ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 1 de 1 resultado(s)

Busca por : RICARDO LUIS VANZ

Análise dos serviços de Cirurgia Plástica da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica sob o ponto de vista dos cirurgiões do último ano do curso de especialização em Cirurgia Plástica

RICARDO LUIS VANZ; FRANCIELE PERONDI; CELSO JANDRE BOECHAT
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):250-259 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Muito se discute sobre a formação do cirurgião plástico na especialização médica nacional e internacionalmente. Há necessidade da busca por melhoras e padronização na formação visando o futuro da especialidade.
Métodos: Foi avaliado protocolo preenchido no Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica (Belo Horizonte) por especializandos do terceiro ano.
Resultados: Foram distribuídos 230 protocolos. 113 protocolos foram incluídos. A amostra incluiu 71 homens e 41 mulheres. 34 eram de serviços cadastrados pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e 71 eram de serviços cadastrados pelo Ministério da Educação e SBCP. 96 afirmaram que em seus serviços são realizados procedimentos puramente estéticos, com média de 54,3% de procedimentos estéticos. O procedimento com menos confiança em realizar foi transplante capilar, e mais confiança foi abdominoplastia. Área de interesse mais requisitada foi rinoplastia e a menos foi abdominoplastia. Os especializandos estão regularmente satisfeitos com seus programas, com média de 3,89, em uma escala de 1 a 5. O procedimento que deve ser mais realizado foi rinoplastia, sendo necessário, do ponto de vista deles, realizar mais de 10 procedimentos. Os especializandos sentem-se bem preparados pela programa, com média de 3,8 em uma escala de 1 a 5. 65% deles acham necessário fazer fellow, sendo o mais requisitado de mastologia. O procedimento mais realizado foi mamoplastia redutora. A maioria dos especializandos quer trabalhar em clínica privada.
Conclusão: Visando aprimorar a formação acadêmica, é necessário que os serviços credenciados se adequem aos requisitos necessários para a boa formação dos especializandos.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Educação continuada; Educação; Trabalho; Estética

 

ABSTRACT

Introduction: Much has been discussed about the training of a plastic surgeon nationally and internationally. There is a need to improve and standardize training to ensure the future of this specialty.
Methods: Questionnaires were filled by third year trainees at the Brazilian Congress of Plastic Surgery (Belo Horizonte).
Results: A total of 230 questionnaires were distributed and 113 were included in the study. The respondents included 71 men and 41 women; 34 were from institutions recognized by the Brazilian Society of Plastic Surgery (SBCP) and 71 were from institutions recognized by the Ministry of Education and the SBCP. Ninety-six respondents revealed that purely aesthetic procedures were conducted in their institutions, with an average of 54.3% of aesthetic procedures. The respondents had the least confidence in performing hair transplants and the most confidence in performing an abdominoplasty. The topic most requested for training was rhinoplasty and the least requested was abdominoplasty. The trainees were fairly satisfied with their programs, with an average satisfaction level of 3.89, on a scale of 1 to 5. The procedure that needed to be performed more frequently was rhinoplasty (more than 10 procedures). Most trainees felt that the program prepared them to practice surgeries, with an average of 3.8 on a scale of 1 to 5. Further, 65% found it necessary to have a fellowship, with mastology being the most requested. The most common procedure was reduction mammoplasty. Most of the trainees wanted to work in a private clinic.
Conclusion: In order to improve the level of education, the accredited institutions should meet the requirements necessary for good preparation of the trainees.

Keywords: Plastic Surgery; Continuing education; Education; Work; Aesthetics

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons