ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 10 de 10 resultado(s)

Busca por : Gilvani Azor de Oliveira e Cruz

Expansão tecidual no Hospital de Clínicas-UFPR: nossa experiência

Renato da Silva Freitas; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Isis Scomação; Isis Juliane Guarezi Nasser; Paula Giordani Colpo
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3):407-410 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: A escassez de tecidos para reconstrução de grandes defeitos é um desafio ao cirurgião plástico. Nesse contexto, surgiu a expansão tecidual, que, nos últimos 30 anos, se tornou uma das modalidades mais utilizadas na cirurgia reparadora. A expansão é uma técnica muito versátil, que pode ser realizada em todas as idades e para correção de diferentes afecções. As principais indicações são sequelas de queimadura e nevo congênito gigante. Este estudo teve como objetivo demonstrar as indicações na utilização dos expansores tissulares e sua evolução em pacientes do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. Métodos: Estudo retrospectivo, incluindo pacientes submetidos a expansão tecidual para cirurgia reconstrutora, no período de janeiro 2005 a dezembro 2009. Resultados: Foram analisados 24 pacientes, sendo 70,8% do sexo feminino e 29,2% do sexo masculino. A idade variou entre 3 anos e 46 anos (média de 17,1 anos). A principal indicação de expansão tecidual foi o tratamento de sequelas de queimaduras (62,5%), principalmente na região da cabeça e do pescoço. Alopecia foi a indicação mais prevalente (29,2%), seguida por retração cicatricial em região cervical (20,8%). Outras indicações foram nevo melanocítico congênito gigante (16,7%), síndrome de Poland (8,3%), cicatriz abdominal (8,3%) e amastia (4,2%). Entre os pacientes avaliados, 11 evoluíram com alguma complicação, 8 (72,7%) dos quais tinham como doença primária sequela de queimaduras, demonstrando maior incidência de complicações em relação às outras indicações. As complicações encontradas foram: infecção, ruptura, extrusão, deiscência de sutura e deslocamento do expansor. Conclusões: A expansão tissular é indicada no tratamento de múltiplas doenças e uma das principais indicações continua sendo o tratamento de sequelas de queimaduras.

Palavras-chave: Dispositivos para expansão de tecidos. Expansão de tecido. Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

Background: The shortage of tissue for large defect reconstruction is a challenge for the plastic surgeon. Tissue expansion emerged in this context, and in the last 30 years has become one of the most widely used modalities in reconstructive surgery. Tissue expansion is a very versatile technique that can be performed in patients of all ages for the correction of different pathologies. The most common indications are burn sequelae and giant congenital nevus. The present study describes the indications and use of tissue expanders at the Hospital de Clínicas of Universidade Federal do Paraná. Methods: Patients who underwent tissue expansion for reconstructive surgery between January 2005 and December 2009 were retrospectively reviewed. Results: A total of 24 patients (70.8% female and 29.2% male) were analyzed. Ages ranged from 3 to 46 years old (average, 17.1 years). The most common indication for tissue expansion was the treatment of burn sequelae (62.5%), mainly in the head and neck. Alopecia was the second most prevalent indication (29.2%), followed by scar retraction in the neck (20.8%). Other indications were giant congenital melanocytic nevus (16.7%), Poland's syndrome (8.3%), abdominal scar (8.3%), and amastia (4.2%). Complications developed in 11 patients, and the highest incidence of complications, reported in 8 (72.7%) patients, was among those with burn sequelae as the primary pathology. The complications were infection, rupture, extrusion, wound dehiscence, and displacement of the expander. Conclusions: Tissue expansion is indicated for the treatment of several diseases among which burn sequelae is one of the most common indications.

Keywords: Tissue expansion devices. Tissue expansion. Reconstructive surgical procedures.

 

Epidemiologia das fraturas faciais na criança: avaliação em 428 casos em Curitiba, PR, Brasil

Isis Scomacao, Gilvani Azor de Oliveira e Cruz, Maria Cecília Closs Ono, Alexandre Elias Contin Mansur, Paula Giordani Colpo, Adriana K Sayuri
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):13 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Acesso retromandibular transparotídeo reduzido para o tratamento de fraturas extracapsulares do côndilo mandibular

Maria Cecília Closs Ono; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Renato da Silva Freitas
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3):428-433 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A maioria dos trabalhos atuais enfatiza a necessidade de tratamento cruento das fraturas extracapsulares do côndilo mandibular, quando estas apresentam grandes desvios ou estão associadas a outras fraturas mandibulares e/ou terço médio da face. Este artigo tem por objetivo descrever detalhes cirúrgicos e resultados pós-operatórios do uso do acesso retromandibular transparotídeo reduzido para o tratamento das fraturas extracapsulares do côndilo mandibular. MÉTODO: Foram analisados 14 pacientes portadores de fraturas extracapsulares de côndilo mandibular, com indicação de tratamento cirúrgico, operados no período de março de 2011 a março de 2012. RESULTADOS: Nesta série de pacientes, os resultados anatômicos e funcionais foram considerados satisfatórios e foi observado baixo índice de complicações. CONCLUSÕES: O acesso retromandibular transparotídeo reduzido oferece vantagens e deve ser incluído como opção para o tratamento cruento das fraturas extracapsulares do côndilo mandibular.

Palavras-chave: Fraturas mandibulares. Mandíbula/cirurgia. Côndilo mandibular/cirurgia.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Most of the current research has highlighted the need for establishing a surgical procedure for the treatment of extracapsular condylar fractures of the mandible, in case with large deviations or when the fractures are associated with other mandibular and/or fractures of the middle third of the face. Here, we aimed to describe the surgical details and postoperative outcomes of the mini-retromandibular transparotid approach for the treatment of extracapsular condylar fractures of the mandible. METHOD: An analysis was conducted among 14 patients with extracapsular condylar fractures of the mandible who presented indications for surgical treatment and underwent the surgery between March 2011 and March 2012. RESULTS: In this case series, the anatomical and functional outcomes achieved were satisfactory and the rate of complications was low. CONCLUSIONS: The mini-retromandibular transparotid approach offers advantages and should be included as an option for the surgical treatment of extracapsular condylar fractures of the mandible.

Keywords: Mandibular fractures. Mandible/surgery. Mandibular condyle/surgery.

 

Opções terapêuticas no manejo do nevus congênito gigante, experiência do Serviço de Cirurgia Plástica e Reaparadora HC-UFPR

Renato da Silva Freitas; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Isis Scomação; Adriana Sayuri Kurogi; Ivan Maluf Junior; Paula Giordani Colpo; Priscila Balbinot
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(2):277-281 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O nevus congênito gigante (NCG) possui diversas modalidades de tratamento. A abordagem cirúrgica inclui a ressecção parcial seriada ou excisão total. Objetivo: Demonstrar as principais modalidades terapêuticas utilizadas para o tratamento do NCG e avaliar a incidência da localização, idade e tamanho destas lesões no Serviço de Cirurgia Plástica e Reparadora do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná. MÉTODOS: Estudo retrospectivo dos pacientes submetidos a tratamento cirúrgico do NCG no período de janeiro de 2004 a janeiro de 2010. Foram coletados dados como: idade, gênero, tratamento realizado, número de cirurgias realizadas, evolução e complicações. RESULTADOS: Foram avaliados 11 pacientes, sendo 8 mulheres e 3 homens. A média de idade foi de 12,4 anos (3 a 25 anos). O subtipo mais encontrado foi o nevus melanocítico intradérmico correspondendo a 90,9% dos casos e 9,1% com nevus melanocítico composto. Não foram identificados casos de melanoma. A localização mais comum foi a região da cabeça e pescoço. O diâmetro médio das lesões foi de 9,1 cm.As técnicas utilizadas para reconstrução foram: sutura primária, retalhos locais, enxerto de pele e uso de expansores. No seguimento, 63,6% dos pacientes apresentavam ainda nevus residual, 27,3% apresentaram ressecção completa e 9,1% perderam seguimento. CONCLUSÃO: Foi observada maior incidência de NCG na faixa etária de 3 a 25 anos, sendo a localização mais comum na face e com tamanho médio de 9,1cm. O principal tratamento instituído para os pacientes com NCG foi a ressecção parcelada, com bons resultados.

Palavras-chave: Nevo; Tratamento; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Several modalities are available for the treatment of giant congenital nevus (GCN). The surgical approach includes partial serial resection or total excision. Objective: To demonstrate the main therapeutic modalities in the treatment of GCN and to assess the incidence of location, age, and size of this lesion at the Plastic and Reconstructive Surgery Service of the Hospital de Clínicas, Federal University of Paraná. METHODS: This retrospective study included patients who had undergone surgical treatment for GCN between January 2004 and January 2010. We collected data such as age, sex, treatment performed, number of surgeries carried out, evolution, and complications. RESULTS: We evaluated 11 patients (8 female and 3 male). The average age was 12.4 years (range, 3-25 years). The GCN subtype most commonly found was intradermal melanocytic nevus, which accounted for 90.9% of cases, with melanocytic nevus accounting for the remaining 9.1%. No cases of melanoma were identified. The most common location was the head and neck. The average diameter of the lesions was 9.1 cm. The techniques used for the reconstruction included primary suture, local flaps, skin graft, and the use of expanders. In the follow-up period, 63.6% of the patients still presented a residual nevus, 27.3% underwent complete resection, and 9.1% were not monitored. CONCLUSION: A higher incidence of GCN was observed in patients aged 3-25 years. The most common location was the face, and the average size was 9.1 cm. The main treatment of patients with GCN was splitting resection, which resulted in satisfactory outcomes.

Keywords: Nevus; Treatment; Reconstructive surgical procedures.

 

Avaliação da influência da cinta muscular peitoral na sustentação do retalho dermolipoglandular mamário após mamoplastia vertical

André Ricardo Dall Oglio Tolazzi, Ruth Maria Graft, Renat o da Silva Freitas, Gilvani Azor de Oliveira e Cruz
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(1):141-152 - Artigo Original

PDF Português

RESUMO

Introdução: O retalho dermolipoglandular mamário de pedículo torácico tem sido frequentemente utilizado em diversas técnicas de mamoplastia. Objetivo: Avaliar radiologicamente a influência do retalho bipediculado de músculo peitoral maior na sustentação do retalho dermolipoglandular após mamoplastia vertical, bem como analisar o padrão de movimentação dos retalhos. Método: Vinte e uma pacientes foram operadas, tendo o retalho mamário marcado com 3 clipes de titânio: superior, medial e lateral. As pacientes foram aleatoriamente divididas em dois grupos: (C), com cinta muscular (10 pacientes); e (S), sem cinta muscular (11 pacientes). A avaliação radiológica foi realizada medindo-se a distância vertical e horizontal de cada clipe a um ponto de referência clavicular e linha média do tórax anterior, respectivamente. Resultados: Quanto ao padrão de movimentação vertical (queda), os clipes apresentaram queda inicial com estabilização da altura no grupo C e queda progressiva no grupo S (p<0,05). Quanto aos padrões de movimentação horizontal (lateralização), os clipes do grupo C apresentaram menor grau de lateralização do retalho em relação ao grupo S em alguns tempos analisados (p<0,05). Conclusão: Este estudo sugere um padrão de movimentação inferior e lateral dos retalhos mamários, observando-se forte tendência da cinta muscular peitoral fornecer sustentação ao retalho dermolipoglandular.

Palavras-chave: Mamoplastia/métodos. Mama/cirurgia. Retalhos cirúrgicos.

 

ABSTRACT

Background: Chest wall-based dermolipoglandular flap of the breast has been frequently used in mammaplasties. Aim: Radiologically evaluate the influence of pectoralis major muscle bipedicle flap in the suspension of mammary flap after a vertical mammaplasty, as well as study the movement pattern of these flaps. Methods: Twenty-one female patients were operated and had the mammary flap marked with 3 titanium clips: superiorly, medially and laterally. The patients were randomly located in two groups: (C), with the muscular sling (10 patients); and (S), without any muscular sling (11 patients). Radiological evaluation consisted in measuring the vertical and horizontal distance of each clip, from a clavicular point of reference and from the anterior chest wall midline, respectively. Results: Regarding to vertical changes in clip position (descent), the clips on group C showed initial descent with stabilization of their height on group C and continuous descent on group S (p<0.05). The horizontal pattern of movement (lateralization) evidenced less lateralization of the flap on group C compared to group S in several times of evaluation (p<0.05). Conclusion: The present study suggests an inferior and lateral pattern of movement of the mammary flaps, and the pectoralis muscle sling tends to offer support to the dermolipoglandular flap.

Keywords: Mammaplasty/methods. Breast/surgery. Surgical flaps.

 

Síndrome de Proteus: relato de casos

Ivan Maluf Junior; Flávia Thaiana Bonato; Carolina Borralho Gobbato; Luiza Lopes; Wagner Allan Bertolotte; Isis Scomação; Marlon Augusto Camara Lopes; Adriana Sayuri Kurogi; Ruth Maria Graf; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Renato da Silva Freitas
Rev. Bras. Cir. Plást. 2015;30(2):303-310 - Relato de Caso

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A síndrome de Proteus é uma doença complexa e rara, classificada nos grupo das hamartoses. Foi primeiramente descrita em dois pacientes, em 1979, por Cohen e Hayden. Existe dificuldade no diagnóstico, sendo comum a confusão com síndromes de Klippel-Trenaunay-Weber, neurofibromatose ou Stuge-Weber. Apresentamos dois casos tratados no Serviço de Cirurgia Plástica e Reparadora da Universidade Federal do Paraná. MÉTODO: Paciente masculino (caso 1), que chegou ao serviço aos 6 anos de idade, tendo como principais apresentações lipomatoses e assimetrias. A segunda paciente (caso 2) deu entrada no serviço com 20 anos de idade e diagnóstico de síndrome de Klippel-Trenaunay-Weber, que posteriormente mostrou se tratar de síndrome de Proteus. CONCLUSÃO: A hipótese etiológica mais aceita para a doença é genética. Acredita-se que exista mosaicismo somático e que a doença seja letal no estado não mosaico. Morte prematura é bastante frequente. Entretanto, a sequela mais comum é a ocorrência de tumores incomuns. O cuidado dos pacientes portadores da síndrome é um desafio devido às suas consequências médicas e psicossociais.

Palavras-chave: Síndrome de Proteus; Hamartoma; Lipoma.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Proteus syndrome is a complex and rare disorder classified as a hamartomatous disease. It was first described in two patients in 1979, by Cohen and Hayden. Proteus syndrome is difficult to diagnose, and is often confused with Klippel-Trenaunay-Weber syndrome, neurofibromatosis, or Sturge-Weber syndrome. In this study we describe two patients who were treated at the Plastic and Reconstructive Surgery Service of the Federal University of Paraná. METHOD: A 6-year-old male patient (case 1) presented to the Service with lipomatosis and asymmetry, as the primary findings. A 20-year-old (case 2) was admitted to the Service with a diagnosis of Klippel-Trenaunay-Weber syndrome, which later was shown to be Proteus syndrome. CONCLUSION: The etiological hypothesis that is most accepted for this disease is genetic. It is believed that somatic mosaicism may occur during pathogenesis, which can be lethal in the mosaic state. Premature death is common. However, the most common sequelae are the occurrence of unusual tumors. The care of patients with this syndrome is a challenge due to medical and psychosocial consequences.

Keywords: Proteus syndrome; Hamartoma; Lipoma.

 

Técnica da iguana para estabilização de cânula endotraqueal ou nasotraqueal para trauma facial

Adriana Sayuri Kurogi; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Ivan Maluf Junior; Guilherme Berto Roca; Isis Scomação; Dirlene Taysa Berri
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):27 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português PDF Inglês

Fraturas nasoetmoideorbitais: experiência de 37 anos do Serviço de Cirurgia Craniofacial do Hospital de Cajuru e Hospital do Trabalhador

Gilvani Azor de Oliveira e Cruz; Ivan Maluf Junior; Rafaela Cesario Pereira Maluf; Adriana Sayuri Kurogi; Dirlene Taisa Berri; Marlon Augusto Camara Lopes; Priscila Balbinot; Isis Nasser; Maria Cecilia Closs Ono; Renato da Silva Freitas
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(3):507-510 - Artigo Especial

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

A fratura do complexo nasoetmoideorbital (NEO) permanece como uma das tarefas mais desafiadoras no trauma facial. Corresponde a 2,1% dos casos de trauma de face. Achados clínicos clássicos das fraturas NEOs são telecanto e deformidade com retroposicionamento da pirâmide nasal. O estudo com tomografia computadorizada é imprescindível para determinar detalhes e procurar localizar deslocamentos ósseos e fístulas. O tratamento é direcionado à reconstrução da relação intercantal, da projeção nasal e das estruturas internas da órbita.

Palavras-chave: Osso etmoide/lesões. Osso nasal/lesões. Fraturas orbitárias/cirurgia. Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

Fractures of the naso-orbitoethmoid complex (NOE) remain one of the most challenging tasks in facial reconstruction and account for 2.1% of facial trauma cases. Clinical analyses of NOE fractures showed that they usually affect the telecanthus and cause deformities that would then require retropositioning of the nasal pyramid. Therefore, computed tomography is an essential technique for further assessment and to identify bone dislocations and fistulas. Treatment involves reconstruction of the intercanthal distance, nasal projection, and internal orbital structures.

Keywords: Ethmoid bone/injuries. Nasal bone/injuries. Orbital fractures/surgery. Reconstructive surgical procedures.

 

Fissura facial número 4 de Tessier: expansão tecidual não deve ser a primeira opção

Adriana Sayuri Kurogi; Renato da Silva Freitas; Isis Scomação; Guilherme Berto Roca; Dirlene Taysa Berri; Gilvani Azor de Oliveira e Cruz
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):51 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português PDF Inglês

Tratamento de fraturas nasoetmoidais com fixação com fio de Kirschner

SILVIA HELENA MANDU; DAYANE RAQUEL DE PAULA; FABIOLA GRIGOLETTO LUPION; MARIA CECILIA CLOSS ONO; RENATO DA SILVA FREITAS; GILVANI AZOR DE OLIVEIRA E CRUZ
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.1):185-187 - 35ª Jornada Sul Brasileira de Cirurgia Plástica

PDF Português

RESUMO

Introdução: Consideradas lesões de elevada incidência, as fraturas nasais, recorrentemente consideradas de menor importância, podem trazer prejuízos relevantes do ponto de vista funcional e estético.
Método: Entre outubro de 2012 e outubro 2018 foram atendidos 11 pacientes no Hospital do Trabalhador, em Curitiba-PR, submetidos a fixação de fratura de septo nasal com fio de Kirschner.
Resultados: Do total de 11 pacientes, oito masculinos e três femininos, a idade média permanecendo em 24,4 anos, 63% deles foram vítimas de agressão em face. O intervalo entre o trauma e o tratamento variou entre 13 a 21 dias. Em 72% foram usados apenas um fio de Kirschner para fixação e, por fim, o tempo para retirada do material foi, em média, 39,9 dias.
Conclusão: Essa opção de tratamento se caracteriza como uma estratégia cirúrgica de execução simples e rápida, com baixo custo e morbidade e resultado satisfatório no pós-operatório.

Palavras-chave: Traumatismos faciais; Face; Agressão; Osso nasal; Septo nasal

 

ABSTRACT

Introduction: Considering lesions of high incidence, nasal fractures, recurrently taken as minor, can bring about significant functional and aesthetic damage.
Method: Between October 2012 and October 2018, 11 patients were attended at the Hospital do Trabalhador, in Curitiba-PR, undergoing fixation of a nasal septum fracture with Kirschner wire.
Results: Of the total of 11 patients, eight male and three female, with a mean age of 24.4 years, 63% of them were victims of facial aggression. The interval between trauma and treatment ranged from 13 to 21 days. In 72% only one Kirschner wire was used for fixation and, finally, the material removal time was, on average, 39.9 days.
Conclusions: This treatment option is characterized as a simple and rapid surgical strategy, with low cost and morbidity and a satisfactory postoperative result.

Keywords: Facial trauma; Face; Aggression; Nasal bone; Nasal septum

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons