ISSN Online: 2177-1235 | ISSN Impresso: 1983-5175

Mostrando de 1 até 4 de 4 resultado(s)

Busca por : Igor Felix

Uso do retalho osteocutâneo microcirúrgico de fíbula na reconstrução dos defeitos complexos de mandíbula

Igor Felix Cardoso; Juliano Carlos Sbalchiero; Analice Soares Batista; Bianca Maria Barros Ohana; Rodolfo Chedid; Gustavo Felix Cardoso; Paulo Roberto de Albuquerque Leal
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(1):42-47 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

Introdução: O retalho livre osteocutâneo de fíbula é a primeira escolha para reconstrução de defeitos segmentares da mandíbula e tecido mole adjacente, na maioria das situações. Objetivo: Este estudo apresenta uma experiência de 4 anos com o uso de retalho osteocutâneo livre de fíbula para reconstrução mandibular. Método: Foi feita análise de 15 pacientes submetidos à reconstrução microcirúrgica de mandíbula e assoalho oral com retalho osteocutâneo de fíbula. O tempo médio de seguimento pós-operatório foi de 2 anos. Foram estudados classificação histopatológica do tumor primário, localização da porção mandibular ressecada, vasos utilizados para anastomose, retalhos associados, exposição à radioterapia, resultados e complicações. Resultados: O tipo histológico mais comum foi o carcinoma espinocelular (81%), seguido do osteossarcoma (13%). A porção mandibular ressecada com maior frequência foi o arco central, em 81% dos casos, e 87% dos pacientes foram expostos à radioterapia. A reconstrução foi imediata em 81% dos pacientes. Retalhos associados foram usados em 46% dos casos. Complicações imediatas foram observadas em 25% dos pacientes e tardias, em 31%, com taxa de sucesso de 100%. Conclusões: O retalho osteocutâneo livre de fíbula está indicado na reconstrução de grandes defeitos mandibulares. Sua indicação deve ser individualizada, levando-se em consideração riscos, benefícios e impacto na qualidade de vida do paciente.

Palavras-chave: Reconstrução. Microcirurgia. Mandíbula/cirurgia. Retalhos Cirúrgicos. Fíbula.

 

ABSTRACT

Introduction: The fibular osteocutaneous free flap is, in most situations, the first choice for reconstruction of segmental defects of the mandible and adjacent soft tissue. Objective: This study presents a four-year experiment with the use of a fibular osteocutaneous free flap for mandibular reconstruction in patients operated upon under the supervision of a single surgeon. Methods: Fifteen patients who underwent microsurgical reconstruction of the mandible and oral floor with a fibular osteocutaneous flap were analyzed. The average postoperative follow-up time was 2 years. Histopathological classification of the primary tumor, location of the resected mandibular portion, vessels used for anastomosis, associated flaps, exposure to radiotherapy, results, and complications were studied. Results: The most common histological type was squamous cell carcinoma (81%) followed by osteosarcoma (13%). The mandibular portion resected with greatest frequency was the central arc (81% of the cases), and 87% of patients received radiotherapy. Reconstruction was immediate in 81% of the patients. Associated flaps were used in 46% of the cases. Immediate complications were observed in 25% of patients and late complications in 31%; the success rate was 100%. Conclusions: The fibular osteocutaneous free flap is indicated for the reconstruction of large mandibular defects. This procedure may present postoperative complications that are significant but do not compromise the success of the procedure, and it must be individualized by taking into account the risks, benefits, and impact on the quality of life of patients.

Keywords: Reconstruction. Microsurgery. Mandible/surgery. Surgical Flaps. Fibula.

 

Mastopexia periareolar (circum-areolar) com implante mamário cônico: tratamento de ptose, hipomastia e alterações de posição e tamanho do complexo aréolo-papilar

Igor Felix Cardoso; João Batista Cardoso; Gustavo Felix Cardoso
Rev. Bras. Cir. Plást. 2014;29(3):368-374 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

RESUMO

INTRODUÇÃO: A cirurgia de mastopexia associada ao aumento mamário vem sendo cada vez mais solicitada. Ao mesmo tempo, pacientes com graus menores de ptose aceitam menos as correções por meio de cicatrizes verticais. Nesse contexto, a mastopexia periareolar (circum-areolar) com implante cônico é uma opção que resulta em cicatriz limitada ao perímetro areolar e possibilita o tratamento das alterações de posição e tamanho do complexo aréolo-papilar. MÉTODO: Foram avaliadas 22 pacientes, submetidas à mastopexia periareolar com utilização de próteses cônicas, revestidas com poliuretano, colocadas em posição subglandular e operadas pelo mesmo cirurgião. RESULTADOS: Dados observados: 45% das pacientes apresentavam ptose grau I; 32%, grau II, e 23%, grau III; 86% das pacientes apresentavam assimetria do complexo aréolo-papilar; 27%, lateralização, e 18%, aréolas grandes, havendo associações na mesma paciente. O volume das próteses variou de 215 mL a 380 mL. Houve dois casos de alargamento da cicatriz, mas não houve casos de alargamento de aréola ou cicatriz hipertrófica. Não houve, no período pesquisado, complicações relacionadas à colocação do implante. No questionário de satisfação, a maioria das pacientes considerou o aspecto da mama natural, conferindo boas notas aos aspectos: formato, simetria e altura das mamas, qualidade da cicatriz e posição, formato e tamanho das aréolas. CONCLUSÕES: A técnica permite resultados satisfatórios nos casos indicados, como ptoses leves a moderadas, aréolas grandes, lateralização e assimetria do complexo aréolo-papilar. São aspectos técnicos importantes: a retirada conservadora de pele periareolar, o uso de implantes de tamanhos moderados e a confecção da sutura de contenção em round-block.

Palavras-chave: Periareolar; Mastopexia; Ptose; Implante; Cônico; Poliuretano.

 

ABSTRACT

INTRODUCTION: Mastopexy surgery associated with breast augmentation is increasingly being requested. At the same time, patients with lower degrees of ptosis are less receptive to any correction through vertical scars. In this context, periareolar (circumareolar) mastopexy with a conical implant is an option that results in a scar that is limited to the areolar perimeter, and enables the treatment of changes in the position and size of the nipple-areola complex. METHOD: We evaluated 22 patients submitted to periareolar mastopexy with use of conical prostheses coated with polyurethane and placed in a subglandular position. All patients were operated on by the same surgeon. RESULTS: Among the patients, 45% presented with grade I ptosis, 32% grade II, and 23% grade III, and 86% exhibited asymmetry of the nipple-areola complex, 27% lateralization, and 18% large areolas, with some combination in the same patient. The volume of the prostheses ranged from 215 to 380 mL. There were two cases of scar enlargement; however, there were no cases of enlargement of the areola or hypertrophic scar. During the period studied, there were no complications related to the placement of the implant. In the satisfaction questionnaire, most of the patients considered the aspect of the breast to be natural in appearance, giving good grades to the size, symmetry, and height of the breasts; the quality of the scar; and the position, shape, and size of the areolas. CONCLUSIONS: This technique produces satisfactory results in cases of mild to moderate ptoses, large areolas, lateralization, and asymmetry of the nipple-areola complex. Important technical aspects include the conservative removal of periareolar skin, use of implants of moderate sizes, and the use of the round-block containment suture.

Keywords: Periareolar; Mastopexy; Ptosis; Implants; Conical; Polyurethane.

 

Reconstrução tardia de mama com retalho miocutâneo de grande dorsal

Igor Felix Cardoso, Ângela Carvalho Maximiano, Bernardo Rômulo Soares, Rosane Schelino Biscotto, Seily Frascarolly Toledo Saraiva, Paulo Roberto de Albuquerque Leal
Rev. Bras. Cir. Plást. 2010;25(3 Suppl.1):63 - Tórax e Tronco

PDF Português

Enxerto de gordura em reconstrução mamária

Bianca Maria Barros Ohana; Paulo Roberto de Albuquerque Leal; Rodolfo Chedid; Mario Russano; Igor Felix; Analice Soares
Rev. Bras. Cir. Plást. 2011;26(3 Suppl.1):66 - Artigo Original

PDF Português PDF Inglês

Patrocinadores

Indexadores

Licença Creative Commons Todos os artigos científicos publicados em http://www.rbcp.org.br estão licenciados sob uma Licença Creative Commons