ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 2 de 2 resultado(s)

Busca por : Débora Nassif Pitol

Tratamento cirúrgico de hidradenite axilar supurativa com o uso do retalho paraescapular

Luis Carlos Vieira Tavares Junior; Maurício da Silva Lorena de Oliveira; Ronaldo Almeida Soares; Débora Nassif Pitol; Leão Faiwichow
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(3):372-376 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A hidradenite supurativa (HS) é uma doença com prevalência em torno de 1% na população, de difícil tratamento clínico, que em sua cronificação pode levar a limitações funcionais, principalmente na região axilar. MÉTODOS: Este trabalho relata oito axilas com HS crônica estágio III de Hurley tratadas com exérese ampla da doença na região axilar e sua reconstrução imediata com o retalho paraescapular, operados no pelo Serviço de Cirurgia Plástica e Queimaduras do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. RESULTADOS: Todas as axilas tratadas não tiveram recorrência da doença (100%). Todos os retalhos paraescapulares mantiveram-se viáveis (100%), sendo a infecção de um dos retalhos (12,5%) a complicação imediata. Fechamento de 100% da área doadora em síntese primária. CONCLUSÃO: O tratamento da HS crônica axilar estágio III baseado na ressecção radical e reconstrução com retalho paraescapular mostrou-se uma opção efetiva no controle local da doença e um retalho seguro para cobertura do defeito axilar.

Palavras-chave: Hidradenite supurativa; Axila; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Hidradenitis suppurativa (HS) is a disease with a prevalence of approximately 1% in the population and is difficult to clinically treat. Through chronification, it may lead to functional limitations, especially in the axillary region. METHODS: This study reports eight cases of axilla with chronic HS, Hurley stage III, treated with wide excision of the diseased part of the axillary region, followed by immediate reconstruction with a parascapular flap. The patients underwent surgery at the Plastic Surgery and Burns Service of the State Government Workers' Hospital of São Paulo. RESULTS: All the treated patients had no recurrence. All the parascapular flaps remained viable, and infection of one of the flaps (12.5%) was the immediate complication. Closure of the entire donor area was performed using primary synthesis. CONCLUSION: The treatment of chronic axillary HS, stage III, based on radical resection and reconstruction with a parascapular flap proved to be an effective alternative to locally control the disease and is a safe procedure to cover the axillary defect.

Keywords: Hidradenitis suppurativa; Axilla; Surgical flaps; Reconstructive surgical procedures.

 

Avaliação das técnicas de mamoplastia quanto a sua influência tardia na distância do complexo areolopapilar ao sulco inframamário

Alexandre Andrade Souza; Leão Faiwichow; Álvaro de Azevedo Ferreira; Tiago Sarmento Simão; Débora Nassif Pitol; Felipe Rodrigues Máximo
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(4):664-669 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A cirurgia plástica mamária tem como foco adequação do volume, suspensão e forma da mama. Diversas técnicas são utilizadas para redução e mastopexia, com grande atenção ao pedículo responsável pelo suprimento vascular do complexo areolopapilar (CAP). O objetivo deste trabalho é avaliar a técnica e a escolha do pedículo na manutenção da forma do polo inferior da mama no seguimento pós-operatório de 6 meses. MÉTODO: Foi realizada análise prospectiva de 20 pacientes do sexo feminino, totalizando 40 mamas, com índice de massa corporal (IMC) entre 22 e 25 e idade variando de 21 anos a 54 anos, submetidas a mamoplastia (redutora e mastopexia) no Serviço de Cirurgia Plástica e Queimaduras do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. Foram empregadas técnicas baseadas em pedículos superior e medial e pedículo tipo I de Liacyr Ribeiro. A distância entre a cicatriz vertical do CAP e o sulco inframamário foi mensurada no pós-operatório imediato e depois de 6 meses, a fim de comparar o efeito de cada pedículo na manutenção da distância vertical. A análise estatística foi feita pelo teste t de Student, considerando significativos valores de P < 0,005. RESULTADOS: Os pedículos utilizados foram superior (n = 16), medial (n = 20) e tipo I de Liacyr Ribeiro (n = 4). A distância da cicatriz vertical (CAP-sulco inframamário), no pós-operatório imediato, variou de 5 cm a 6 cm, com média de 5,6 cm. As medidas pós-operatórias tardias variaram entre 5,5 cm e 8 cm, com média de 6,6 cm. No que se refere às variações na medida da distância CAP-sulco inframamário quando relacionadas às técnicas de pedículo tipo I de Liacyr Ribeiro (P = 0,2048), de pedículo superior (P = 0,0012) e de pedículo medial (P = 0,0057), apenas o pedículo superior apresentou significância quanto ao alargamento dessa distância. CONCLUSÕES: A medida da distância vertical entre a porção mais caudal do CAP e a cicatriz horizontal posicionada no sulco inframamário (CAP-sulco inframamário) pode ser obtida de forma simples, a fim de entender a influência de cada pedículo no resultado tardio das mamoplastias.

Palavras-chave: Mamoplastia. Mama/cirurgia. Cirurgia plástica/métodos.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Breast cosmetic surgery has focused on the correction of breast volume, suspension, and shape. In most of the breast reduction and mastopexy techniques currently in use, the vascular pedicles responsible for the blood supply to the nipple areolar complex (NAC) are of particular importance. The objective of the present study was to evaluate the results obtained with different techniques and pedicle choices with regard to the maintenance of lower breast pole shape during a postoperative 6-month follow-up period. METHODS: A total of 20 female patients (40 breasts) with a body mass index (BMI) ranging from 22 to 25 and ages between 21 and 54 years who underwent breast lift and reduction surgery at the Plastic Surgery and Burns Department of Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo were retrospectively analyzed. The superior medial pedicle and Liacyr Ribeiro type I pedicle techniques for mammary reduction were used. The distance between the vertical scar of the NAC and the inframammary crease was measured in the immediate postoperative period and after 6 months to compare the effect of each pedicle on vertical distance maintenance. Statistical analyses were performed by Student's t test, and P values < 0.005 were considered statistically significant. RESULTS: The pedicles used were superior (n = 16), medial (n = 20), and Liacyr Ribeiro type I (n = 4). The vertical scar (NAC-inframammary crease) measured between 5 cm and 6 cm (mean = 5.6 cm) during the immediate postoperative period, while later postoperative measurements ranged between 5.5 cm and 8 cm (mean = 6.6 cm). The differences in the NAC-inframammary crease distance between the Liacyr Ribeiro type I pedicle (P = 0.2048), superior pedicle (P = 0.0012), and medial pedicle (P = 0.0057) based surgeries only reached statistical significance in the superior pedicle surgery with respect to an increase in this measurement. CONCLUSIONS: Measurement of the vertical distance between the most caudal portion of the NAC and the inframammary crease scar is simple and might contribute to our understanding of the effect of different pedicle techniques on the long-term results of mammaplasty.

Keywords: Mammaplasty. Breast/surgery. Plastic surgery/methods.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons