ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 4 de 4 resultado(s)

Busca por : ALESSANDRA DOS SANTOS SILVA

Nautilus: craniotomia dinâmica - nova técnica cirúrgica e resultados preliminares

Vera Lucia Noccm Cardim; Alessandra dos Santos Silva; Rolf Lucas Salomons; Rodrigo Faria do Valle Dornelles; Adriano de Lima e Silva; José orlofe de Souza Blom; Nelci Zanon Colange
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(1):29-35 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Considerando-se que as craniossinostoses são afecções basicamente suturais, o fato de o cérebro estar aprisionado em um compartimento fechado, que não possui a complacência necessária para acompanhar seu crescimento, se constitui no desafio principal de seu tratamento. O objetivo do tratamento é restabelecer a complacência da sutura estenótica e corrigir a deformidade craniana compensatória. Este trabalho propõe a associação de osteotomía helicoide à distração osteogênica proporcionada pelo uso das molas distratoras para remodelar defeitos craniofaciais causados por craniossinostoses. MÉTODO: Entre julho de 2010 e julho de 2012, foram tratados 10 pacientes portadores de craniossinostoses, sendo 5 oxicefalias, 3 escafocefalias, 1 turricefalia e 1 trigonocefalia. O tratamento consistiu na aplicação de molas de Lauritzen, para corrigir a deformidade primária da craniossinostose, com a associação de craniotomia helicoide em forma de Nautilus nos sítios de deformação secundária do crânio, sem descolamento dural. RESULTADOS: Foi observada resolução da deformidade craniana e remissão dos sinais clínicos de hipertensão intracraniana. Nenhum paciente apresentou complicações, como fístula liquórica, infecção local, seroma ou hematoma. CONCLUSÕES: A associação da osteotomia helicoide com a distração ou contração promovida pelas molas permitiu remodelar ativamente o crânio, facilitando a acomodação do conteúdo cerebral no continente craniano. Clinical trials.gov Identifier: NCT01672619.

Palavras-chave: Craniossinostoses. Osteogênese por distração. Craniotomia.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Considering that craniosynostosis is a suture-related condition, the main challenge for its treatment is the fact that the brain is located in a closed compartment that does not have the required adaptability to accommodate its growth. The goal of treatment is to restore stenotic suture adaptability and correct the compensatory cranial deformity. This paper proposes the combined use of spiral osteotomy with distraction osteogenesis by the use of distracting springs to remodel craniofacial defects caused by craniosynostosis. METHODS: Between July 2010 and July 2012, 10 patients with craniosynostosis were treated: 5 with oxycephaly, 3 with scaphocephaly, 1 with turricephaly, and 1 with trigonocephaly. The treatment consisted of the application of Lauritzen springs to correct the primary craniosynostosis defect in combination with a nautilus-shaped spiral craniotomy at the secondary deformation sites without dural detachment. RESULTS: Resolution of cranial deformity and remission of the clinical signs of intracranial hypertension were observed. None of the patients had complications such as cerebrospinal fluid fistula, local infection, seroma, or hematoma. CONCLUSIONS: The combined use of spiral osteotomy with spring-mediated distraction or contraction enables active reshaping of the skull and facilitates accommodation of the brain by the cranial cavity. (clinicaltrials.gov identifier: NCT01672619)

Keywords: Craniosynostoses. Osteogenesis, distraction. Craniotomy.

 

Cantopexia e reforço tarsal com retalho de periosteo

Vera Lucia Noccm Cardim; Khaled Bazzi; Alessandra dos Santos Silva; Mariana Gomes e Silva; Fernanda Martins dos Santos; Rolf Lucas Salomons; Adriano de Lima e Silva; Rodrigo de Faria Valle Dornelles
Rev. Bras. Cir. Plást. 2013;28(1):36-40 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A pouca resistência dos tecidos palpebrais quando submetidos ao poder retrátil dos planos cicatriciais predispõe a resultados cirúrgicos indesejáveis. Dentre as técnicas mais resolutivas destacam-se as que utilizam retalhos de periósteo. O presente artigo tem por objetivo apresentar uma técnica de cantopexia e reconstituição tarsoligamentar com retalho de periósteo, a fim de obter um reforço consistente e definitivo do tarso e sua continuidade tecidual à face interna da parede lateral da órbita. MÉTODO: No período de julho de 2009 a dezembro de 2012, foram operados pacientes candidatos à realização de cantopexia com rotação de retalho do arcus marginalis sobre o tarso inferior. Foram avaliados os resultados estéticos e funcionais, bem como a presença de complicações. RESULTADOS: Foram realizadas 84 cantopexias e reforço tarsal com retalho de periósteo, em 49 pacientes. Não foram observadas complicações, como hematoma, infecção ou necrose. Remissão total dos sinais pré-operatórios foi verificada em 45 (91,8%) pacientes e 4 (8,2%) apresentaram remissão parcial em pelo menos um dos lados, relacionada à prévia paresia orbicular. CONCLUSÕES: A cantopexia com reforço tarsal com retalho de periósteo proporciona boa reconstituição tarsoligamentar, com posicionamento adequado do canto externo e bom contato da pálpebra com o bulbo ocular.

Palavras-chave: Blefaroplastia. Ectrópio/cirurgia. Pálpebras/cirurgia. Periósteo/cirurgia.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: The low resistance of the palpebral tissues to the retractable forces of postoperative scarring can predispose patients to undesirable surgical outcomes. Among the more effective techniques for solving this issue are the periosteal flaps. This report aims to present a technique for canthopexy and tarsal reconstitution using a periosteal flap to obtain a consistent and definitive reinforcement of the tarsal ligament and its continuity to the inner face of the sidewall of the orbit. METHODS: From July 2009 to December 2012, 49 patients underwent canthopexy with flap rotation of the arcus marginalis of the inferior tarsus. The functional and aesthetic results were evaluated together with the presence of complications. RESULTS: Eighty-four cantopexies and tarsal reinforcements using a periosteal flap were performed in 49 patients. No complications such as hematoma, infection, or necrosis were observed. Complete remission of the preoperative signals was observed in 45 (91.8%) patients, while the other 4 (8.2%) showed partial remission on at least one of the sides related to prior ocularis paralysis. CONCLUSIONS: Canthopexy reinforced by a tarsal periosteal flap provides good tarsal ligament reconstitution with appropriate positioning of the outer corner and good contact of the eyelid with the ocular globe.

Keywords: Blepharoplasty. Ectropion/surgery. Eyelids/surgery. Periosteum/surgery.

 

"Ortoglossopelveplastia" e o algoritmo de sua utilização na sequência de Pierre-Robin

VERA LÚCIA NOCCHI CARDIM; JULLYANA HEINEN PEIXOTO; ALESSANDRA DOS SANTOS SILVA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):228-236 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Muitos pacientes portadores de sequência de Pierre Robin (micrognatia, glossoptose e obstrução de via aérea) apresentam o músculo genioglosso alterado, encurtado e retrátil, que impede a protração lingual, mantendo a parte anterior da língua verticalizada e seu volume deslocado em direção posterior. Isso pode corroborar para obstrução supraglótica, dificuldade alimentar e inversão das forças de estímulo do crescimento do corpo mandibular.
Métodos: Estudo retrospectivo de pacientes com Pierre Robin tratados entre 2012 e 2017 pela equipe, com descrição da "ortoglossopelveplastia", que propõe uma modificação na glossopexia, soltando o genioglosso anômalo da sua inserção, liberando a língua para elevar seu terço anterior e avançar o volume de sua base, sendo auxiliada por ponto de tração da base lingual à sínfise mandibular. Apresentamos um algoritmo de tratamento proposto que prioriza a necessidade desta cirurgia, associada ou não à distração mandibular, de acordo com a gravidade da dificuldade respiratória e/ou alimentar.
Resultados: São apresentados 12 casos de obstrução da orofaringe atendidos de 2012 a 2017, discutem-se suas prioridades, a ortoglossopelveplastia e se aplica o algoritmo proposto.
Conclusão: A reorganização anatômica da musculatura em uma posição anteriorizada correta proporciona protração e funcionalidade à língua, com desobstrução da via aérea na orofaringe, melhora da função alimentar e do desenvolvimento mandibular, com baixa morbidade cirúrgica e poucas complicações.

Palavras-chave: Glossoptose; Síndrome de Pierre Robin; Micrognatismo; Obstrução das vias respiratórias; Soalho bucal; Osteogênese por distração

 

ABSTRACT

Introduction: Several patients with the Pierre Robin sequence (micrognathia, glossoptosis, and airway obstruction) have an altered, shortened, and retractable genioglossus muscle that prevents protraction of the tongue and keeps the anterior part of the tongue vertical and its volume posteriorly displaced. This can contribute to supraglottic obstruction, feeding difficulty, and inversion of the growth stimulation forces of the mandibular body.
Methods: A retrospective study of patients with the Pierre Robin sequence treated between 2012 and 2017 with "orthoglossopelveplasty," which includes modification of glossopexy, releasing the anomalous genioglossus of its insertion and releasing the tongue to raise its anterior third and advance the volume of its base using a traction suture of the tongue base to the mandible symphysis. We present a treatment algorithm that prioritizes the need for surgery associated, or not, with mandibular distraction in accordance with respiratory and/or feeding difficulty severity.
Results: Twelve cases of oropharyngeal obstruction treated from 2012 to 2017 are presented, their priorities and orthoglossopleoplasty are discussed, and the proposed algorithm is applied.
Conclusion: Anatomical reorganization of the musculature in a correct anterior position provides protraction and functionality to the tongue, clears the airway in the oropharynx, and improves the feeding function and mandibular development, with low surgical morbidity rates and few complications.

Keywords: Glossoptosis; Pierre Robin sequence; Micrognathia; Airway obstruction; Floor of the mouth; Distraction osteogenesis

 

Lifting nasolabial com realce do vermelhão

Vera Lucia Nocchi Cardim; Alessandra dos Santos Silva; Rolf Lucas Salomons; Rodrigo de Faria Valle Dornelles; José Orlofe de Souza Blom; Adriano de Lima e Silva
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3):466-471 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Durante o envelhecimento, o lábio superior sofre enrugamento, alongamento e inversão do vermelhão, em decorrência da ação esfinctérica do músculo orbicular dos lábios. Além disso, a retrusão da parede anterior da maxila provoca diminuição do ângulo nasolabial. A maioria das técnicas para encurtamento labial não obtém a abertura desse ângulo. Neste trabalho, é proposta uma abordagem que contemple o tratamento de todos esses sinais de envelhecimento. Métodos: No período de um ano, foram operados 10 pacientes pela seguinte técnica: 1. incisão transversa da pele do assoalho nasal e margem alar bilateral; 2. descolamento cutâneo de todo o lábio superior até a transição cutaneomucosa; 3. estabilização das asas nasais com ponto transcolumelar; 4. elevação da pele descolada, com ressecção elíptica do segmento justa-alar e trapezoide do segmento do assoalho nasal; e 5. suturas dérmica, com fio de náilon, e epidérmica, com fio absorvível. Resultados: Encurtamento e projeção do lábio com eversão do vermelhão, diminuição das rágades e abertura do ângulo nasolabial adequados foram obtidos em 9 dos 10 pacientes. Em um paciente que apresentava paralisia unilateral do lábio, não houve correção significativa da assimetria. Conclusões: A técnica proposta mostrou-se de simples realização, de resolução efetiva dos objetivos e com boa ocultação das cicatrizes.

Palavras-chave: Lábio/cirurgia. Remoção. Envelhecimento. Cirurgia plástica/métodos.

 

ABSTRACT

Background: During aging, the vermilion border of the upper lip wrinkles, stretches, and inverts because of the sphincteric action of the orbicularis oris muscle. Furthermore, a decrease of the nasolabial angle can be observed because of maxillary retropositioning. Most techniques for lip shortening do not affect this angle. In this study, a treatment approach is proposed that addresses all of these signs of aging. Methods: During a 1-year period, a procedure was performed on 10 patients using the following techniques: 1. transverse incision of the skin of the nasal floor and bilateral alar margin; 2. cutaneous detachment of the entire upper lip up to the mucocutaneous transition; 3. stabilization of the nostrils with a transcolumellar nylon stitch; 4. elevation of the released skin by elliptical skin resection at the alar margin and a trapezoid segment resection at the nasal floor; 5. use of nylon and absorbable sutures to approach the dermis and close the skin, respectively. Results: Adequate results were observed in 9 of the 10 patients, characterized by shortening and projection of the upper lip, vermilion eversion, reduced incidence of rhagades, and improvements of the nasolabial angle. In 1 patient with unilateral paralysis of the lip, no significant correction of the asymmetry was achieved. Conclusions: The proposed "double duck" technique proved to be simple and effective, with successful resolution of nasolabial defects and effective concealment of scars.

Keywords: Lip/surgery. Lifting. Aging. Surgery, plastic/methods.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons