ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 2 de 2 resultado(s)

Busca por : Danillo Irineu Brito Vieira de Freitas

Comparação entre otoplastia realizada com anestesia local com sedação e sem sedação

Fernanda Zanatta F. Santos; Lauro Avellan; Danillo Irineu Brito Vieira De Freitas; Thaís Gomes Casali; Diogo Petroni Caiado Fleury; José Mauro de Oliveira Squarisi; Paulo Henrique Santos Laia
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(4):578-581 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Orelha em abano representa a deformidade congênita mais comum da orelha externa, é transmitida de forma autossômica dominante e afeta aproximadamente 5% da população em geral. Existem três vias principais para a realização da otoplastia moderna: a raspagem, excisão e fixação por pontos da cartilagem auricular. A abordagem de Mustardé, em 1963, para a criação de uma nova anti-hélice era baseada em suturas permanentes por acesso posterior e os pontos englobavam até o pericôndrio anterior, sem transfixar a pele. Furnas (1968) realizava sutura com fio inabsorvível posicionado na cartilagem conchal, transfixando até pericôndrio anterior e suturado na fáscia mastoide. A otoplastia pode ser realizada com anestesia local associada ou não à sedação ou com anestesia geral. OBJETIVO O presente estudo tem como objetivo avaliar a intensidade da dor dos pacientes submetidos à otoplastia sob anestesia local com sedação e sem sedação, comparando as duas técnicas anestésicas. MÉTODO: Foram separados dois grupos: Grupo 1 - 12 pacientes operados com anestesia local e sedação no centro cirúrgico; Grupo 2 - 26 pacientes operados com anestesia local e sem sedação no ambulatório de pequenas cirurgias. O estudo foi realizado no período de 1 ano (maio de 2011 a maio de 2012). Foi realizado um questionário com esses pacientes para avaliarmos o nível de dor no intraoperatório e pós-operatório. RESULTADOS: Não houve diferença estatisticamente significativa entre os dois grupos. CONCLUSÃO: É possível realizarmos essa cirurgia com menor custo hospitalar e utilizarmos as salas do centro cirúrgico com anestesista para cirurgias mais complexas.

Palavras-chave: Orelha/Cirurgia. Anestesia. Sedação Consciente.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Ear flappy is a congenital deformity most common of external ear, is transmitted by dominant form and occurs in 5% of general population. There are three main ways to do the modern surgery: the shaving, exision and fixation for stitchs of ear gristle. The technique of Mestardé, in 1963, do a new antihelice was supported in permanent sutures for posterior way and the stitchs takes until anterior perichondrium, without takes the skin. Furnas (1968) done suture with unabsorbed thread in conchal gristle, transfixing until anterior perichondrium and sutures in mastoid fascia. The otoplasty can be done with local anesthesia associated or not with sedation or with general anesthesia. The aim of the study is to evaluate the intensity of pain of patients submited to otoplasty with local anesthesia with sedation and without sedation, comparing two techniques. METHOD: There was separated 2 groups: Group 1: 12 patients operates with local anesthesia and sedation in surgery center; group 2: 26 patients operated with local surgery in clinic of small surgeries. The study was done in one year (2011 to 2012 May). It was done a lot of questions with these patients to evaluate the level of pain during the surgery and post-surgery. RESULTS: There was not significant diference between two groups. CONCLUSION: It is possible to do this surgery with less hospital cost and the use the rooms in surgery center for more complex surgeries.

Keywords: Ear/Surgery. Anesthesia. Conscious Sedation.

 

Comparação entre otoplastia realizada com anestesia local com sedação e sem sedação

Fernanda Zanatta Freitas Santos; Lauro José Victor Avellan Neves; Danillo Irineu Brito Vieira de Freitas; Leandro Almeida Madeira Campos; Thiago Andrade Alves; Paulo Henrique Santos Laia
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3 Suppl.1):34 - Crânio, Face e Pescoço

PDF Português

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons