ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 5 de 5 resultado(s)

Busca por : Patrícia Noronha de Almeida

A interferência do tipo de excisão na recidiva do quelóide: estudo com dois anos de acompanhamento

Felipe Pacheco Martins Ferreira, Eduardo de Melo Ferreira, Patrícia Noronha de Almeida, Jefferson Vaccari Diniz, José Cesário da Silva Almada Lima, Clarissa Leite Turrer, Fabiano Andrade Camargos, Lilian Tavares Esteves
Rev. Bras. Cir. Plást. 2009;24(3):281-285 - Artigo Original

PDF Português

RESUMO

Introdução: O quelóide é uma alteração cicatricial de alta prevalência e difícil tratamento. Essa pesquisa é baseada em uma modalidade conjunta de efeito comprovado na literatura, a aplicação de corticosteróide intralesional associada à cirurgia. Algumas referências citam a importância da excisão intralesional do quelóide, baseando-se na experiência clínica dos cirurgiões. O objetivo desta pesquisa é avaliar se no tratamento do quelóide com corticosteróide intralesional mais excisão cirúrgica a manutenção ou não de tecido queloidiano nas bordas da ferida operatória influencia no índice de recidiva. Método: Estudo prospectivo que avaliou 42 pacientes em um total de 60 lesões queloidianas, no período de agosto de 2005 a janeiro de 2008, comparando três grupos cada qual com 20 lesões alocadas de forma aleatória. Foi realizada excisão intralesional no grupo 1; justalesional (sem margem macroscópica) no grupo 2 e extralesional (com margem de 2 mm) no grupo 3. O tratamento com corticosteróide intralesional foi realizado da mesma forma em todos os pacientes. A variável de desfecho foi clínica: índice de recidiva. Resultados: Após o acompanhamento de dois anos, a taxa de recidiva do quelóide foi de 20% no grupo 1, 45% no grupo 2 e 77,5% no grupo 3 (p=0,024). Conclusão: Quanto ao tratamento cirúrgico, justifica-se a excisão intralesional, mantendo as bordas do tecido queloidiano, por estar associada a menor índice de recidiva quando comparado à excisão justa ou extralesional.

Palavras-chave: Quelóide/cirurgia. Cicatriz/cirurgia. Recidiva.

 

ABSTRACT

Introduction: Keloid is a scar tissue abnormality of high prevalence and difficult treatment. This research is based on a scientific literature proved combined tactical, the intralesional corticosteroid injection associated with surgery. Some references cite the importance of intralesional excision of keloid, based upon clinical experience of a few surgeons. The objective is to assess the influence of maintaining or not keloid tissue in the surgical wound edges in the intralesional corticosteroid injection plus surgical excision method, in the recurrency of keloid. Methods: Prospective study with 42 patients in a total of 60 keloid lesions, from August 2005 to January 2008, comparing three groups, each one with 20 lesions randomly distributed. Intralesional excision was performed in group 1; with no macroscopic borders in group 2; and extralesional (2 mm borders) in group 3. The intralesional corticosteroid injection was performed the same way in all patients. The analyzed outcome was clinical: keloid recrudescency taxes. Results: After the two year follow-up, the keloid recrudescency taxes was about 20% in group 1, 45% in group 2 and 77.5% in group 3 (p=0.024). Conclusions: The intralesional excision is justified, for being associated with lower recrudescency taxes, when compared with excisions with none or 2 mm borders.

Keywords: Keloid/surgery. Cicatrix/surgery. Recurrence.

 

Avaliação do índice de infecção de implantes mamários utilizados na reconstrução de mama do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo

Patrícia Noronha de Almeida; Eduardo Gustavo Pires de Arruda; Alberto Okada; Eduardo Montag; Marcus Castro Ferreira; Fábio Freitas Busnardo; Alexandre Siqueira Fonseca
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(3):361-367 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A utilização de implante mamário é a forma de reconstrução de mama mais comumente realizada. Apesar de suas vantagens, a infecção do implante, seja este expansor tecidual ou prótese mamária, pode ser um problema significativo, incluindo a necessidade de sua retirada. O objetivo deste trabalho é avaliar o índice de infecção de implantes mamários utilizados na reconstrução de mama de pacientes operadas no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), bem como sua correlação com aspectos clínicos, oncológicos e cirúrgicos. PACIENTES E MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 120 pacientes submetidas à reconstrução mamária com implante mamário no ICESP, no período de fevereiro de 2009 a março de 2010. RESULTADOS: O índice de infecção foi de 24,3% e esteve relacionado estatisticamente a reconstrução imediata (88,9%), diabetes mellitus (25%), IMC acima de 30 (52,8%), HAS (52,8%) e sofrimento de pele da mastectomia (27,8%). Nota-se que 44% dos implantes infectados foram retirados, sendo a maioria expansores colocados em reconstrução imediata. CONCLUSÕES: A reconstrução mamária com implante é uma forma segura e eficaz de tratamento. Deve-se, entretanto, estar atento aos subgrupos de pacientes mais propensas ao desenvolvimento de infecção, para otimizar a sua prevenção e atentar ao seu tratamento precoce.

Palavras-chave: Câncer de mama; Expansor/Implante mamário; Infecção.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Placement of breast implants is the most commonly used form of breast reconstruction. Despite its advantages, infection of the implant, either in the tissue expander or mammary prosthesis, can be a significant problem, including the need to remove it. The objective of this work is to evaluate the infection rate of breast implants used for breast reconstruction in patients submitted to surgery at the Cancer Institute of the State of São Paulo (ICESP), as well as its correlation with clinical, oncological, and surgical factors. PATIENTS AND METHODS: This is a retrospective study on 120 patients submitted to breast reconstruction with breast implants at the ICESP from February 2009 to March 2010. RESULTS: The infection rate (24.3%) was statistically related to immediate reconstruction (88.9%), diabetes mellitus (25%), body mass index >30 (52.8%), systemic arterial hypertension (52.8%), and skin injury due to mastectomy (27.8%). Of the infected implants, 44% were removed, most of which were expanders placed during immediate reconstruction. CONCLUSIONS: Breast reconstruction with implants is the safest and most effective form of treatment. However, consideration should be given to patients who are prone to the development of infection, in order to optimize its prevention and attempt to perform its treatment at an early stage.

Keywords: Breast cancer; Expander/Breast implant; Infection.

 

Reconstrução mamária nos quadrantes inferiores após quadrantectomias

Rodrigo Otávio Gontijo Tostes, João Carlos Cisneiros Guedes de Andrade Júnior, Washington Cançado Amorim, Lauro José Victor Avellán Neves, Luiz Eduardo Toledo Avelar, Leandro Cruz Ramires da Silva, Patrícia Noronha de Almeida, Eduardo de Melo Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(2):309-316 - Artigo Original

PDF Português

RESUMO

Introdução: No tratamento cirúrgico do câncer de mama, as quadrantectomias, quando reparadas por meio da simples aproximação das bordas da área cruenta resultante, podem levar a sequelas de difícil solução. Métodos: Os autores apresentam uma padronização para a reconstrução dos quadrantes inferiores da mama após quadrantectomias, subdividindo a região em três áreas de localização do defeito gerado pela ressecção e sugerindo condutas específicas para cada uma destas, por meio da utilização de técnicas clássicas, bem como de inovações em tratamento local com retalhos. Apresentam os resultados, seguimento e limitações das técnicas empregadas, fazendo uma análise comparativa crítica com os dados encontrados na literatura disponível.

Palavras-chave: Neoplasias mamárias/cirurgia. Retalhos cirúrgicos. Mastectomia segmentar.

 

ABSTRACT

Introduction: In the surgical treatment for breast cancer, the quadrantectomies, when done by the simple approximation of the wounded borders, can result in difficult solution sequelae. Methods: The authors present a standardization reconstruction of the lower breast quadrants after quadrantectomies dividing the region into three areas of localization for the resection wound, suggesting specific solutions for each of them, by classic techniques as well as new local flaps procedures. They present the results, the follow-up and the limitations of the utilized techniques in a critical comparative analysis with available reported data.

Keywords: Breast neoplasms/surgery. Surgical flaps. Mastectomy, segmental.

 

Uso do Gore-tex para preenchimento do dorso nasal em rinoplastias

Rodrigo Otávio Gontijo Tostes; Felipe Pacheco Martins Ferreira; João Carlos Cisneiros Guedes de Andrade Júnior; José Cesário da Silva Almada Lima Patrícia Noronha de Almeida; Alexandre Alcides Mattos de Meira; Eduardo de Melo Ferreira; Anna Cristina de Freitas Coelho
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3):461-465 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Muitos materiais autógenos e exógenos vêm sendo utilizados com frequência para confecção de enxertos e implantes nas rinoplastias. O enxerto ou implante ideal deve ser biocompatível, biointegrável, não-absorvível, facilmente moldável e não deve causar resposta inflamatória. O Gore-tex, uma forma expansível do politetrafluoretileno (PTFE), é usado desde a década de 1970 na confecção de próteses vasculares. Apesar de seu uso ser extremamente versátil e extenso, oferecendo baixas taxas de complicação, a demonstração na literatura médica de seus resultados, quando usado na cirurgia estética, é muito restrita. Métodos: Realizado estudo retrospectivo sobre a evolução de 7 pacientes submetidos a implantes de Gore-tex visando ao preenchimento do dorso nasal, no período de janeiro de 2005 a dezembro de 2007. Todos os pacientes foram avaliados quanto a fatores estéticos e funcionais, e quanto à presença ou não de complicações. Resultados: Todos os pacientes tiveram boa evolução pós-operatória, com grande satisfação do ponto de vista estético e funcional, e sem complicações. Conclusões: O Gore-tex mostrou-se um material sintético satisfatório, de baixo custo, facilmente moldável, com boa biocompatibilidade e com incidência nula de extrusão ou infecção para implantes de preenchimento de dorso nasal nos casos apresentados.

Palavras-chave: Rinoplastia. Politetrafluoretileno. Nariz/cirurgia.

 

ABSTRACT

Background: Many autogenous and exogenous materials have been frequently used for the production of grafts and implants in rhinoplasties. The ideal graft or implant should be biocompatible, biointegrated, non-absorbable, and easily moldable and should not cause an inflammatory response. Gore-tex, an expandable form of polytetrafluoroethylene (PTFE) has been used since the 1970s for vascular graft production. Although Gore-tex is extremely versatile and has extensive uses and low complication rates, the demonstration of Gore-tex use in aesthetic surgery is very limited in medical literature. Methods: We performed a retrospective study of 7 patients who received Gore-tex implants in order to fill the nasal dorsum from January 2005 to December 2007. All patients were assessed for aesthetic and functional factors and for the presence or absence of complications. Results: All patients had good postoperative evolution, with great satisfaction in terms of aesthetic and functional aspects and no complications. Conclusions: Gore-tex is a satisfactory synthetic material as it is inexpensive, easily moldable, has good biocompatibility, and has shown no incidence of extrusion or infection in implants used for nasal dorsum filling in previously reported cases.

Keywords: Rhinoplasty. Polytetrafluoroethylene. Nose/surgery.

 

Infecção em reconstrução mamária com expansor/prótese: incidência e correlação com fatores de risco em 120 pacientes

Thadeu Rezende Rangel Fernandes; Alberto Okada; Eduardo Montag; Patrícia Noronha de Almeida; Eduardo Gustavo Pires de Arruda; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):61 - Tórax e Tronco

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons