ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 11 de 11 resultado(s)

Busca por : Guilherme Cardinali Barreiro

A sincinesia no paciente com paralisia facial: estudo de sete anos

Alessandra Grassi Salles, Adelina Fátima do Nascimento Remigio, Diana Pinheiro Cruz, Guilherme Cardinali Barreiro, Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):4 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Retalho linfofasciocutâneo torácico lateral: estudo anatômico e aplicação clínica

Daniel Marchi dos Anjos; Guilherme Cardinali Barreiro; Rachel Rossine Baptista; Kiril Endo Kasai; Fabio de Freitas Busnardo; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):5 - Experimental

PDF Português

Versatilidade do retalho ântero-lateral pediculado

Rachel Rossine Baptista; Guilherme Cardinali Barreiro; Pedro Soler Coltro; Marcelo Vitoriano Olivan; Fabio de Freitas Busnardo; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):7 - Geral

PDF Português PDF Inglês

Tratamento cirúrgico dos defeitos complexos causados por acidentes por animais peçonhentos

Rafael Galli; Rachel Rossine Baptista; Guilherme Cardinali Barreiro; Juliana Oliveira Gomes dos Reis; Fernando Sartor Guimarães Fortes; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):9 - Geral

PDF Português PDF Inglês

Análise retrospectiva de pacientes pós-bariátrica submetidos à abdominoplastia com neo-onfaloplastia: 70 casos

Aline Mizukami; Bruna Borguese Ribeiro; Brenda Artuzi Renó; Ivana Leme de Calaes; Davi Reis Calderoni; Rafael de Campos Ferreira Basso; Paulo Kharmandayan; Guilherme Cardinali Barreiro; Marco Antonio Camargo Bueno
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(1):89-93 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Com o crescente aumento do tratamento cirúrgico da obesidade, surge para o cirurgião plástico um grupo de pacientes com grande flacidez cutânea após perda ponderal. Para aqueles submetidos à gastroplastia redutora convencional ou aberta, a abdominoplastia vertical, em âncora ou em T invertido, tem sido largamente utilizada para a melhoria do contorno abdominal, e no presente trabalho foi associada à amputação umbilical seguida de neo-onfaloplastia. MÉTODO: Foram operados 70 pacientes, com peso estável há no mínimo 18 meses, procedentes do ambulatório de Cirurgia Plástica da UNICAMP, no período de março de 2011 a abril de 2013. Em todos foi utilizada a técnica de abdominoplastia em âncora com exérese do umbigo original, juntamente com a peça cirúrgica e confecção de neo-umbigo, através de retalhos dermo-gordurosos bilaterais. Procedeu-se à análise retrospectiva dos prontuários médicos e arquivo fotográfico dos mesmos. RESULTADOS: Nos 70 pacientes operados, houve predominância do sexo feminino (91%) e da raça branca (83%), com média de 40 anos. Após tempo de espera de aproximadamente 16 meses, foram submetidos à abdominoplastia em âncora associada a neo-onfaloplastia, que durou em média 2 horas. Observaram-se complicações pós-operatórias em 29,85% - deiscências pequenas, cicatrizes inestéticas, alargadas ou hipertróficas, queloides, seromas, excessos dermo-gordurosos relevantes e infecção de ferida operatória. Os neo-umbigos obtidos são muito semelhantes aos umbigos originais. Não observamos necroses, estenoses, distorções morfológicas e nem mau posicionamento dos mesmos. CONCLUSÃO: Esta técnica tem permitido a obtenção de umbigos com aspecto natural, é de fácil execução e reduz o tempo operatório.

Palavras-chave: Neo-umbigo; Neoumbilicoplastia; Neo-onfaloplastia; Abdominoplastia vertical; Abdominoplastia em âncora; Cirurgia pós-bariátrica.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: With the increasing surgical treatment of obesity, a new group of patients is being attended by plastic surgeons: those with large flaccid skin following weight loss. For patients treated with conventional or open bariatric surgery, vertical, anchor-line, or inverted "T" abdominoplasty has been widely used to improve the abdominal contour. In this study, abdominoplasty was associated with umbilical amputation followed by neo-omphaloplasty. METHODS: Seventy patients with stable weight for at least 18 months underwent surgery at the UNICAMP Plastic Surgery Outpatient Clinic, from March 2011 to April 2013. In all patients, anchor-line abdominoplasty with excision of the original navel was executed, together with the surgical specimen and preparation of neo-umbilicus, through bilateral dermal-fat flaps. A retrospective analysis of medical records and photographic archives was performed. RESULTS: The 70 patients were predominantly female (91%) and white (83%) with a mean age of 40 years. After a wait time of approximately 16 months, they were subjected to anchor-line abdominoplasty associated with neo-omphaloplasty, which lasted an average of 2 hours. There were post-operative complications in 29.85% of the patients, including small dehiscence, unsightly, enlarged, or hypertrophic scars, keloid, seroma, relevant dermo-fatty excesses, and wound infection. The neo-umbilicus obtained from the surgery is very similar to the original umbilicus. We did not observe necrosis, stenosis, morphological distortions, or bad positioning. CONCLUSION: This technique has made it possible to obtain an umbilicus with a natural look, is easy to perform, and shortens operating time.

Keywords: Neo-umbilicus; neoumbilicoplasty; neo-omphaloplasty; Vertical abdominoplasty; anchor-line abdominoplasty; post-bariatric surgery.

 

Reconstruções pelveperineais com uso de retalhos cutâneos baseados em vasos perfurantes: experiência clínica com 22 casos

Guilherme Cardinali Barreiro; Lincoln Saito Millan; Hugo Nakamoto; Eduardo Montag; Paulo Tuma Jr.; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(4):680-684 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: As lesões pelveperineais representam grande parcela das interconsultas para o cirurgião plástico em hospitais gerais. O objetivo do presente trabalho é apresentar a experiência obtida no tratamento de pacientes com lesões perineais, sacrais e de quadril com o uso de retalhos com vasos perfurantes. MÉTODO: Foram estudados, retrospectivamente, os pacientes submetidos a avaliação pela equipe da Divisão de Cirurgia Plástica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, nos meses de fevereiro a maio de 2009, que apresentavam feridas em região pelveperineal e no quadril. No total, 22 pacientes foram submetidos a reconstrução com retalhos cutâneos e fasciocutâneos baseados em vasos perfurantes, de acordo com os critérios de inclusão. O período de seguimento médio foi de 6 meses. RESULTADOS: A lesão pelveperineal foi úlcera por pressão em 20 (91%) casos, infecção profunda em 1 (4,5%), e hidradenite perineal em 1 (4,5%). A opção dos retalhos foi previamente estabelecida, dependendo do local da ferida: úlceras sacrais, retalho baseado nas perfurantes da artéria glútea superior em 15 (68,2%) casos; úlceras isquiáticas, retalho baseado nos vasos perfurantes da artéria glútea inferior em 3 (13,6%) casos; e úlceras trocantéricas, retalho tensor da fascia lata perfurante em 2 (9,1%) casos. Retalho fasciocutâneo inervado gluteofemoral foi a opção para a reconstrução pós-síndrome de Fournier em um paciente e após ressecção de hidradenite perineal em outro. Houve necessidade de nova sutura para fechamento primário tardio em deiscência < 10% do perímetro da lesão em 3 (13,6%) casos, durante os primeiros 15 dias de pós-operatório. Não houve casos de necrose > 3% da superfície do retalho. Os resultados foram mantidos no período de seguimento avaliado. CONCLUSÕES: Os resultados obtidos no presente estudo foram satisfatórios e ficou demonstrada a utilidade de retalhos cirúrgicos sem incorporação de músculo para reconstruções pelveperineais. Essa alternativa para tratamento é menos mórbida para as áreas doadoras e preserva o tecido muscular para possível intervenção futura.

Palavras-chave: Períneo. Ferimentos e lesões. Úlcera de pressão. Retalhos cirúrgicos. Cirurgia plástica.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Plastic surgery consultation is commonly sought for the treatment of pelviperineal injuries in general hospitals. The objective of this study was to present the experience acquired in the treatment of perineal, sacral, and hip injuries with the use of perforator flaps. METHODS: Patients referred to the Plastic Surgery Division of the Clinical Hospital of Medicine College of Universidade de São Paulo for evaluation of pelviperineal and hip wounds from February to May 2009 were retrospectively evaluated. A total of 22 patients underwent reconstruction with skin and fasciocutaneous flaps based on the perforator vessels, according to the inclusion criteria. The average follow-up period was 6 months. RESULTS: Pelviperineal injuries consisted of pressure ulcers in 20 cases (91%), deep infection in 1 case (45%), and perineal hidradenitis in 1 case (4.5%). The choice of flap for reconstruction was dependent on the local wound: 15 cases (68.2%) of sacral ulcers were repaired with a superior gluteal artery perforator flap; 3 cases (13.6%) of ischial ulcers were repaired with an inferior gluteal artery perforator flap; and 2 cases (9.1%) of trochanteric ulcers were repaired using a tensor fascia lata perforator flap. A fasciocutaneous gluteofemoral flap was selected for reconstruction of post Fournier' syndrome in 1 patient and was used after resection of perineal hidradenitis in 1 patient. A new suture for late primary closure was necessary in 3 (13.6%) cases in which the suture line dehiscence was < 10% of the injury perimeter during the first 15 post-operative days. There were no cases of > 3% necrosis of the flap surface. These results were maintained during the follow-up evaluation period. CONCLUSIONS: The results of the study were satisfactory, and the utility of surgical flaps without the incorporation of muscle for pelviperineal reconstruction was demonstrated. This treatment alternative decreases donor site morbidity and preserves the muscular tissue for future interventions.

Keywords: Perineum. Wounds and injuries. Pressure ulcer. Surgical flaps. Plastic surgery.

 

Correção da ptose da sobrancelha por via transpalpebral associada a retalho periostal

Guilherme Luis Schmitt; Luiz Gustavo Balager Cruz; Guilherme Cardinali Barreiro; Johnny Leandro Conduta Borda Aldunate; Henri Friedhofer; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):33 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

Reimplante com sucesso de lábio superior e parte nasal em uma criança de dois anos de idade por mordedura de cão

Thiago Jung Mendaçolli; Rachel Rossine Baptista; Guilherme Cardinali Barreiro; Kiril Endo Kasai; Diego Pereira; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):47 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Escala para avaliação de resultados de cirurgia estética do abdome

Guilherme Cardinali Barreiro, Diana Pinheiro Cruz, Alessandra Grassi Salles, Adelina Fatima do Nascimento Remigio, Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):50 - Tórax e Tronco

PDF Português

Reconstrução de planta de pé de acordo com o conceito das subunidades anatômicas

Guilherme Cardinali Barreiro, Rachel Rossine Baptista, Fabio Busnardo, Marcelo Olivan, Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):81 - Extremidades

PDF Português

Reconstruções complexas de tronco com retalhos locais: algoritmo de tratamento

Kiril Endo Kasai; Rachel Rossine Baptista; Guilherme Cardinali Barreiro; Marcelo Olivan; Fabio de Freitas Busnardo; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):86 - Tórax e Tronco

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons