ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Print: 1983-5175

Showing of 1 until 7 from 7 result(s)

Search for : Osvaldo João Pereira Filho

Plástica cicatricial fechada com tração do tecido retrátil com fios e subcisão profunda das bandas retráteis

Osvaldo João Pereira Filho; Osvaldo Pereira; Jorge Bins-Ely; Kuang Hee Lee
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):10 - General

PDF Portuguese

Endotoplastia por incisão superior

Kuang Hee Lee; Osvaldo João Pereira Filho; Leandro Soares Grangeiro; Catherine Zegarra; Rodrigo d'Eça Neves; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):42 - Skull, Face and Neck

PDF Portuguese

Evolução e avaliação de 2 pacientes submetidos a reimplante total de membro superior. um de Porto Alegre em 1968 (primeiro reimplante do brasil - meio século) e outro de Bruxelas em 1980

Jorge Bins Ely; Osvaldo João Pereira Filho; Paulo Roberto da Silva Mendes; Kuang Hee Lee; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):133-135 - Membro Superior e Inferior

PDF Portuguese

RESUMO

Maltt (1962) realizou o primeiro reimplante de braço em Boston e Ch'em (1963) reimplantou um antebraço em Shangai. O diâmetro dos vasos era maior que 2mm e os fios para sutura eram normais. Harry Buncke publicou 2 trabalhos em 1966, um com coelhos e outro com macacos. Ambos com utilização de microscópio e realizou reimplantes de orelha e polegar, respectivamente, com sucesso. Este trabalho apresenta 2 casos de reimplantes totais de membros superiores, um realizado no Brasil e outro na Bélgica. No primeiro reimplante de mão realizado com sucesso no Brasil, ocorrido em 1968 em Porto Alegre, Hospital Moinhos de Vento, pelo professor Jorge Fonseca Ely, S. Castellani, J. Bins Ely. Na Bélgica em 1980 em Bruxelas, Hopital Saint Luc, Prof. J.J. Rambouts, J. deFays, J. Bins Ely, A. deConinck e A. Vincent reimplantaram um braço. Em ambos os casos as cirurgias foram longas e a microcirurgia foi fundamental. Foi utilizado microscópio e técnica microcirúrgica. No caso brasileiro [50 anos depois], o paciente trabalha em construção civil utilizando sua mão amputada como sua mestra, tendo em vista ter perdido do os 3 primeiros dedos da mão esquerda no mesmo acidente. No caso belga [38 anos depois] o paciente trabalha na triagem de cartas no correio. Ambos os casos foram publicados, mas essa avaliação tardia fazia-se necessária. Documentação fotográfica apresentada. Nos 2 casos apresentados houve evolução favorável com retorno à mobilidade da grande maioria dos movimentos, com exceção da oponência do polegar. Na sensibilidade e propriocepção houve recuperação praticamente total.

Palavras-chave: Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Extremidades; Evolução Clínica

 

Hiperidrose axilar: tratamento com shaver artroscópico

Kuang Hee Lee; Leandro Soares Grangeiro; Osvaldo João Pereira Filho; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3 Suppl.1):51 - Body and Chest

PDF Portuguese

Mamoplastia com montagem multiplanar centrípeta baseada na proporção áurea

Osvaldo João Pereira Filho; Jorge Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):150-152 - Membro Superior e Inferior

PDF Portuguese

RESUMO

O propósito desse estudo é planejar a mastopexia e a redução mamária baseado na proporção divina, representada pela letra phi, com a montagem multiplanar centrípeta convergente em múltiplas camadas. Essa estratégia baseia-se na constância do sulco submamário, orienta-se pelos ramos de um triângulo com vértice no umbigo abrindo-se em direção à articulação acrômio-clavicular. Esse triângulo funciona como um ponto de fuga que orienta a ressecção horizontal e vertical da mama, bem como a montagem convergente. A estratégia foi investigada em 265 pacientes (n = 530 mamas). A média de idade dos pacientes foi de 36 anos. O período do segmento pós-operatório variou de 6 meses a 3 anos.

Palavras-chave: Mamoplastia; Reconstrução Mamária; Cirurgia Plástica; Proporção Áurea

 

Mamoplastia orientada pela proporção áurea (phi) associada à rafia interna multiplanar com suturas progressivas

Osvaldo João Pereira Filho; Jorge Bins-Ely; Kuang Hee Lee
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):54 - Body and Chest

PDF Portuguese

Mastectomia Contralateral Profilática (CPM) - quebra de paradigma no tratamento cirúrgico do câncer mamário

Jorge Bins Ely; Osvaldo João Pereira Filho; William Seidel; Paulo Roberto da Silva Mendes; Kuang Hee Lee; Zulmar Antonio Accioli de Vasconcellos
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):159-161 - Tronco I

PDF Portuguese

RESUMO

Halsted (1884) descreveu a mastectomia e Patey (1948) preconizou cirurgia menos mutilante. Em 1962, foi o ano de lançamento das próteses de silicone que revolucionaram a história da cirurgia plástica. A simetria é quase tudo. A reconstrução imediata aumentou muito, parcialmente pela demanda das pacientes. A importância das mamas ultrapassa a amamentação, a feminilidade é vital. Foram relacionadas técnicas cirúrgicas utilizadas nos diferentes tipos de abordagem em mastectomias/reconstruções. Técnicas cirúrgicas da retirada do tumor (dependendo do estadiamento TNM), de tumorectomia/lumpectomia até mastectomias radicais. As reconstruções com retalhos dorsais e do muscular grande dorsal – com e sem pele; retalho muscular do reto abdominal TRAM (transversal) e VRAM (vertical); retalhos toracoabdominal; retalhos microcirúrgicos. A bipartição foi abandonada. As reconstruções com material heterólogo - matrix dérmica acelular, são relatadas. O "luto cirúrgico" é abordado como período "importante" entre a mastectomia e a reconstrução. Apresentados dados do Serviço de Cirurgia Plástica e Queimados do Hospital Universitário/UFSC comparados com diversas publicações de Salzberg e Pusic. Por que não indicar a mastectomia contralateral preventiva (CPM) nos casos de câncer mamário com comprovação anatomopatológica (parafina)?

Palavras-chave: Mastectomia; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Neoplasias da mama.

 

Sponsors

Indexers

Licença Creative Commons All scientific articles published at www.rbcp.org.br are licensed under a Creative Commons license