do septo, comprometendo a respiração nasal. MÉTODO: A piriformeplastia mediante incisão no sulco gengivolabial permite amplo acesso à crista maxilar e ao palato ogival. A crista maxilar é desgastada com broca e o palato é modelado ou pode ter sua cúpula removida subperiostealmente. RESULTADOS: A rinoplastia aberta facilita a abordagem e a fixação dos enxertos alargadores para tratar as alterações da válvula interna e prevenir retrações cicatriciais ao nível da gaiola cartilaginosa, além dos enxertos estruturais na columela para projeção e evitar retração cicatricial neste nível. A abordagem aberta permite também a simetrização das estruturas nasais, que possibilita o tratamento das laterorrinias num tempo único e a correção da válvula nasal externa por meio dos enxertos específicos. A piriformeplastia permite ainda a abordagem mais abrangente das alterações nasais estéticas e funcionais. CONCLUSÃO: A rinoplastia aberta é por nós preferida dada a facilidade de fixação dos enxertos, bem como dos enxertos alargadores para tratamento das alterações da válvula interna com o objetivo de prevenir futuros problemas respiratórios.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Rinoplastia; Seio piriforme.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Mouth or mixed breathing since childhood that is due to allergy factors causing turbinate hypertrophy and adenoids, or traumatic septal deviation at childbirth or first trauma in childhood leads to the impairment of facial development, including ogival palate, excessive growth of the maxillary crest, changes in the dental arch, and small jawbone. Mouth or mixed breathing may be due to the lack of aeration of the paranasal sinuses. A septum with limited space for growing pushes the osteocartilaginous framework cranially, originating from the nasal hump with septal deviations and gibbus. Consequently, this hampers nasal breathing. METHOD: Pyriform plasty by incision in the gingivolabial sulcus allows broad access to the maxillary crest and ogival palate. The maxillary crest is worn out with a drill, and the palate is modeled or may have its dome subperiosteally removed. RESULTS: Open rhinoplasty facilitates the approach and fixation of graft reamers to treat changes in the internal valve and prevents scar reactions at the level of the cage cartilage grafts and structure of the columella to project and prevent a cartilaginous scar retraction at this level. The open approach also enables the symmetrization of nasal structures, which allows the treatment of bent nose at a single time, and correction of nasal valve by using external grafts. Moreover, pyriform plasty is a more comprehensive approach to nasal aesthetic and functional nasal alterations. CONCLUSION: Our preferred techniques are open rhinoplasty, given the ease of graft fixation, and use of reamer grafts to treat changes in the internal valve to prevent future respiratory problems.

Keywords: Reconstructive surgical procedures; Rhinoplasty; Pyriform sinus.

 

Estudo anatômico de bolsões adiposos na região hipogástrica

Renato Sivieri de Souza; Abadio Gonçalves Caetano; Ewaldo Bolivar de Souza Pinto; Osvaldo Ribeiro Saldanha; Janaína de Almeida Franco; Débora Moura Miranda Goulart; Luciana Garcia Pereira Castro
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3):364-368 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Nas lipodistrofias da parede abdominal anterior, fatores genéticos, aumento de peso, idade e lasseamento da musculatura, de forma isolada ou associada, determinam alterações estéticas generalizadas ou localizadas no epigástrio, no hipogástrio ou, mesmo, em ambas as regiões. O objetivo deste estudo é descrever os limites, a disposição, as relações anatômicas das bolsas adiposas no hipogástrio com as estruturas vizinhas e suas dimensões. MÉTODO: Foram dissecadas 57 peças anatômicas de pacientes submetidas a abdominoplastia, em que o hipogástrio foi ressecado em monobloco. Além disso, foi realizada dissecção da parede abdominal anterior em 8 cadáveres. Em todas as peças, a camada lamelar foi ressecada, mantendo-se a derme-epiderme, a camada areolar e a fáscia superficial íntegras. RESULTADOS: Em todas as peças, foram observados dois cúmulos adiposos na camada areolar bilateralmente, simétricos, em forma de bolsa e de coloração peculiar. Essas bolsas foram também analisadas em relação aos tecidos cutâneos vizinhos: pele, fáscia superficial, camada profunda de gordura. CONCLUSÕES: A camada lamelar foi considerada estrutural como base da pele, pela sua fina espessura, e a camada areolar apresentou acúmulos e volumes variáveis de tecido adiposo nas diversas regiões do corpo, sem limites precisos, particularmente observados nas dissecções da parede abdominal inferior, pela sua elasticidade, pelo volume e pela coloração.

Palavras-chave: Abdome. Tecido adiposo. Lipectomia.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: In lipodystrophies of the anterior abdominal wall, variables such as genetic factors, weight gain, age, and loss of muscle tone, either alone or in combination, determine generalized aesthetic changes or changes localized in the epigastrium, hypogastrium, or both. The aim of this study was to describe the limits, distribution, and dimensions of fat bags in the hypogastrium, as well as their anatomic relationships with the neighboring structures. METHODS: Fifty-seven anatomical specimens were dissected from patients undergoing abdominoplasty, during which the hypogastrium was resected en bloc. Moreover, the anterior abdominal wall was also dissected in 8 cadavers. In all samples, the lamellar layer was resected, keeping the dermis-epidermis, areolar layer, and superficial fascia intact. RESULTS: In all specimens, 2 symmetrical adipose clusters were observed bilaterally in the areolar layer, which were in the shape of a bag and had peculiar coloration. These bags were analyzed in relation to their neighboring tissues: the skin, superficial fascia, and deep fat layer. CONCLUSIONS: The lamellar layer was considered as a structural base of the skin, owing to its thinness. The areolar layer showed accumulations and varying amounts of fat in the various body regions without precise limits, which were particularly observed in dissections of the lower abdominal wall and identified by their elasticity, volume, and coloration.

Keywords: Abdomen. Adipose tissue. Lipectomy.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons