ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 20 de 468 resultado(s)

Busca por : Mama; Fibras elásticas; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Implante mamário

Implante submuscular em duplo bolso para mastopexias de aumento

LEANDRO DEBS PROCÓPIO; DANILO DEBS PROCÓPIO SILVA; RODRIGO ROSIQUE
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):187-195 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: A utilização de implantes mamários vem aumentando. O posicionamento do implante na literatura é relatado como subglandular, subfascial, submuscular total e parcial, cada qual com suas indicações, limitações e complicações.
Métodos: Este trabalho mostra uma manobra para cobertura do implante e sua sustentação utilizando dois retalhos musculares. Entre novembro de 2009 e abril de 2012, foram analisados 80 casos de pacientes submetidas à inclusão de implantes em posição submuscular em duplo bolso, independentemente da via de acesso, do grau de flacidez e ptose.
Resultados: A versatilidade desta manobra permite que seja utilizada em uma ampla variedade de mamas, desde aumento sem flacidez a mamopexia com implante, podendo ser realizada por via periareolar, inframamária ou aberta. Foi utilizada em cirurgias primárias e secundárias, com ou sem uso de retalho de tecido mamário e retirada de pele.
Conclusões: A cobertura do implante com o músculo peitoral pela técnica de duplo bolso demonstrou ótimos resultados, com baixo índice de complicações e reintervenções. Esta técnica está sendo utilizada em uma maior casuística e um seguimento mais longo tem sido feito para confirmar os resultados obtidos até o momento.

Palavras-chave: Implante mamário; Modalidades de posição; Contração muscular; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Contratura capsular em implantes

 

ABSTRACT

Introduction: The use of implants is steadily increasing. Reports have been published of implants in the subglandular, subfascial, total, and partial submuscular positions each with its indications, limitations, and complications.
Methods: This study presents a technique to cover the implant and support it using two muscle flaps. Between November 2009 and April 2012, 80 patients who submitted to inclusion of implants in the submuscular position in double pocket were analyzed, regardless of the access route, the degree of flaccidity, and ptosis.
Results: The versatility of this maneuver allows it to be used in a wide variety of breasts, from breast augmentation without flaccidity to mastopexy with implant, and may be carried out via the periareolar, inframammary, or open access routes. It was used in primary and secondary surgeries, with or without the use of breast tissue flap and removal of skin.
Conclusions: The coverage of the implant with the pectoral muscle by the double pocket technique displayed excellent results, with a low rate of complications and reinterventions. This technique is being studied in a larger sample with a longer follow-up to confirm the results obtained so far.

Keywords: Breast implant; Modalities of position; Muscle contraction; Reconstructive surgical procedures; Capsular contracture in implants

 

Indicações e limites da mamoplastia com "cicatriz em L": experiência de 30 anos

Antonio Roberto Bozola; Alexandre Caroni Bozola
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(1):24-32 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O autor preconiza redução da dimensão das cicatrizes nas mamoplastias às menores possíveis, utilizando cicatrizes em L como uma das táticas. Estabelece limites no seu uso, baseando as ressecções dos excedentes de pele na medida da ptose mamária. O objetivo é determinar os limites da mamoplastia em L. MÉTODOS: Descreve a implantação das mamas no tórax, as linhas mamárias guias para qualquer mamoplastia, as mamas anatomicamente perfeitas e bonitas. Classifica o que denomina de "patologias estéticas" das mesmas, a maneira de quantificar a ptose em centímetros e escolhe a tática cirúrgica do L baseado nela, e suas limitações. Como reduzir e modelar as mamas hipertróficas e ptóticas conforme a classificação proposta. As manobras de suturar as incisões em "ponto e vírgula" partindo da lateral do sulco submamário para medial, depois para cima em direção ao ponto A, terminando em sutura vertical, V-Y ou "bolsa areolar de compensação circular", conforme o excedente de pele na região periareolar. Manobra que reduz a extensão da cicatriz horizontal, ao máximo de AM mais 2 cm. RESULTADOS: Quando a medida da ptose mamária foi menor que 7 cm, os resultados foram de boa qualidade, sem ptose residual importante, sem distorções da aréola e do cone obtido. CONCLUSÃO: A mamoplastia com cicatriz em L é boa tática, mas deve limitar-se a casos com flacidez de medida AM abaixo de 7 cm e pele de boa qualidade.

Palavras-chave: Mamoplastia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Studies recommend reducing the size of the scar on mammoplasties to the smallest possible, using L-scars as one of the techniques. However, its use is limited based on the resections of excess skin because of mammary ptosis. The objective of this study is to determine the limitations of L-mammoplasty. METHODS: To describe the process of breast implantation, mammary lines are used to guide the mammoplasty to achieve anatomically perfect and beautiful breasts. This classifies as "aesthetic pathologies" with quantification of ptosis in centimeters and the limitations being considered in choosing the surgical technique. The proposed classification was used to reduce and model the hypertrophic and ptotic breasts. The suturing maneuvers involved a "semicolon" incision from the lateral side of the submammary groove to the medial and then upward toward point A, terminating in vertical suture, VY, or "areolar circular compensation bag," depending on the excess skin in the periareolar region. This maneuver reduces the extension of the horizontal scar to the maximum of AM plus 2 cm. RESULTS: When mammary ptosis was less than 7 cm, the results were of good quality, without significant residual ptosis and distortion of the areola, achieving a cone shape. CONCLUSION: L-mammoplasty is a good technique, but it should be limited to cases with AM flaccidness below 7 cm and good skin quality.

Keywords: Mammaplasty; Breast implantation; Reconstructive surgical procedures.

 

Nova proposta para utilização de Becker 35 no segundo tempo de reconstrução mamária de grandes volumes

ALEXANDRE KATALINIC DUTRA; JOEL ABDALA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(3):299-304 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: A reconstrução imediata de mama realizada com o expansor de Becker é uma técnica de reconstrução versátil e consolidada na prática médica. Apresentamos uma proposta original com o uso do expansor de Becker associado a um segundo implante mamário.
Métodos: Estudo retrospectivo realizado no período de janeiro de 2014 a outubro de 2016 no Hospital A.C. Camargo. A análise dos prontuários das pacientes reconstruídas com Becker 35 avaliou o índice e tipo de complicações e a associação de rádio e quimioterapia e comorbidades das pacientes com 5 casos de associação de implantes.
Resultados: 193 reconstruções com Becker em 168 pacientes. Vinte cinco casos com reconstrução bilateral. Idade média de 47 anos e 33% apresentaram comorbidades. Cento e dezenove (62%) pacientes seguiram radioterapia e quimioterapia pós-operatórias. Complicações: seroma em 7 pacientes, hematoma no retalho da mastectomia em 2 pacientes, necrose parcial do retalho da mastectomia em 3 pacientes, necrose/infecção com exposição do expansor em 2 pacientes. O total de complicações foi de 9,5%. Um total de 133 (69%) pacientes foram submetidas a esta segunda etapa cirúrgica para complementação da reconstrução da mama, sendo o expansor de Becker substituído por um implante definitivo. As pacientes com uso de Becker 35 associado a outro implante não apresentaram complicações.
Conclusões: A associação do implante-expansor de Becker 35 a um segundo implante mamário foi eficaz em atingir um volume maior nas reconstruções mamárias com baixo índice de complicações.

Palavras-chave: Mamoplastia; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Implante mamário; Dispositivos para expansão de tecidos; Mama

 

ABSTRACT

Introduction: Immediate breast reconstruction performed with the Becker expander is a versatile and accepted technique. We present an original proposal for the use of the Becker expander for a second breast implant.
Methods: A retrospective study was performed between January 2014 and October 2016. Medical records were used to evaluate the indications and complications, the use of radio- and chemotherapy, and comorbidities in all patients, including 5 in whom combined implantation was performed.
Results: The Becker expander was used for 193 reconstructions in 168 patients, including 25 cases with bilateral reconstructions. The average patient age was 47 years, and 33% had comorbidities. Postoperative radiotherapy and chemotherapy were performed in 119 patients (62%). Complications included seroma in 7 patients, hematoma in the mastectomy flap in 2 patients, partial necrosis of the mastectomy flap in 3 patients, and necrosis/infection with expander exposure in 2 patients. Complications occurred in 9.5% of the cases. A total of 133 (69%) patients underwent a second surgical stage to complement breast reconstruction, with the Becker expander being replaced by a definitive implant. Patients in whom the Becker 35 expander was used in a second breast implant developed no complications.
Conclusions: the use of the Becker 35 expander for a second breast implant was effective in achieving greater volume in breast reconstruction with a low rate of complications.

Keywords: Mammaplasty; Reconstructive surgical procedures; Breast implantation; Tissue expansion devices; Breast

 

Avaliação da eficácia do retalho glandular na proteção da incisão no sulco mamário em cirurgias de implante de silicone

Rosana Flora Ribeiro Frempong; Marcel Vinicius de Aguiar Menezes; Moema Maria Carvalho de Santana
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.2):12-15 - 33ª Jornada Norte-Nordeste de Cirurgia Plástica

PDF Português

RESUMO

A inclusão de implantes de silicone para mamoplastia de aumento é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados no Brasil e no mundo. O propósito desta cirurgia é aumentar o volume para que o paciente diminua sua insatisfação quanto à forma e aparência da mama. Apesar de tratar-se de um procedimento com tempo cirúrgico rotineiramente pequeno e baixo risco intraoperatório, as complicações que envolvem a mamoplastia de aumento são dramáticas e envolvem infecção, contratura capsular a longo prazo, extrusão do implante com falência da cirurgia e o risco de litígio por insatisfação das pacientes. Na atualidade, as incisões para mamoplastia de aumento se tornaram menores para melhorar os resultados estéticos, enquanto que, ao mesmo tempo, os volumes dos implantes mamários aumentaram. A localização da incisão depende basicamente das preferências individuais de cada cirurgião. Sabe-se que a posição da incisão é um fator determinante do grau de trauma tissular, exposição do implante às bactérias endógenas, dano sensitivo potencial, visibilidade e hemostasia. O objetivo desse estudo é avaliar a funcionalidade do retalho glandular do polo inferior para proteção da exposição do implante de silicone nas pacientes que realizaram cirurgias de mamoplastia de aumento via sulco inframamário em uma série de casos.

Palavras-chave: Implante mamário, Mamoplastia, Elastômeros de silicone; géis de silicone; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

Silicone implants inclusion for augmentation mammoplasty is one of the most performed surgical procedures in Brazil and worldwide. Purpose of this surgery is to increase the volume so that the patient decreases their dissatisfaction with breast shape and appearance. Although it is a procedure with short surgical time and has low intraoperative risk, complications involving augmentation mammoplasty are dramatic and involve infection, long-term capsular contracture, surgery extrusion with surgery failure, and litigation risk because of patient dissatisfaction. At present, breast augmentation incisions have become smaller to improve aesthetic results, while at the same time breast implant volumes have increased. Incision location depends primarily on each surgeon individual preferences. It is known that incision position is a determining factor for tissue trauma degree, implant exposure to endogenous bacteria, potential sensory damage, visibility and hemostasis. This study aim is to evaluate inferior pole glandular flap functionality to protect exposure of silicone implant in patients who underwent mammoplasty surgeries via inframammary sulcus in a series of cases.

Keywords: Breast Implants; Mammaplasty; Silicone elastomers; Silicon gels; Reconstructive surgical procedures.

 

Utilização da técnica do capeta em paciente com implante mamário

Geraldo Machado Filho; Mariana Angélica Berardi Cioffi; Miguel Enrique Rivera Gómez; Rolando Mendoza Romero; Milton Paulo de Oliveira; Marcos Ricardo de Oliveira Jaeger
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):10-12 - Contorno Corporal

PDF Português

RESUMO

A redução mamária é um procedimento com elevado índice de satisfação, independemente da técnica utilizada. A técnica do "capeta" ("Devil's Incision Mammaplasty"), descrita em 1983, apresenta uma opção de mamoplastia redutora. A técnica empregada — mastopexia pela técnica do Capeta adaptada à colocação de implantes em duplo-plano — corrigiu a flacidez mamária enquanto permitia maior projeção do cone mamário. Não se observou alargamento da cicatriz ou presença de seroma ou infecção. Na comparação fotográfica, a paciente demonstrou satisfação com o resultado obtido, mesmo na presença de cicatriz vertical visível após os três meses. A principal vantagem deste tipo de abordagem consiste na ausência de cicatriz na região areolar superior, área de fácil visualização pela própria paciente, que pode gerar estigmas e desconforto psicológico. Entretanto, este tipo de procedimento não deve ser aplicado a mastopexias em pacientes com graus elevados de flacidez. Ao ressecar os prolongamentos ao redor da aréola, a técnica permite acomodar a cicatriz vertical, reduzindo sua extensão ou mesmo eliminando a cicatriz horizontal, além de dispensar cicatriz na parte superior da aréola.

Palavras-chave: Implante Mamário; Mamoplastia; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Implante de prótese.

 

Mastopexia Periareolar com Implante Mamário Subfascial no Tratamento da Associação de Hipotrofia e Ptose Mamária

Marcio Moreira, Luana Casari da Silva, Djalma José Fagundes
Rev. Bras. Cir. Plást. 2006;21(3):149-154 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Realizaram-se 82 cirurgias de Mastopexia Periareolar (MP) combinadas com implante mamário no plano subfascial para corrigir hipotrofia mamária associada à ptose graus I e II. Marca-se a pele a ser retirada ao redor da aréola, delimitando-se área de ressecção cutânea de forma ovalada; desepiteliza-se e incisa-se abaixo ou acima da aréola, de acordo com o grau da ptose; descola-se no plano subfascial e introduz-se o implante McGhan® de perfil alto; sutura-se de forma circum-areolar com poliamida 3.0; sutura-se a pele com fio poliamida 6.0. Operaram-se outras 40 pacientes (grupo controle), com as mesmas alterações, utilizando técnica convencional (TC), cicatriz vertical ou em "L". Houve flacidez residual em 2,4%, em ambos os grupos; alterações cicatriciais: 1,2%, no MP e 20%, no TC; assimetria do CAM: 1,2%, no MP e 20%, no TC; hematoma: 1,2%, em ambos os grupos; seroma: 1,2%, no MP e 2,5%, no TC; contratura capsular: 1,2%, no MP e 2,5%, no TC. Grande desconforto pós-operatório relatado em 7,3%, no MP, e em 30%, no TC; moderado em 36,5%, no MP e 40%, no TC; pequeno em 56,2%, no MP e em 30%, no TC. A aparência das mamas foi considerada natural em 92,3% e o resultado excelente no MP e em 50% dos casos no TC. Principais vantagens: correção adequada da flacidez, pequena cicatriz circunscrita à área periareolar, redução do período pós-operatório e do desconforto relacionado a uma maior incisão na pele, contorno mamário mais natural devido ao revestimento do bordo do implante conferido pela cobertura fascial.

Palavras-chave: Mama, cirurgia. Mamoplastia. Implante mamário

 

ABSTRACT

Eighty-two (82) Periareolar Mastopexy (PM) surgery combined with subfascial implant location were performed to correct hypotrophy with ptosis grades I and II. The skin to be removed around the areola, with a oval shape, is marked, de-epithelized and an infra or supra-areolar incision, is made in the mammary tissue, according to the degree of ptosis. Subfascial undermining and introduction of McGhan® high profile implant. Circum areola subdermic 3.0 nylon suture and closing the skin with 4.0 nylon. Other 40 patients (control group), with same disturbs, were submited to conventional mastopexy (CM). There were residual sagging in 2.4%, in the boths groups. Hypertrophyc scar was 1.2%, in PM and 20%, in CM. Nipple-areolar complex asymmetry was 1.2%, in PM and 20%, in CM. Hematoma occurred in 1.2%, in both groups. Seroma occurred in 1.2%, in PM and in 2.5%, in CM. Capsular contraction occurred in 1.2%, in PM and 2.5%, in CM. Great post-operational discomfort was reported in 7.3%, in PM and in 30%, in CM. Moderate in 36.5%, in PM and 40%, in CM. Small in 56.2%, in PM and in 30%, in CM. The final appearance was considered natural in 92.3%, in PM and in 50%, in CM. The main advantages were the suitable correction of sagging, absence of apparent scars, shortened post-operative recovery and the less discomfort related to a major incision in the skin. The shape was much more natural due to the adequate hiding of the borders of the implant provided by the fascial covering.

Keywords: Breast, surgery. Mammaplasty. Breast implantation

 

Reconstruções mamárias: estudo retrospectivo de 16 anos

OGNEV MEIRELES COSAC; AMANDA COSTA CAMPOS; RONAN CAPUTI SILVA DIAS; RAFAEL SABINO CAETANO COSTA; SUELLEN VIEIRA DA-SILVA; ANDERSON DE AZEVEDO DAMASIO; JOÃO PEDRO PONTES CAMARA; JOSE CARLOS DAHER
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(2):210-217 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Câncer de mama é o segundo tipo mais comum de câncer entre mulheres no Brasil. Estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama para o biênio 2018-2019. Reconstrução mamária é um procedimento seguro e vários procedimentos cirúrgicos são descritos para sua realização: técnicas conservadoras, retalhos de vizinhança, materiais aloplásticos, retalhos miocutâneos pediculados e microcirúrgicos. O objetivo deste estudo foi analisar os casos de reconstrução mamária pós-mastectomia por câncer de mama, realizados em um período de 16 anos.
Métodos: Foi realizada revisão de prontuários de pacientes submetidas à reconstrução mamária pós-mastectomia por câncer de mama, no período de janeiro de 2002 a dezembro de 2017.
Resultados: No período analisado, 586 pacientes foram submetidas à reconstrução mamária. Em 160 pacientes a reconstrução mamária foi realizada com retalho miocutâneo do músculo retoabdominal (TRAM), 107 com técnicas conservadoras, 156 com retalho miocutâneo do músculo grande dorsal (RGD), 113 com próteses e 50 secundárias. Previamente a outubro de 2007, a porcentagem de pacientes submetidas a cirurgias bilaterais, somando-se TRAM e RGD, era de 30%, e a partir desse período a porcentagem passou para 83,3%. Houve algum tipo de complicação ou intercorrência em 203 (34,64%) pacientes operadas, totalizando de 335 complicações. Grande maioria apresentou intercorrências tratadas ambulatorialmente sem necessidade de reabordagem cirúrgica.
Conclusão: Houve aumento da incidência de cirurgias bilaterais, fato atribuído ao aumento das mastectomias profiláticas na mama contralateral e aumento do número de reconstruções utilizando RGD em comparação com o TRAM, bem como o aumento significativo das reconstruções com implante de silicone.

Palavras-chave: Neoplasias da mama; Mama; Retalhos cirúrgicos; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

ABSTRACT

Introduction: Breast cancer is the second most common type of cancer among women in Brazil. An estimated 59,700 new cases of breast cancer were reported in the 2018-2019 biennium. Breast reconstruction is a safe procedure, and various surgical procedures have been described, including conservative techniques and use of neighborhood flaps, alloplastic materials, and pedicled and microsurgical myocutaneous flaps. The objective of this study was to analyze cases of breast reconstruction after mastectomy for breast cancer performed over a period of 16 years.
Methods: We reviewed the medical records of patients who underwent breast reconstruction after mastectomy for breast cancer between January 2002 and December 2017.
Results: Within the study period, 586 patients underwent breast reconstruction. Breast reconstruction was performed with a transverse rectus abdominis myocutaneous muscle (TRAM) flap in 160 patients, with conservative techniques in 107 patients, with a latissimus dorsi myocutaneous flap (LDMF) in 156 patients, with prostheses in 113 patients, and secondarily in 50 patients. Before October 2007, the proportion of patients who underwent bilateral surgeries with a TRAM flap and LDMF was 30%, and since then, the percentage has increased to 83.3%. One or more types of complications occurred in 203 patients (34.64%) who underwent surgery, with a total of 335 complications . Most outpatient complications did not require surgical reassessment.
Conclusion: The incidence of bilateral surgery increased, which is attributed to the increase in the number of prophylactic mastectomies in the contralateral breast and in the number of reconstructions using a LDMF compared with that using a TRAM flap. A significant increase in the number of reconstructions with silicone implants was also observed.

Keywords: Breast cancer; Breast; Surgical flap; Breast implant; Reconstructive surgical procedure

 

Tratamento das ptoses mamárias com implantes submusculares e pontos de fixação do tecido mamário ao muscular: aspectos técnicos e avaliação de resultado

ANTONIO CHIQUETTI; ALFREDO BENJAMIN DUARTE DA SILVA
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(3):317-323 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: Mastopexia associada à inclusão de implante é uma situação desafiadora para o cirurgião plástico. O objetivo é descrever a colocação de implante submuscular com descolamento anatômico mais pexia firme do tecido glandular usando pontos de fixação do tecido mamário ao muscular e analisar os resultados estéticos das pacientes operadas.
Método: Foram realizadas 23 mastopexias com implantes no período entre abril de 2015 e julho de 2017, pelo mesmo cirurgião, sendo as mamas das pacientes marcadas previamente, na posição sentada. Realizou-se incisão no sulco mamário e descolamento até o polo superior da mama no plano subfascial, fixação da glândula ao músculo peitoral maior com 9 a 12 pontos. A seguir, iniciou-se a dissecção do músculo peitoral maior através de sua origem costal e transição com os músculos reto abdominal e serrátil, liberando amplamente na porção inferior. Introduziu-se o implante e completou-se a mastopexia. Os tamanhos dos implantes variaram de 255ml a 355ml. Fotos das mamas de 12 pacientes foram avaliadas por dois cirurgiões plásticos e dois leigos, nos seguintes parâmetros: resultado estético, simetria das aréolas e grau de ptose mamária. As avaliações podiam ser Ruim, Razoável ou Bom.
Resultados: A técnica cirúrgica mostrou-se reprodutível, apenas 1 caso de hematoma unilateral, nenhuma infecção, queixas de dor discretas. Apenas um caso foi considerado, por um único avaliador, como Razoável; as demais avaliações consideradas como Bom.
Conclusão: O tratamento de ptoses mamárias com colocação de implante submuscular acrescido de pexia da glândula ao músculo peitoral é uma técnica reprodutível e com bons resultados estéticos.

Palavras-chave: Mamoplastia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Mama; Fixação de tecidos

 

ABSTRACT

Introduction: Mastopexy associated with implant placement is challenging for plastic surgeons. The objective is to describe the placement of a submuscular implant with anatomical detachment in combination with stable fixation of the breast tissue to the pectoralis muscle and analyze the aesthetic results.
Method: Twenty-three mastopexy procedures with implants were performed from April 2015 to July 2017 by the same surgeon, and surgical markings were made in the breasts of the patients in a seated position. An incision was made in the inframammary fold, and the breast tissue was elevated to the upper pole in the subfascial plane and attached to the pectoralis major muscle using 9-12 stitches. Subsequently, the inferior margin of the pectoralis major muscle and the transition from the rectus abdominis muscle to the serratus muscle were dissected to expose the muscle. The implant was introduced and mastopexy was completed. Implant size ranged from 255 mL to 355 mL. Photographs of the breasts of 12 patients were evaluated by two plastic surgeons and two non-medical subjects, who considered the aesthetic results, symmetry of the nipple-areola complex, and degree of breast ptosis. The results were scored as unsatisfactory, satisfactory, or good.
Results: The surgical technique was reproducible; there was only one case of unilateral hematoma, no implant infections, and only complaints of mild pain. Only one case was scored as satisfactory by one evaluator, whereas the results of the other cases were considered good.
Conclusion: The treatment of breast ptosis with the placement of a submuscular implant in combination with fixation of the breast to the pectoralis major muscle is reproducible and yields good aesthetic results.

Keywords: Mammoplasty; Breast implant; Reconstructive surgical procedures; Breast; Tissue fixation

 

Mamoplastia de aumento - dicas para melhor adaptação da prótese na loja subfascial

Andre Gustavo Maschio; Ruth Maria Graf; Renata Fernanda Ramos Mascante; Dayane Raquel de Paula; Flavia David João de Masi; Bruna Ferreira Bernert Varaschin
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):18-19 - Contorno Corporal

PDF Português

RESUMO

INTRODUÇÃO: A mamoplastia de aumento transaxilar tem oferecido como benefício principal a ausência de cicatrizes na unidade estética da mama devido à incisão localizada na região axilar. Este método, associado à inserção da prótese no plano subfascial, permite grau de satisfação pessoal alto entre as pacientes. OBJETIVO: Descrever uma variação na técnica de mamoplastia de aumento subfascial, realizada neste serviço, com intuito de melhora do aspecto mamário e melhor adaptação da prótese. MÉTODOS: Revisão de literatura em bases de dados e descrição da técnica tradicional e de variante da técnica utilizada neste serviço. RESULTADOS: Realização de incisões de relaxamento no músculo peitoral maior, resultando em melhora da adaptação da prótese na loja subfascial e do aspecto mamário. CONCLUSÃO: A experiência com a realização das incisões de relaxamento mostra melhor aspecto da mama e menor tensão na loja da prótese, além de conferir uma cobertura extra de músculo em região superomedial.

Palavras-chave: Mamoplastia; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Implante mamário; Silicones.

 

Reconstrução do Mamilo por Meio da Técnica do Retalho C-V: Contribuição à Técnica

Rodrigo Otávio Gontijo Tostes, Kelly Daniele de Araújo Silva, João Carlos Cisneiros Guedes de Andrade Júnior, Guilherme do Valle Castro Ribeiro, Rachael Brant Machado Rodrigues
Rev. Bras. Cir. Plást. 2005;20(1):36-39 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

O significado simbólico do complexo areolopapilar reforça a busca de um melhor resultado na reconstrução mamária das mulheres com câncer de mama. A finalização do processo reconstrutivo visa obter a satisfação a longo prazo da paciente. Várias técnicas de reconstrução do mamilo não alcançaram tal meta pela impossibilidade de manter o resultado pós-operatório permanentemente, principalmente em relação à projeção do mamilo. Neste trabalho, propõese uma contribuição à técnica de retalho C-V para reconstrução do mamilo, a partir da inserção de fragmento de prótese de politetrafluoroetileno, assegurando boa projeção papilar a longo prazo.

Palavras-chave: Mamilos, cirurgia. Neoplasias mamárias, cirurgia. Mamoplastia, métodos. Implante mamário. Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

ABSTRACT

The symbolic meaning of the areola-papillary complex reinforces the need for a better result in breast reconstruction for women suffering breast cancer. The end of the reconstructive process aims at obtaining long-term patient satisfaction. Several techniques of nipple reconstruction have not fulfilled this goal because of the impossibility of maintaining the postoperative result permanently, mainly in respect to the projection of the nipple. This work proposes a modification to the C-V flap technique for nipple reconstruction with the insertion of a fragment of polytetrafluoroethylene prosthesis (PTFE), to assure good projection of the nipple over the long-term.

Keywords: Nipples, surgery. Breast meoplasm, surgery. Mammaplasty, methods. Breast implantation. Reconstructive surgical procedures

 

Estudo da relação entre as fibras elásticas cutâneas e a ptose mamária em pacientes submetidas à cirurgia de implante mamário

Javier Enrique Brod Méndez
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(1):72-77 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Diferentes técnicas e abordagens para a introdução de implantes mamários já foram descritas. Entretanto, estes mesmos estudos não levam em conta a natureza das propriedades cutâneas e suas consequências. A presença de ptose e alterações nas fibras elásticas cutâneas pode interferir na contratilidade, elasticidade, resiliência da pele e, consequentemente, no resultado da cirurgia de implantes para aumento mamário. MÉTODOS: Por meio de um estudo transversal retrospectivo, foram avaliados os registros em prontuário médico de pacientes submetidas ao procedimento de implante de aumento mamário no período entre abril de 2011 a abril de 2013. Dados sobre o grau de falência das fibras elásticas e ptose mamária foram coletados e para todas as análises estatísticas foi considerado um valor de p de 0,05. RESULTADOS: Das 70 pacientes elegíveis, a média de idade foi 33,2 ± 9,3 anos. A ausência de falência das fibras elásticas cutâneas estava presente em 44,2% da amostra. Para os níveis 1 (discreta), 2 (moderada) e 3 (acentuada), constatou-se as prevalências 12,8%, 24,4% e 18,5%, respectivamente. A ptose e a falência das fibras elásticas apresentaram correlação de r = 0,67 e p < 0,001. CONCLUSÕES: O estudo dos elementos de ptose mamária e fibras elásticas cutâneas permitiu avaliar os seus variados graus de apresentação. Sugere-se a proposta de estudos prospectivos para o melhor entendimento da relação causal entre falência das fibras elásticas e ptose mamária.

Palavras-chave: Mama; Fibras elásticas; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos; Implante mamário.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Different techniques and approaches have already been described for the introduction of breast implants. However, these same studies do not take into account the nature of the cutaneous properties and its consequences. The presence of ptosis and degeneration of the elastic fibers can interfere in the contractility, elasticity, resilience of the skin and, consequently, the outcome of implant surgery for breast augmentation. METHODS: A cross-sectional retrospective study was performed, with evaluation of the medical records of patients undergoing breast augmentation implant procedure from April 2011 to April 2013. Data on the degree of degeneration of the elastic fibers and breast ptosis were collected and a p value of 0.05 was considered for all statistical analyses. RESULTS: Of the 70 eligible patients, the mean age was 33.2 ± 9.3 years. An absence of degeneration of the elastic fibers was present in 44.2% of the sample. A prevalence of 12.8%, 24.4% and 18.5% was found for level 1 (mild), 2 (moderate) and 3 (severe) ptosis, respectively. The correlation between ptosis and the degeneration of the elastic fibers was r = 0.67, p < 0.001. CONCLUSIONS: The study of the elements of breast ptosis and cutaneous elastic fibers enabled the evaluation of their varying degrees of presentation. Prospective studies are suggested for a better understanding of the causal relationship between the degeneration of the elastic fibers and breast ptosis.

Keywords: Breast; Elastic fibers; Reconstructive surgical procedures; Breast implant.

 

Mamoplastia/mastopexia com implante: técnica Lockpocket

César Augusto Daher Ceva Faria; Luciano Gomes Moura; Conrado Miranda de Almeida; Milena Carvalho Almeida Galdino; Gabriel Campelo dos Santos; Diogo Borges Pedroso; Fabrício Tavares Mendonça; José Carlos Daher
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(2):218-224 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A mamoplastia foi o procedimento em cirurgia plástica mais realizado no Brasil, ficando em segundo lugar no mundo, logo atrás dos Estados Unidos. Existem diversas técnicas para correção de ptose das mamas associado a aumento do volume com implantes mamários. O objetivo é descrever uma variação técnica de mamoplastia com prótese, isolando o implante em um bolsão fechado de tecido fascioglandular (Lockpocket). MÉTODOS: Realizado um estudo prospectivo entre junho de 2013 e junho de 2016 totalizando 43 pacientes que foram submetidos à mamoplastia de aumento com prótese de silicone, isolado do meio externo por um bolsão fechado de tecido fascioglandular, e ressecção de tecido dermoglandular excedente para correção de ptose mamária, sendo realizada análise estatística. RESULTADOS: Das 43 pacientes, a maioria (22 pacientes) apresentaram ptose grau II, segundo a classificação de Regnault. Os volumes de tecido glandular retirado e volume das prótese introduzidos foram semelhantes, sendo observado um total de sete complicações: deiscência parcial (n = 4), assimetria discreta (n = 2) e ptose residual em um caso. CONCLUSÃO: A mamoplastia de aumento com correção de ptose mamária - técnica Lockpocket - é uma boa opção, permitindo a escolha prévia do volume do implante utilizado, isolando-o em uma loja totalmente fechada de tecido fascioglandular, e exérese exata de tecido mamário.

Palavras-chave: Mamoplastia; Implante mamário; Mama.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Mammoplasty is the most commonly performed plastic surgery procedure in Brazil, which is second only to the United States in terms of the number of mammoplasties performed. Several techniques based on increasing volume using breast implants are used to correct breast ptosis. We aimed to describe a technical variation of implant mammoplasty: isolation of the implant in a closed pocket of fascioglandular tissue (Lockpocket). METHODS: This prospective study was carried out between June 2013 and June 2016. Forty-three patients underwent (1) augmentation mammoplasty using a silicone implant that was isolated from the external environment by a closed pocket of fascioglandular tissue, and (2) resection of excess dermoglandular tissue to correct mammary ptosis. Were subsequently analyzed statistically. RESULTS: Of the 43 patients, the majority (22 patients) presented grade II ptosis according to the Regnault classification. The volume of glandular tissue removed was similar to the volume of the prosthesis introduced. A total of seven complications were observed: partial dehiscence (n = 4), discrete asymmetry (n = 2), and residual ptosis (n = 1). CONCLUSION: Augmentation mammoplasty with correction of mammary ptosis (the Lockpocket technique) is a good option because it allows the surgeon to choose in advance the volume of the implant to be used. The method also isolates the implant in a totally closed plane of fascioglandular tissue, and involves the precise removal of breast tissue.

Keywords: Mammoplasty; Breast implant; Breast.

 

Duplo retalho muscular na reconstrução de mama: relato de caso e revisão de técnica cirúrgica

Rodolfo Vagner Xaubet; Filipe Ferreira Brasileiro; Thiago Costa de Oliveira; Tarcizo Costa Figueiredo; Manoel Peter Bezerra Nogueira; Francisco Eduardo Alves Berek
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.2):35-37 - 33ª Jornada Norte-Nordeste de Cirurgia Plástica

PDF Português

RESUMO

As técnicas de reconstrução de mama são fundamentais ao arsenal do cirurgião plástico, haja vista o câncer de mama ser responsável por aproximadamente 28% dos novos casos de câncer no Brasil. O tratamento, na imensa maioria dos casos, envolve a mastectomia e, quando indicada, sua reconstrução. Dentre as técnicas reconstrutivas, relataremos o duplo retalho muscular de peitoral maior e serrátil anterior, que fornecem uma loja adequada a um bom número de reconstruções com próteses, em mastectomias poupadoras de pele. Técnica reprodutível, de curva de aprendizado relativamente rápida e importante ao arsenal do cirurgião plástico. Apresentaremos um caso e revisão da bibliografia.

Palavras-chave: Neoplasias da mama; Implante mamário; Mamoplastia; Retalhos cirúrgicos; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

Breast reconstruction techniques are fundamental to plastic surgeon arsenal, since breast cancer accounts for approximately 28% of cancer new cases in Brazil. Treatment, in most cases, involves mastectomy and, when indicated, breast reconstruction. Among reconstructive techniques, we will report the double muscle flap of pectoralis major and anterior serratus, which provide a suitable store for a good number of reconstructions with prosthesis, in skin sparing mastectomies. Reproducible technique, of relatively fast learning curve and important to plastic surgeon arsenal. We will present a case and review bibliography.

Keywords: Breast Neoplasms; Breast Implant; Mammaplasty; Surgical Flaps; Reconstructive surgical procedures.

 

Galactorreia associada à mamoplastia pós-bariátrica: relato de caso

EUDEMARA FERNANDES DE HOLANDA; SALUSTIANO GOMES PINHO PESSOA; VITOR DE VASCONCELLOS MUNIZ; LUCAS MACHADO GOMES DE PINHO PESSOA; MIKAELLE PAIVA DOS SANTOS SOUZA; ALANA D'AVILA REBELO
Rev. Bras. Cir. Plást. 2019;34(Suppl.3):28-30 - Artigos

PDF Português

RESUMO

Introdução: Pacientes pós-bariátricos apresentam rápida redução de peso e melhora das comorbidades relacionadas à obesidade. As mulheres apresentam mamas flácidas, ptóticas, com polo superior vazio e plano. Apesar da mamoplastia com o uso de prótese ser considerado um procedimento comum e seguro, o mesmo não está isento de complicações. Algumas complicações são bem conhecidas, como os seromas, hematomas e abscessos, mas há ainda algumas mais incomuns como a galactocele. No presente artigo, relatamos um caso de galactocele após mamoplastia com prótese em paciente pós-bariátrica acompanhada em nosso Serviço, e discutimos sobre as possíveis causas e possibilidades terapêuticas apresentadas na literatura.
Método: Estudo retrospectivo e descritivo através da revisão de prontuário da paciente do Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC-UFC).
Conclusões: A possibilidade de galactocele/galactorreia após mastopexia com prótese deve ser lembrada, tendo várias possibilidades terapêuticas, desde conduta expectante a tratamento cirúrgico e/ou farmacológico.

Palavras-chave: Mamoplastia; Cirurgia bariátrica; Galactorreia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

 

Subpeitoral ou subglandular: qual é a melhor localização do implante para pacientes com hipomastia?

Gabriel de Castro Zeitoune
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(3):428-434 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A mamoplastia de aumento é um dos procedimentos mais realizados em cirurgia plástica no Brasil e no mundo. Existem duas localizações principais para o implante: o plano subpeitoral ou submuscular e o plano subglandular. O objetivo deste trabalho é defender o uso do plano subpeitoral em casos de hipomastia. MÉTODO: Dezesseis pacientes foram submetidas a aumento da mama entre 2008 e 2011. Utilizou-se o plano submuscular em 9 pacientes e o plano subglandular em 7. Miotomia do músculo grande peitoral foi realizada em todos os casos de localização submuscular. RESULTADOS: Foram selecionados 5 casos de pré e pós-operatório de pacientes submetidas a mamoplastia de aumento. Verificaram-se melhores resultados utilizando-se o plano submuscular para as pacientes com hipomastia acentuada. A miotomia do músculo peitoral provou ser fundamental para o sucesso da cirurgia, pois conferiu à loja submuscular o espaço necessário para abrigar o implante mamário, sem submetê-lo à pressão causada pela contração do músculo. CONCLUSÕES: O uso adequado do plano submuscular em pacientes com hipomastia é seguro, facilita o rastreamento de câncer de mama, não altera a função muscular, protege o parênquima mamário e garante resultados mais naturais e duradouros.

Palavras-chave: Mamoplastia. Mama/cirurgia. Implante mamário.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Breast augmentation is one of the most common plastic surgery procedures in Brazil and worldwide. There are 2 main locations for the implant: the subpectoral or submuscular plane and subglandular plane. The objective of the current study was to indicate the efficacy of the use of the subpectoral plane in cases of hypomastia. METHODS: Sixteen patients underwent breast augmentation between 2008 and 2011; the submuscular and subglandular planes were used in 9 and 7 patients, respectively. Myotomy of the pectoralis major muscle was performed in all cases where the submuscular plane was used. RESULTS: The pre- and postoperative aspects of 5 cases of patients undergoing breast augmentation are presented. Better results were obtained using the submuscular plane for patients with severe hypomastia. Myotomy of the pectoralis proved critical to the success of the surgery, because it provided the submuscular pocket required to house the breast implant without subjecting it to the pressure caused by muscle contraction. CONCLUSIONS: The proper use of the submuscular plane in patients with hypomastia is safe, facilitates cancer screening, does not alter muscle function, protects the breast parenchyma, and ensures more natural and long-term results.

Keywords: Mammaplasty. Breast/surgery. Breast implantation.

 

Mastoplastia de aumento com inclusão de implante de silicone associado a mastopexia com abordagem inicial periareolar (safety pocket)

Ataliba Ronan Horta de Almeida; Gnana Keith Marques de Araújo; André Villani Correa Mafra; Pedro Sanglard Pimenta; Haendel Silva Fabrini
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(4):569-575 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A mastopexia com inclusão de implante mamário é uma cirurgia desafiadora e de alta complexidade. No Brasil, observa-se crescente interesse pelo volume mamário maior; entretanto, em certos casos, apenas a inclusão do implante de silicone não é suficiente para confecção de uma mama cônica e de polo superior cheio. Para obtenção desse resultado é necessária a correção da flacidez cutânea mamária, com retirada do excesso de pele. MÉTODO: A abordagem inicial foi realizada com incisão periareolar semicircular inferior, que serviu como acesso à loja mamária em plano subfascial para inclusão do implante. Após o posicionamento do implante, o excedente de pele foi analisado com pontos simples e marcação com azul de metileno previamente à secção cutânea. Sempre que possível, a marcação em fuso longitudinal foi preferida, mas também foi utilizada a marcação em "L" ou "T" invertido, quando o excesso de pele era maior. RESULTADOS: Foram analisadas 49 pacientes, com idades entre 20 anos e 68 anos, sendo 28 mamas primárias e 21 mamas secundárias. As cirurgias para pexia de mamas com cicatriz resultante em "L" foram realizadas em 23 pacientes, em "T", em 8 casos, e cicatriz vertical, em 18. Foram observadas 6 complicações nesse grupo de pacientes: hematomas (n = 2), retração cicatricial (n = 2), equimose intensa (n = 1) e esteatonecrose (n = 1). CONCLUSÕES: A conduta conservadora da retirada de pele após o implante das próteses, a via de acesso periareolar e a utilização do plano subfascial são pontos diferenciais e relevantes dessa técnica. Essa técnica é considerada também mais segura, pois a única perda da solução de continuidade do meio com os tecidos se dá pela incisão periareloar. Dessa forma, não há exposição da prótese ao ser confeccionada a mastopexia.

Palavras-chave: Mamoplastia. Mama/cirurgia. Implante mamário.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Mastopexy with breast implant surgery is a challenging and highly complex surgical procedure. In Brazil, there is growing interest in larger breast volumes, although in certain cases, the sole addition of silicone implants is not sufficient for constructing a conical breast with a full upper pole. To obtain this result, it is necessary to correct sagging breasts by removing excess skin. METHODS: The initial approach was made with an inferior semicircular periareolar incision, which provided subfascial access to the breast pocket for inclusion of the implant. After implant placement, the excess skin was marked using simple stitches and staining with methylene blue prior to resection. Longitudinal spindle marking was preferred whenever possible. However, "L" or inverted "T" markings were also used when excess skin amounts were greater. RESULTS: We analyzed 49 patients aged 20-68 years, of whom 28 were undergoing primary breast surgery and 21 were undergoing secondary breast surgery. The surgeries for breast pexia included L-shaped scars in 23 patients, T-shaped scars in 8 patients, and vertical scars in 18 patients. Six complications were observed in this group of patients: hematoma (n = 2), scar retraction (n = 2), severe ecchymosis (n = 1), and steatonecrosis (n = 1). CONCLUSIONS: The conservative skin removal approach after prosthesis implantation, periareolar access, and use of the subfascial plane are the differential and relevant points of this technique. This technique is also considered safer because the periareolar incision caused the only loss of continuity in the tissues. Therefore, the prosthesis was not exposed during mastopexy.

Keywords: Mammaplasty. Breast/surgery. Breast implantation.

 

Tratamento da ptose mamária e hipomastia utilizando técnica de mamoplastia com pedículo súpero-medial e implante mamário

Alexandre Wada; Lincoln Saito Millan; Samuel Terra Gallafrio; Rolf Gemperli; Marcus Castro Ferreira
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(4):576-583 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: O tratamento da ptose mamária com hipomastia utilizando técnica de mastopexia associada a implante mamário em um tempo cirúrgico é frequentemente associado a potenciais complicações mais graves do que quando se utilizam os métodos separadamente. Na literatura, a incidência relatada de complicações é semelhante à de procedimentos realizados em dois tempos cirúrgicos. Vários autores descrevem padronizações e cuidados específicos que possibilitam a utilização dessa combinação de técnicas com segurança. O objetivo deste trabalho é relatar técnica operatória para aumento mamário em pacientes com ptoses mamárias, analisando a incidência de complicações e revisões cirúrgicas. MÉTODO: Foi avaliada a incidência de complicações e revisões cirúrgicas de 27 pacientes submetidas a mastopexia com implante mamário em um tempo cirúrgico utilizando técnica de pedículo súpero-medial, operadas entre 2005 e 2010. RESULTADOS: Não foram observadas complicações imediatas que levassem a reoperações precoces. Três (11,1%) pacientes apresentaram pequenas deiscências de sutura na junção do "T" invertido, com resolução espontânea. Uma (3,7%) paciente apresentou contratura capsular, 1 ano após a operação. Quatro (14,8%) pacientes foram submetidas a revisões cirúrgicas de cicatrizes. História prévia de tabagismo aumentou em 4 vezes a incidência de deiscências de suturas e, em 2 vezes, o índice de revisões cirúrgicas de cicatrizes, porém sem diferença estatisticamente significante. CONCLUSÕES: A técnica de mastopexia associada a implante mamário utilizando técnica de pedículo súpero-medial foi eficaz e segura para o tratamento da ptose mamária com hipomastia.

Palavras-chave: Mama/cirurgia. Implante mamário. Mamoplastia.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: One-stage treatment of breast ptosis with hypomastia using mastopexy techniques combined with breast augmentation is often believed to have the potential for more serious complications than when the procedures are performed separately. However, available data show that the incidence of complications associated with the combined treatment is similar to that of both procedures performed separately. Several authors have developed standard and specific care techniques that facilitate the safe use of this combined technique. The aim of this study is to describe the surgical technique used for breast augmentation in patients with breast ptosis, as well as the incidence of complications and surgical revision. METHODS: The incidence of complications and surgical revision was analyzed in 27 patients who underwent one-stage mastopexy combined with breast augmentation using the superomedial pedicle technique, between 2005 and 2010. RESULTS: There were no immediate complications that required early reoperations. Three (11.1%) patients had slight dehiscence of the suture at the inverted-T junction, with spontaneous resolution. One (3.7%) patient developed capsular contracture 1 year after the operation. Four (14.8%) patients underwent scar revision procedures. A history of smoking was associated with a four-fold increase in the incidence of suture dehiscence and doubled the number of scar revision procedures; however, the difference was not statistically significant. CONCLUSIONS: The mastopexy technique combined with breast augmentation using the superomedial pedicle technique was effective and safe for the treatment of breast ptosis with hypomastia.

Keywords: Breast/surgery. Breast implantation. Mammaplasty.

 

Lifting reverso do seio mamário para tratamento de simastia congênita

Getúlio Duarte Junior; Fábio Coelho Duarte
Rev. Bras. Cir. Plást. 2017;32(2):268-271 - Ideias e Inovações

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A mama está diretamente relacionada com a beleza, autoestima e sexualidade feminina. A simastia é uma alteração inestética mamária, caracterizada pela união das duas mamas na região pré-esternal. O autor demonstra uma técnica cirúrgica para correção de simastia congênita. MÉTODOS: O trabalho relata o caso de uma paciente jovem com história prévia de hipertrofia mamária e simastia, que realizara previamente duas mamoplastias e uma lipoaspiração no seio mamário, sem correção da simastia. O autor realizou a ressecção do excesso de tecido no seio mamário e um lifting reverso dessa região, associado com um retalho em avanço do abdome superior. RESULTADOS: Houve completa resolução da simastia com o tratamento proposto. CONCLUSÃO: O tratamento realizado pelo autor demonstrou ser mais uma alternativa cirúrgica segura no tratamento da simastia.

Palavras-chave: Mama; Mamoplastia; Implante mamário; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Breasts are associated with a feeling of beauty, self-esteem, and female sexuality . Symmastia is a condition, characterized by the confluence of both breasts in the pre-sternal region. The author demonstrates a surgical technique for correction of congenital symmastia. METHODS: This is the case report of a young patient with previous history of breast hypertrophy and symmastia. She had previously undergone two mammoplasties and one liposuction of the breast, without correction of the symmastia . The author performed resection of the excess tissue in the breast and a reverse lifting of this region, with an upper abdominal advancement flap. RESULTS: There was complete resolution of the symmastia. CONCLUSION: The treatment performed by the author is a safe surgical alternative for the treatment of symmastia.

Keywords: Breast; Mammoplasty; Breast implantation; Reconstructive surgical procedures.

 

Mastopexia associada a implante de silicone submuscular ou subglandular: sistematização das escolhas e dificuldades

José Carlos Daher; Jefferson Di Lamartini Galdino do Amaral; Diogo Borges Pedroso; Ricardo Cintra Júnior; Marina de Souza Borgatto
Rev. Bras. Cir. Plást. 2012;27(2):294-300 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: Ao longo dos tempos tem sido reportado o papel fundamental das mamas na feminilidade. Na mamoplastia de aumento deve-se buscar preservar a funcionalidade do órgão.As indicações do melhor plano tecidual de cobertura e a associação com a mastopexia podem tornar-se um grande desafio. O objetivo deste trabalho é avaliar uma série de casos de mastopexia associada a implantes. MÉTODO: Estudo descritivo retrospectivo de pacientes submetidas a mamoplastia de aumento e mastopexia no Serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Daher Lago Sul (Brasília, DF, Brasil). No período de julho de 2008 a julho de 2011, 243 pacientes foram operadas, com média de idade de 31,4 anos, sendo 149 operadas pela técnica subglandular e 94, pela submuscular. Os volumes dos implantes variaram de 150 ml a 400 ml. RESULTADOS: Houve 174 casos de procedimentos combinados. Quatro pacientes submetidas à técnica subglandular desenvolveram contratura capsular (grau II). Foram observados 7 casos de pseudoptose pela técnica submuscular e 14 de ptose mamária pela técnica subglandular. Oito pacientes apresentaram mobilidade do implante pela ação do músculo. A taxa de reoperação total foi de 6,58%. CONCLUSÕES: O tratamento da ptose mamária associado a mamoplastia de aumento exige combinações técnicas complexas e cuidadosa análise pré-operatória, para definição das melhores técnicas a serem utilizadas, diminuindo a necessidade de revisões cirúrgicas e permitindo a obtenção de resultados harmônicos, duradouros e estáveis.

Palavras-chave: Mamoplastia. Mama/cirurgia. Implante mamário.

 

ABSTRACT

BACKGROUND: Throughout history, the breasts are considered important to the femininity and self-esteem of women. In augmentation mammoplasty, organ function must be preserved. Indications for the best tissue plane for coverage of silicone implants and association with mastopexy can be challenging. The aim of this study was to evaluate a series of cases of mastopexy associated with silicone implants. METHODS: A retrospective descriptive study was performed in patients who underwent mastopexy at the Plastic Surgery Unit of the Hospital Daher Lago Sul (Brasília, DF, Brazil). From July 2008 to July 2011, 243 patients with a mean age of 31.4 years underwent surgery. In 149 patients, the subglandular technique was used and in 94 patients, the submuscular technique was used. Implant volume ranged from 150 mL to 400 mL. RESULTS: There were 174 cases of combined procedures. Four patients who underwent surgery using the subglandular technique developed capsular contracture (grade II). We followed up 7 cases of pseudoptosis with the submuscular technique and 14 cases of mammary ptosis with the subglandular technique. Eight patients experienced a mobile implant resulting from muscle activity. The reoperation rate was 6.58%. CONCLUSIONS: Treatment of mammary ptosis associated with augmentation mammoplasty demands a complex combination of techniques and careful preoperative analysis in order to define the best techniques to be used; this procedure lowers the need for surgical revisions and allows harmonious, stable, and long-lasting results.

Keywords: Mammaplasty. Breast/surgery. Breast implantation.

 

Implante no plano subfascial: revisão da literatura

Flávio de Freitas Neto; Michel Pavelecini; Bruno Blaya Batista; Felipe Bilhar Fasolin; Caroline Battisti; Pedro Bins Ely
Rev. Bras. Cir. Plást. 2018;33(Suppl.1):178-180 - Tronco I

PDF Português

RESUMO

INTRODUÇÃO: Atualmente, na literatura científica faltam evidências para comparação tanto do plano de inclusão quanto do local da incisão e do tipo de implante mamário. Sabemos que existem planos de inclusão para implante mamário, como o subglandular, submuscular, subfascial e também o duplo-plano. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi analisar na literatura existente as evidências científicas que comparassem os planos subglandular e o plano subfascial para a analisar se há realmente diferença clínica e estatisticamente significativa entre eles. MÉTODOS: Foi realizada uma revisão bibliográfica usando a base de dados PubMed com o objetivo de realizar uma revisão das evidências científicas disponíveis a respeito do plano de inclusão subfascial. RESULTADOS: Analisamos os artigos disponíveis na literatura que eram compatíveis com os critérios de inclusão, foram selecionados 13 artigos que faziam menção ao plano subfascial e, desses, apenas três faziam comparação entre os planos de inclusão. Não encontramos evidências científicas que comprovem a superioridade do plano subfascial sobre os demais tanto em relação à taxa de complicações quanto ao grau de satisfação das pacientes nos artigos selecionados. CONCLUSÃO: No momento, não existe evidência científica que comprove a superioridade do plano subfascial em relação aos demais, tanto em relação à taxa de complicações quanto ao grau de satisfação das pacientes. Assim, novos estudos são necessários para adequada comparação dos planos.

Palavras-chave: Implante Mamário; Mamoplastia; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos.

 

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons