ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 1 de 1 resultado(s)

Busca por : Luis Fernando Ungarelli

Eficácia do retalho adipofascial retroauricular em otoplastia

Luis Fernando Ungarelli
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(2):249-259 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: As técnicas de otoplastia que utilizam suturas permanentes para moldar as cartilagens apresentam elevada taxa (de até 22%) de incidência de problemas granulomatosos no pós-operatório. Para controlar essas complicações, Horlock et al., em 2001, desenvolveram o retalho adipofascial retroauricular. Neste trabalho, são comparados pacientes submetidos a otoplastia com e sem o uso desse retalho, com o objetivo de identificar a incidência de complicações com suturas, avaliar a eficácia do retalho adipofascial retroauricular na prevenção dos problemas com as suturas definitivas aplicadas na cartilagem auricular, e analisar se a confecção desse retalho envolveu aumento da taxa de outras complicações de otoplastia que não as relacionadas às suturas, especialmente deiscência de suturas ou má cicatrização no pós-operatório. MÉTODO: Foram revisados os prontuários de 24 pacientes submetidos a otoplastias realizadas no período de 2007 a 2009 no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Ribeirão Preto, SP, Brasil). Os pacientes foram divididos em 2 grupos, um deles compreendendo a técnica "clássica" (grupo clássico, n = 24 orelhas) e o outro, a técnica de "retalho" (grupo retalho, n = 24 orelhas), de forma retrospectiva e com tempo pós-operatório mínimo de 24 meses. RESULTADOS: A incidência total de complicações graves de suturas foi de zero no grupo retalho e de 20,8% no grupo clássico. Edema mais acentuado nos primeiros 14 dias de pós-operatório também foi identificado no grupo retalho em 41,6% dos pacientes vs. 12,5% dos pacientes do grupo clássico. O passo técnico de confecção do retalho adipofascial retroauricular não aumentou o tempo cirúrgico. É plausível que a cobertura tecidual retroauricular mais robusta sobre as suturas e o fato de que o tecido em contato com essas suturas seja subcutâneo íntegro sejam os possíveis fatores responsáveis pela queda da incidência de problemas granulomatosos significativos nas otoplastias em que se utilizou o retalho. CONCLUSÕES: Após a introdução do retalho adipofascial retroauricular, a incidência de complicações relacionadas a granulomas caiu para zero, demonstrando a eficácia do retalho na prevenção dessas complicações. Esse benefício foi obtido sem que houvesse aumento da incidência de outras complicações ou do tempo cirúrgico. Este estudo sugere que o retalho adipofascial retroauricular pode ser uma importante adição ao armamentário técnico dispensado à otoplastia.

Palavras-chave: Orelha externa/cirurgia. Retalhos cirúrgicos. Procedimentos cirúrgicos otológicos.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Otoplasty techniques using permanent sutures to mold cartilage have high rates of incidence of granulomatous issues (up to 22%) during the postoperative period. In order to control these complications, Horlock et al. developed the adipofascial retroauricular flap in 2001. In the present study, we compared patients who underwent otoplasty with or without the use of this flap. We aimed to quantify the incidence of complications affecting the sutures, evaluate the efficacy of the retroauricular adipofascial flap in the prevention of problems associated with the permanent sutures applied to the auricular cartilage, and analyze if the preparation of this flap increased the rates of other types of complications not related to the sutures, particularly suture dehiscence or defective wound healing during the postoperative period. METHODS: We consulted the medical records of 24 patients who underwent otoplasties from 2007 to 2009 at the Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (Clinics Hospital of Ribeirão Preto, Faculty of Medicine of the University of São Paulo). The patients were divided into 2 groups, one where a "classic" technique was used (n = 24 ears) and another where the "flap" technique was used (n = 24 ears). Patients were reviewed in a retrospective manner and had a minimal postoperative period of 24 months. RESULTS: The total incidence of important complications related to the sutures was zero in the "flap" group and 20.8% in the "classic" group. Edema was more pronounced in the first 14 postoperative days, and was identified in 41.6% of patients in the flap group versus 12.5% of the patients in the classic group. The technical steps involved in preparing the adipofascial retroauricular flap did not increase surgical time. It is possible that the retroauricular tissue covering the sutures (which is stronger) and the tissue connecting these sutures (preserved subcutaneous tissues) were the main factors responsible for the significant decrease in granulomatous complications after otoplasties in which the flap was used. CONCLUSIONS: After the retroauricular adipofascial flap was introduced, the incidence of complications was reduced to zero, demonstrating the efficacy of this flap in the prevention of complications related to granulomas. This benefit was obtained without an increase in the incidence of other complications or surgical time. This study suggests that the retroauricular adipofascial flap may be an important addendum to the technical tools used during otoplasty.

Keywords: Ear, external/surgery. Otologic surgical procedures/methods. Surgical flaps.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons