ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 2 de 2 resultado(s)

Busca por : Paulo Renato de Paula

Perfil do cirurgião plástico no Estado de Goiás, Brasil

Fabiano Calixto Fortes de Arruda; Paulo Renato de Paula; Celmo Celeno Porto
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(2):246-251 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A Cirurgia Plástica tem sido popularizada nos últimos anos, por meio do acesso aos procedimentos e exposição nos meios de comunicação. O contexto atual relata dificuldades no mercado de trabalho devido à competividade e diminuição de honorários. O objetivo deste estudo é relatar o perfil do cirurgião plástico que atua no Estado de Goiás. MÉTODOS: A pesquisa foi realizada com cirurgiões plásticos que atuam no estado de Goiás registrados na regional da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) até janeiro de 2015. Os dados foram divididos em perfil socioeconômico e demográfico. Foram considerados como critérios de inclusão residência pelo Ministério da Educação ou pela SBCP e estar atuando em Cirurgia Plástica no estado de Goiás. Como critérios de exclusão ser médico residente em cirurgia plástica e não estar atuando na área de Cirurgia Plástica. RESULTADOS: Obteve-se o índice de resposta de 70%. A maioria tem menos de 40 anos, masculino, casado, com 1 a 2 filhos, atuando em Goiás, há menos de 10 anos, são especialistas, trabalhando de 40 a 60 horas semanais e atuam na área estética e reconstrutiva e a maioria não usa auxiliar em mais de 50% das cirurgias realizadas. CONCLUSÃO: O perfil do cirurgião plástico do estado de Goiás é o de um médico jovem, do sexo masculino, casado, com até 2 filhos, que atua principalmente na capital, sendo a maioria especialista, que trabalha de 40 a 60 horas semanais, e atuando na cirurgia estética e reconstrutiva.

Palavras-chave: Cirurgia plástica; Mercado de trabalho; Economia médica; Brasil.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Plastic surgery has become popular in the recent years for the access to procedures and exposure in the media. The current scenario brings difficulties in the job market because of competitiveness and reduced fees. This study describes the profile of the plastic surgeons working in the state of Goias. METHODS: The survey was conducted with plastic surgeons who work in the state of Goias and are registered in local chapter of the Brazilian Society of Plastic Surgery in January 2015. Data were divided into socio-economic and demographic profile. Inclusion criteria were residence certified by the Brazilian Ministry of Education or by the Brazilian Society of Plastic Surgery,, practice of plastic surgery in the state of Goias. We excluded residents in plastic surgery, and those who not practice in plastic surgery area. RESULTS: Rate of response was 70%. Most participants were younger than 40 years old, men, married, with 1-2 children, work in Goias, had less than 10 years as a surgeion, had specialization in plastic surgery, work 40-60 hours weekly and main practice was in aesthetic and reconstructive area, the majority of them do not employ assistances in more than 50% of surgeries. CONCLUSION: The profile of plastic surgeon in state of Goias is composed by young physicians, men, married, with no more than 2 children, and whom practice mainly in the state capital, most of them are specialists, work 40-60 hours per week, and their main practice is with aesthetic and reconstructive surgery.

Keywords: Surgery, plastic; Job market; Economics, medical; Brazil.

 

Transtornos depressivos em pacientes que buscam cirurgia plástica estética: uma visão ampla e atualizada

Paulo Renato de Paula; Ruffo Freitas-Júnior; Marcelo Prado; Carlos Gustavo Lemos Neves; Fabiano Calixto Fortes de Arruda; Vladmir Eduardo Bermudes Vargas; Fábio Silva Fernandes
Rev. Bras. Cir. Plást. 2016;31(2):261-268 - Artigo de Revisão

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A cirurgia estética pode melhorar a qualidade de vida de pacientes, porém alguns que se apresentam para o procedimento são portadores de transtornos depressivos (TD) e podem evoluir, no pós-operatório, de forma desastrosa do ponto de vista psicológico e até mesmo evoluir para o suicídio. A prevalência de TD em pacientes de cirurgia plásticaestética é em média de 20%, podendo chegar até 70%. Este artigo tem por objetivo fazer uma revisão sobre depressão e cirurgia estética bem como alertar e conscientizar os cirurgiões plásticos sobre o crescente aumento destes pacientes nos consultórios. Objetiva, ainda, orientar os cirurgiões quanto a abordagem adequada e condutas específicas perante estes. MÉTODOS: Realizou-se busca nos bancos de dados MEDLINE/PubMed e Embase e cruzamento de palavras chaves, incluindo "cirurgia plástica estética", "depressão"; "transtornos de humor", "transtorno depressivo", "sintomas depressivos", "suicídio e cirurgia plástica". RESULTADOS: O sucesso de uma cirurgia plástica depende em muito da seleção dos pacientes para o procedimento. Pacientes suspeitos, pacientes com sintomas depressivos elevados nos questionários (como o BDI) e pacientes com "marcadores" de psicopatologia deverão ser encaminhados ao psiquiatra para avaliação adequada. CONCLUSÃO: Pela elevada prevalência de TD em cirurgia plástica estética, todo paciente de cirurgia plástica deverá ser avaliado adequadamente para identificação daqueles com possíveis TD no pré-operatório e encaminhado ao psiquiatra, para assim tentar se evitar evolução psicológica desfavorável pós-operatória.

Palavras-chave: Depressão; Transtorno depressivo; Psicopatologia; Cirurgia estética

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Aesthetic surgery can improve the quality of life of patients, but some candidates for the procedure have depressive disorders (DDs) that may develop, in the postoperative period, in a disastrous manner from a psychological point of view and even progress to suicide. The prevalence of DDs in cosmetic surgery patients is 20% on average and reaches 70%. This article aims to review depression and aesthetic surgery as well as to alert and educate plastic surgeons on the growing number of these patients in clinical settings. It also aims to guide surgeons to the appropriate approach and specific behaviors with these patients. METHODS: A search was performed in MEDLINE/PubMed and Embase, and key words were entered, including "cosmetic surgery," "depression," "mood disorders," "depressive disorder," "depressive symptoms," and "suicide and plastic surgery." RESULTS: The success of plastic surgery depends a great deal on the selection of patients for the procedure. Suspect patients, patients with elevated depressive symptoms in questionnaires (such as the BDI), and patients with psychopathology "markers" should be forwarded to a psychiatrist for proper evaluation. CONCLUSION: Due to the high prevalence of DDs in aesthetic plastic surgery patients, every plastic surgery patient should be evaluated properly to identify those with possible DDs in the preoperative period, and those should be forwarded to a psychiatrist, thus avoiding an unfavorable postoperative psychological evolution.

Keywords: Depression; Depressive Disorder; Psychopathology; Aesthetic Surgery.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons