ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 5 de 5 resultado(s)

Busca por : Priscilla Bondezan Vieira

Queimaduras: pacientes autoinfligidos

Priscilla Bondezan Vieira; Jefferson Lessa Soares de Macedo; Simone Correa Rosa; Brunna Cândida Oliveira de Castro; João Lucas Farias do Nascimento Rocha
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(3):368-373 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: As queimaduras autoinfligidas geram consequências físicas, psicológicas e financeiras não só para a vítima, mas também para familiares e para sociedade. A prevalência desse tipo de acidente tem ampla variedade na literatura. O trabalho tem como objetivo analisar o perfil epidemiológico, a conduta e a taxa de letalidade dos pacientes com queimaduras por autoagressão atendidos em centro de tratamento de queimados, como uma forma de contribuir para intervenção efetiva em fatores e comportamentos de risco para tais acidentes. MÉTODO: Estudo retrospectivo por meio da análise dos prontuários de pacientes internados na Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte, Brasília - DF, no período de janeiro de 2008 a dezembro de 2012. RESULTADOS: Foram incluídos no estudo 88 pacientes autoinfligidos, 54,5% do gênero feminino, idade média de 33 anos, média da superfície corporal queimada de 36%. A média de tempo de internação foi de 23 dias. A chama aberta foi o agente etiológico das queimaduras em 97,7% dos casos e o álcool foi o agente acelerador em 68,2%. A taxa de letalidade foi de 32,9%. Sessenta pacientes apresentavam comorbidades, sendo os distúrbios psiquiátricos e o etilismo os principais. CONCLUSÃO: As vítimas de queimaduras por autoagressão são geralmente mulheres, com idade média de 33 anos, utilizando álcool como agente da queimadura, afetando em média 36% da superfície corporal, com distúrbios psiquiátricos associados em 32,9% e com taxa de letalidade de 32,9%. No âmbito social, deve-se pensar em medidas públicas que detectem os pacientes em potencial para que seja instituída terapêutica adequada.

Palavras-chave: Queimaduras; Comportamento autodestrutivo; Suicídio; Unidades de queimados.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Self-inflicted burn injuries lead to physical, psychological, and economic consequences not only to the victims but also to their families and the society. The prevalence of this type of accident varies greatly throughout the existing literatures. This study aimed to analyze the epidemiological profile, behavior, and lethality rate in patients with self-inflicted burn injuries who received treatment in a burn unit, as a way to contribute to the effective intervention to minimize the effects of risk factors and behaviors associated with this type of accident. METHOD: We conducted a retrospective study in which we analyzed medical records of patients hospitalized in the burn unit of Asa Norte's Regional Hospital, DF, Brazil, during the period between January 2008 and December 2012. RESULTS: The study sample consisted of 88 patients with self-inflicted burn injuries, of whom 54.5% were female, with a mean age of 33 years and mean burned body surface area of 36%. The mean hospitalization time was 23 days. Open flame was the etiological agent in 97.7% of the burn cases, and alcohol was the accelerating agent in 68.2% of these cases. The lethality rate was 32.9%. Sixty patients had comorbidities, with psychiatric disorders and alcoholism being the most common. CONCLUSION: The patients with self-inflicted burn injuries were generally women, with a mean age of 33 years, who used alcohol as accelerating agent. The mean body surface area affected was 36%. Of the patients, 32.9% had associated psychiatric disorders. The lethality rate was 32.9%. From a social perspective, public measures should be established to detect potential patients in order to administer appropriate therapies.

Keywords: Burn injuries; Self-destructive behavior; Suicide; Burn units.

 

Epidemiologia da fratura de face de pacientes atendidos no pronto socorro de cirurgia plástica do Distrito Federal

Altino Vieira de Rezende Filho Neto; Jefferson Lessa Soares de Macedo; Rodrigo Vieira Silva; Carolina Cristina Bezerra Dantas; Clendes Pereira dos Santos; Priscilla Bondezan Vieira; Bruna Cândida Oliveira Castro; Daniel Lobo Botelho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(2):227-231 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O trauma permanece como uma das principais causas de morbidade e mortalidade, no mundo ocidental, entre os adultos jovens. A prevalência de lesões traumáticas na face é alta devido à enorme exposição dessa região e a sua pouca proteção. OBJETIVO: Avaliar a etiologia, a idade, o gênero, a localização, os sintomas e o tipo de tratamento das vítimas de traumas de face dos atendidos no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Brasília, Distrito Federal. MÉTODO: Trata-se de um estudo retrospectivo, realizado no pronto socorro do HRAN-DF, visando avaliar o perfil epidemiológico de vítimas de trauma de face, no período do 2º semestre de 2012. RESULTADOS: O estudo compreendeu 46 pacientes, destacando-se o gênero masculino, com 32 pacientes (69,56%). Quanto à causa, predominou a agressão física, em ambos os sexos, com 22 casos (47,82%), seguida pelas quedas, com 11(23,91%). As quedas foram as causas predominantes das lesões em crianças, mas se verificou a participação cada vez maior da agressão física como mecanismo de trauma facial com o aumento da idade. A principal faixa etária foi de 21 a 30 anos, compreendendo 43,47% dos casos. O nariz foi o local mais acometido nas fraturas de face, correspondendo a 62,96% dos casos. O tempo médio de internação foi de dois dias e o tempo entre o primeiro atendimento e a operação foi de seis dias. CONCLUSÃO: O perfil epidemiológico do paciente com fratura de face é de um jovem, do gênero masculino, vítima de agressão física, com fratura de nariz e quadro clínico desse tipo de lesão e submetido a redução fechada.

Palavras-chave: Cirurgia Plástica; Traumatismos Faciais; Agressão Física.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Trauma remains a major cause of morbidity and mortality amongst young adults in the Western world. The prevalence of traumatic lesions on the face is especially high, as the facial area is generally exposed with little protection. OBJECTIVE: To evaluate the etiology, age, sex, location, symptoms, and the type of treatment given to victims of facial trauma treated at the North Wing Regional Hospital (NWRH), Brasilia, Federal District. METHOD: This was a retrospective study conducted in the emergency room of the NWRH to evaluate the epidemiological profile of patients with facial trauma who presented during the 2nd half of 2012. RESULTS: The study included 46 patients, of which 32 patients (69.56%) were male. Physical aggression was the prevailing cause in both sexes with 22 cases (47.82%), followed by falls with 11 (23.91%). Falls were the predominant cause of injuries in children. Physical aggression as a mechanism for facial trauma became more common with age. The main age group affected was the 21 to 30 years group, comprising 43.47% of cases. The nose was the most commonly affected bone in facial fractures, with nasal fractures occurring in 62.96% of cases. The mean hospital stay was two days and the mean time between the first visit and the operation was six days. CONCLUSION: The predominant epidemiological profile of a patient with facial fracture is that of a young male, victim of physical aggression, presenting with a nasal fracture and a clinical picture of this type of injury, and treated with closed reduction.

Keywords: Plastic Surgery; Facial Injuries; Physical Aggression.

 

Lipoabdominoplastia: os atalhos para bons resultados e menores taxas de complicação

Clendes Pereira dos Santos; Lúcio Marques da Silva; Daniel Lobo Botelho; Priscilla Bondezan Vieira; Brunna Cândida Oliveira de Castro; Izabelle Montanha Barbosa
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):53 - Tórax e Tronco

PDF Português

Reconstrução de membros inferiores: epidemiologia e manejo dos pacientes do Hospital Regional da Asa Norte, Brasília-DF

Clendes Pereira dos Santos; Jefferson Lessa Soares de Macedo; Daniel Lobo Botelho; Priscilla Bondezan Vieira; Brunna Cândida Oliveira de Castro; Alex Corcino Silva de Amorim
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):95 - Extremidades

PDF Português

Reconstrução microcirúrgica de membros inferiores: experiência do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Regional da Asa Norte (Brasília, DF)

Priscilla Bondezan Vieira; Bruno Carvalho Moreira; Clendes Pereira dos Santos; Daniel Lobo Botelho; Izabelle Montanha Barbosa; Alex Corcino Silva de Amorim
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):96 - Extremidades

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons